Matérias Mais Lidas


Stamp

Bruto: Nome totalmente condizente à proposta musical

Resenha - Mundo Destruído - Bruto

Por Ben Ami Scopinho
Postado em 02 de março de 2012

Nota: 7

Opa, barulheira da boa! Em 2004, o pessoal de Gama (DF) teve as manhas em batizar sua banda com um nome totalmente condizente à proposta musical. O Bruto já tinha liberado em 2006 a "Fita Demo" e começou a marcar presença em festivais como Tattoo Rock Fest 2011 (GO), Bananada (GO), Porão Do Rock 2006/2011 (DF), ForCaos 2007/2010 (CE), entre vários outros, e tocando ao lado de nomes como Krisiun, Torture Squade, Matanza e Ratos de Porão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

O tempo passou e agora o Bruto está estreando com o independente "Mundo Destruído". E, sim, os brasilienses adotaram a língua portuguesa, e com tal agressividade que persiste alguma dificuldade para sua devida compreensão em meio a tanto inconformismo. Mas isso não é problema, principalmente se levarmos em conta que esta característica é comum no Heavy Metal extremo, aqui mesclando o Death, Thrash e Hardcore, com características lá do final dos anos 1980 e da década seguinte.

O resultado é espetacular, com variações de ritmos – os grooves estão matadores! – e melodias bem encaixadas, tudo recheado de arranjos simples, mas que primam por uma energia primitiva que tem tudo para conquistar o headbanger que aprecia o estilo. Ainda que a própria faixa que batize o disco seja o grande destaque, o repertório se saiu bem linear ao longo dos cerca de 30 minutos de audição, e, mesmo com a bateria meio abafada e com um timbre que poderia ser mais bem escolhido, o resultado convence.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

O álbum traz como bônus um vídeo para a própria "Mundo Destruído" (a presença dos jornais impressos ao chão foi uma boa sacada para ilustrar tanta desgraceira!), e também merece destaque a imagem que ilustra a capa do CD, cujo personagem está propenso a se tornar a mascote da banda. O Bruto está de parabéns pelo trabalho e merece uma cuidadosa conferida, pois funciona muito bem!

Contato: www.myspace.com/brutodf

Formação:
Kbça - voz
Rodrigo - guitarra
Leo - guitarra
Henrique - baixo
Sávio Américo - bateria

Bruto – Mundo Destruído
(2011 / independente – nacional)

01. Intro
02. Mundo Destruído
03. Igrejas
04. Paraíso Quitado
05. Vai se Fuder
06. Obscuro
07. Porrada
08. Ilustração
09. Cidade Adormecida
10. PQP Que Porra é Essa!
11. Brutality (faixa bônus)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

+ Mundo Destruído (vídeo oficial)


Outras resenhas de Mundo Destruído - Bruto

Bruto: Thrash com veia Rock And Roll cantado em português

Bruto: Som da banda faz jus a seu nome

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Perc3ption: a arte levada ao extremo

Resenha do Álbum do Insânia ao vivo no Underground Nativa III

Sentença de Morte: Death Metal para quem curte Death Metal bem executado

Triumph Of Death, projeto de Tom Warrior, resgata ao vivo parte do passado do Hellhammer

Spiritual Cramp acerta a fórmula, mas álbum satura em 26 minutos

Estreia do Superbloom traz de volta o grunge protagonista dos anos 1990

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Osbourne: pesado, mas antes de tudo moderno

Resenha - Dark Side of The Moon - Pink Floyd

Resenha - Vovin - Therion

Resenha - P.U.L.S.E. - Pink Floyd


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".
Mais matérias de Ben Ami Scopinho.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS