Resenha - Mundo Destruído - Bruto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Opa, barulheira da boa! Em 2004, o pessoal de Gama (DF) teve as manhas em batizar sua banda com um nome totalmente condizente à proposta musical. O Bruto já tinha liberado em 2006 a "Fita Demo" e começou a marcar presença em festivais como Tattoo Rock Fest 2011 (GO), Bananada (GO), Porão Do Rock 2006/2011 (DF), ForCaos 2007/2010 (CE), entre vários outros, e tocando ao lado de nomes como Krisiun, Torture Squade, Matanza e Ratos de Porão.

Cradle of Filth: Chimbinha, do Calypso, usando camiseta?Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugar

O tempo passou e agora o Bruto está estreando com o independente "Mundo Destruído". E, sim, os brasilienses adotaram a língua portuguesa, e com tal agressividade que persiste alguma dificuldade para sua devida compreensão em meio a tanto inconformismo. Mas isso não é problema, principalmente se levarmos em conta que esta característica é comum no Heavy Metal extremo, aqui mesclando o Death, Thrash e Hardcore, com características lá do final dos anos 1980 e da década seguinte.

O resultado é espetacular, com variações de ritmos - os grooves estão matadores! - e melodias bem encaixadas, tudo recheado de arranjos simples, mas que primam por uma energia primitiva que tem tudo para conquistar o headbanger que aprecia o estilo. Ainda que a própria faixa que batize o disco seja o grande destaque, o repertório se saiu bem linear ao longo dos cerca de 30 minutos de audição, e, mesmo com a bateria meio abafada e com um timbre que poderia ser mais bem escolhido, o resultado convence.

O álbum traz como bônus um vídeo para a própria "Mundo Destruído" (a presença dos jornais impressos ao chão foi uma boa sacada para ilustrar tanta desgraceira!), e também merece destaque a imagem que ilustra a capa do CD, cujo personagem está propenso a se tornar a mascote da banda. O Bruto está de parabéns pelo trabalho e merece uma cuidadosa conferida, pois funciona muito bem!

Contato: www.myspace.com/brutodf

Formação:
Kbça - voz
Rodrigo - guitarra
Leo - guitarra
Henrique - baixo
Sávio Américo - bateria

Bruto - Mundo Destruído
(2011 / independente - nacional)

01. Intro
02. Mundo Destruído
03. Igrejas
04. Paraíso Quitado
05. Vai se Fuder
06. Obscuro
07. Porrada
08. Ilustração
09. Cidade Adormecida
10. PQP Que Porra é Essa!
11. Brutality (faixa bônus)

+ Mundo Destruído (vídeo oficial)


Outras resenhas de Mundo Destruído - Bruto

Bruto: Som da banda faz jus a seu nomeBruto: Thrash com veia Rock And Roll cantado em português




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Bruto"


Cradle of Filth: Chimbinha, do Calypso, usando camiseta?Cradle of Filth
Chimbinha, do Calypso, usando camiseta?

Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugarKeith Richards
Colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Total Guitar: os 20 melhores riffs de guitarra da históriaTotal Guitar
Os 20 melhores riffs de guitarra da história

Megadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz MustaineStairway to Heaven: o maior hit do Led ZeppelinKorn: Um cover de "Another Brick in The Wall" com densidade profunda e únicaGothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.