Resenha - Dying - Anasarca

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Que death metal bom de se ouvir. Sujo, podre, extremo e bem tradicional. Pois é, não há novidades no som, só que é aquela coisa: quando é bem realizado, merece elogios. Não soa enjoativo e realmente anima.

Pink Floyd: a história por trás de "Animals"Dossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos

Para quem não conhece (e deve ser um bom número de pessoas), esses alemães já têm mais de quinze anos de vida e três álbuns nas costas. "Dying", o último até agora lançado, é sem dúvida o mais maduro e mostra que, dentro dos padrões do estilo, é possível criar coisas empolgantes, como é o caso de "Blame Myself", uma pedrada daquelas!

E a música que fecha o disco, a faixa-título, também é muito boa, com seu denso começo, que se transforma na porradaria de costume desse pessoal. Os riffs também chamam a atenção.

É legal constar que, a cada disco, a Anasarca remou contra a maré e foi se tornando mais barulhenta. Que bom exemplo! No primeiro full length, eles soavam um tanto inexperientes e primitivos, mas agora, seis anos e dois discos depois, nota-se uma perceptível evolução. Não sei se para o bem ou para o mal, mas o fato é que o pessoal tem influências fortíssimas da escola norte-americana.

A banda também é do tipo "silêncio, caos, silêncio", ou seja: começam avassaladores, mandam seu recado e rapidamente se retiram. O pouco mais de meia hora de duração do disco causa danos estruturais no seu quarto ou sala. As composições são bem dosadas entre a velocidade extrema e as partes mais trabalhadas.

No entanto, honestamente falando, eles fazem um death metal bem feito, mas como foi posto no início, permanecem no lugar comum. Não há nada de realmente excepcional nesse material, o que pode ser uma das causas de a banda não ser tão conhecida, como também mencionado aí em cima.

O CD é bem gravado, com instrumentos todos audíveis e a capa do material é meio sem graça (apesar do logotipo bacana). E só. Contudo, apesar de ser um grupo que apenas fica na média, vale, E MUITO, procurar por toda a discografia da banda. Tá dado o recado.

Anasarca - Dying
Mighty Music - 2004 - Alemanha
http://www.myspace.com/287604563
(não sei se é oficial)

Tracklist
1. Hasten Death
2. Inside My Head
3. Final Goodbye
4. Anopheles
5. Blame Myself
6. Terminal
7. Aggressive Killer
8. Complete Surrender
9. Inflammation
10. Dying



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Anasarca"


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Dossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatosDossiê Guns N' Roses
A versão de Slash para os fatos

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Oito razões pra dormir com um bateristaPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensaGuns N' Roses: vídeo com "This I Love" ainda em 1992Pearl Jam: Jeff Ament quase optou por ser jogador de basquete

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.