Bangalore Choir: Regularidade acima de tudo

Resenha - Metaphor - Bangalore Choir

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Renato Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Dessa vez os fãs do Bangalore Choir não tiveram que esperar muito tempo por um novo álbum de estúdio. Enquanto On Target e Cadence são separados por quase duas décadas exatas, apenas um par de anos foi preciso para a chegada de Metaphor. O terceiro trabalho de inéditas não promove grandes mudanças no Hard Rock pesado e melódico do grupo, com David Reece mostrando mais uma vez sua competência nos vocais. Todas as características tradicionais foram mantidas. Portanto, quem gostou dos outros dois tem tudo para aprovar este aqui também.
5000 acessosRoqueiros conservadores: a direita do rock na revista Veja5000 acessosTradução - Dark Side Of The Moon - Pink Floyd

O play abre com a acelerada “All The Damage Done” e seus corais muito bem encaixados. “Trojan Horse” vai ficar na sua mente como um vírus (rá!), com sua cadência fantástica e refrão matador. Candidata a hit! A intro de “Silhouettes On The Shade” pode assustar os mais conservadores, mas basta alguns segundos para tudo voltar ao normal. A faixa-título vem naquela linha suingada de “Doin’ The Dance”, composição de Jon Bon Jovi e Richie Sambora que entrou no debut. Um riff fantástico abre “Don’t Act Surprised”, Hardão com pegada roqueira daqueles que a gente escuta com um sorriso no olho, lembrando os áureos momentos do gênero. A melhor de todas, com certeza.

O clima western que sugere o nome “Never Face Ole Joe Alone” é cumprido, com violões e gaitas ditando o ritmo. A semi-balada “Scandinavian Rose” apenas não compromete, enquanto “Catch An Angel Fallin’”, única faixa que acima de 4 minutos, traz certa influência da cena europeia do estilo. O pique Rock and Roll reaparece em “Civilized Evil”, que dá lugar à melódica “Fools Gold”, outro destaque. Para encerrar o trabalho, “Always Be My Angel” traz um duo de guitarras totalmente metálico em sua abertura e remete a “Martyr”, do disco anterior.

Sem medo de resgatar clichês e oferecendo o que de melhor o Hard oitentista é capaz de disponibilizar, o Bangalore Choir mais uma vez acerta em cheio. E mostra porque é uma das melhores bandas que pouca gente conhece.

David Reece (vocals)
Andy Susemihl (guitars)
Curtis Mitchell (guitars)
Danny Greenberg (bass)
Rene Letters (drums)

01. All The Damage Done
02. Trojan Horse
03. Silhouettes On The Shade
04. Metaphor
05. Don’t Act Surprise
06. Never Face Ole Joe Alone
07. Scandinavian Rose
08. Catch An Angel Fallin’
09. Civilized Evil
10. Fools Gold
11. Always Be My Angel

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bangalore Choir"

Roqueiros conservadoresRoqueiros conservadores
A direita do rock na revista Veja

TraduçãoTradução
The Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd

MetallicaMetallica
Lars sabe que os fãs não gostam do St. Anger

5000 acessosCoincidências: Imagens usadas por grandes bandas em outras capas?5000 acessosKing Diamond: As opiniões do rei sobre Satanismo5000 acessosMike Mangini: um dos bateristas mais rápidos do mundo?5000 acessosOlimpíadas: judoca brasileiro usa Heavy Metal pra se aquecer5000 acessosSonata Arctica no Brasil: "Achavam que éramos os caras do Guns"4901 acessosNikki Sixx: "perco para meu filho no Rock Band"

Sobre João Renato Alves

27 anos, jornalista formado pela Universidade de Cruz Alta. Kissmaníaco inveterado, um verdadeiro apaixonado pela banda de Gene Simmons e Paul Stanley. Idolatra com quase a mesma paixão Queen, Van Halen e Black Sabbath. Aprecia desde o Rock dos anos 50 (Elvis, Little Richard, Chuck Berry, entre outros) e 60 (Beatles, Rolling Stones, The Who, Led Zeppelin...), Hard Rock dos 70's (AC/DC, Deep Purple, Alice Cooper...) e 80's (Mötley Crüe, Def Leppard, Europe, Talisman...), Metal Tradicional (Judas Priest, Dio, Ozzy...), NWOBHM (Iron Maiden, Saxon, Angel Witch...) e Thrash oitentista (Slayer, Destruction, Kreator...). Já teve um programa de rádio, chamado "Lavagem Cerebral", na Unicruz FM. Solteiro e seguidor das idéias de Gene Simmons em relação ao casamento.

Mais matérias de João Renato Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online