RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagem25 álbuns de rock sem nenhuma música ruim, segundo a Loudwire

imagemA incrível música que o Thin Lizzy não queria lançar, e acabou mudando a história da banda

imagemGuns N' Roses altera músicas no setlist em primeiro show da turnê de 2023

imagemO clássico do Black Sabbath cantado por Dio que inspirou música do Iron Maiden

imagemOs 15 maiores shows de rock da história segundo a Loudwire (Inclui um no Brasil)

imagemO hit da Legião Urbana com triste frase que resume a profunda solidão de Renato Russo

imagemPaul Di'Anno: nos anos 2000, seus planos eram de se mudar e empreender no Brasil

imagemGuitarrista do Enslaved diz que Euronymous era um "comunista convicto"

imagemLars Ulrich diz que James Hetfield compensou a sua falta de talento no início do Metallica

imagemJoão Gordo revela único dos projetos de Andreas Kisser que ele não gosta de jeito nenhum

imagemComo teria sido a carreira de Cazuza se não tivesse morrido? ChatGPT responde

imagemOs clássicos dos Rolling Stones que Mick Jagger e Keith Richards odeiam

imagemIron Maiden: conheça 5 curiosidades incríveis sobre Alexandre, o Grande

imagem5 curiosidades que ajudam a contar a história do casamento de Nando Reis com Vânia

imagemNoel Gallagher: "A inteligência artificial será o último prego no caixão da música"


Deny Bonfante: Obra coesa e muito técnica ao mesmo tempo

Resenha - Midnight Star - Deny Bonfante

Por Paulo Finatto Jr.
Postado em 11 de fevereiro de 2012

Nota: 9

Embora pouco disseminada pelo país, a música instrumental vem aos poucos aumentando o seu número de adeptos. O guitarrista DENY BONFANTE, que construiu uma carreira sólida ao lado do PERPETUAL DREAMS, é mais um exemplo e o disco "Midnight Star" é o primeiro fruto do seu projeto paralelo dedicado às seis cordas. Com um repertório que passeia pelo rock e pelo metal com a mesma facilidade que absorve influências do blues e do jazz, o debut solo do músico catarinense tem tudo para figurar entre os melhores do gênero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Por mais que DENY BONFANTE seja o principal destaque de Midnight Star, a banda que o acompanha, formada pelo tecladista Jan Findeiss (também integrante do PERPETUAL DREAMS) e pelos bateristas Julio Kuhlewein e Rike Frainer (que se revezam durante o repertório), molda o disco de maneira excepcional do início ao fim. Com isso, o primeiro álbum solo do artista catarinense – que assina todos os instrumentos de corda – não acaba se tornando apenas um grande emaranhado de solos de guitarra executados a toda velocidade. O que existe por trás de "Midnight Star" é um verdadeiro intuito coletivo no sentido de criar uma obra coesa e muito técnica ao mesmo tempo. O resultado final é mais do que satisfatório.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

O groove que contorna boa parte de "Midnight Star" é provavelmente uma das grandes virtudes da obra. Com um toque bem típico do jazz e do blues, "The Alligator’s Jam" alia à eletricidade da guitarra o que de mais refinado os instrumentos de sopro (saxofone e trompete) podem oferecer. O resultado dessa mistura é uma faixa nada enjoativa e que evidencia todo o seu aspecto mais vibrante. O trabalho realizado de maneira impecável em estúdio é também uma das principais marcas do álbum e pode ser conferido na maneira límpida em que os espetaculares riffs de DENY BONFANTE soam em "Miss Misunderstood". A capacidade do guitarrista catarinense em casar ótimas bases a solos inspiradíssimos é outra característica do material – e em especial da faixa "Why" – outro ponto alto do repertório.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

O sucesso da música instrumental – dentro do rock e do metal – depende praticamente de um único fator: o cuidado para não transformar todas as linhas de guitarra em uma sequência cansativa de acordes estridentes. O repertório de "Midnight Star", que bate na marca de quarenta minutos e não ultrapassa esse número, mostra o quanto que DENY BONFANTE é um guitarrista consciente e inteligente. O álbum até conta com faixas emotivas: "Sacred Palce" é a sua principal representante. Porém, com pouco mais de três minutos, até mesmo o que há de mais técnico não excede o limite do bom gosto. O mesmo pode ser dito a respeito de "The Wizard’s Ride", justamente a faixa que mais aproxima o trabalho de DENY BONFANTE ao gênero tipicamente melódico/veloz capitaneado por ninguém menos do que YNGWIE MALMSTEEN.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

A interessante "At Sunrise" funciona de maneira perfeita como encerramento da obra. Com ótimas bases e certa influência da música atmosférica executada durante a década de oitenta, os sete minutos da música passam rápido e ainda mostram que DENY BONFANTE se sai bem também com o baixo. O solo de teclado assinado por Jean Findeiss – que é outra constante dentro da obra – deixa claro o entendimento que o guitarrista tem da música instrumental: a complexidade sonora deve privilegiar todos os instrumentos. Para muitos, "Mignight Star" pode até ser uma agradável surpresa. Entretanto, o disco na verdade comprova que todo o sucesso de DENY BONFANTE – com o PERPETUAL DREAMS ou agora em carreira solo – não é por acaso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Site: www.denybonfante.com

Track-list:

01. The Alligator’s Jam
02. Miss Misunderstood
03. Magic Circle
04. Why
05. Sacred Place
06. Passion
07. The Wizard’s Ride
08. Escape in GM
09. At Sunrise
10. Miss Misunderstood (Video)
11. The Wizard’s Ride (Video)
12. Sacred Place (Video)


Outras resenhas de Midnight Star - Deny Bonfante

Resenha - Midnight Star - Deny Bonfante

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Facchini Medeiros | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.
Mais matérias de Paulo Finatto Jr..