Matérias Mais Lidas

Skank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de LeoniSkank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de Leoni

Iron Maiden: James LaBrie recusou audição para assumir o lugar de Bruce DickinsonIron Maiden: James LaBrie recusou audição para assumir o lugar de Bruce Dickinson

Dream Theater: Definitivamente, voltamos às nossas raízes, afirma James LaBrieDream Theater: "Definitivamente, voltamos às nossas raízes", afirma James LaBrie

Megadeth: Equipe queria que Ellefson ficasse quieto, desobedecer custou tudoMegadeth: Equipe queria que Ellefson ficasse quieto, desobedecer custou tudo

Dream Theater: confira A View From The Top Of The World, novo álbum da bandaDream Theater: confira "A View From The Top Of The World", novo álbum da banda

Judas Priest: Rob Halford revela qual é a sua música definitiva da bandaJudas Priest: Rob Halford revela qual é a sua "música definitiva" da banda

Eagles: guitarrista conta como foi gravado o memorável solo da canção Hotel CaliforniaEagles: guitarrista conta como foi gravado o memorável solo da canção "Hotel California"

Doom Metal: Os 10 melhores grupos, pela Classic Rock HistoryDoom Metal: Os 10 melhores grupos, pela Classic Rock History

Metal: 6 discos que serão lançados em novembro e merecem a sua atençãoMetal: 6 discos que serão lançados em novembro e merecem a sua atenção

Rock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvirRock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvir

Mayhem: fique longe das redes sociais, aconselha NecrobutcherMayhem: "fique longe das redes sociais", aconselha Necrobutcher

Scorpions: A balada Wind of Change foi composta pela CIA?Scorpions: A balada "Wind of Change" foi composta pela CIA?

Metal Sinfônico: os 25 melhores álbuns do gênero segundo a revista Metal HammerMetal Sinfônico: os 25 melhores álbuns do gênero segundo a revista Metal Hammer

Scorpions: ouça prévia de Peacemaker, single do novo álbumScorpions: ouça prévia de "Peacemaker", single do novo álbum

Slash: ouça The River is Rising, primeira música com Myles Kennedy em 3 anosSlash: ouça "The River is Rising", primeira música com Myles Kennedy em 3 anos


Tunecore 2

Saxon: Mais direto e pesado que seu antecessor

Resenha - Call to Arms - Saxon

Por Júlio André Gutheil
Em 20/10/11

Nota: 8

Às vezes eu considero o Saxon como uma das bandas mais injustiçadas da New Wave of British Heavy Metal. Eles foram tão importantes para o movimentos quanto as bandas que mais conseguiram destaque na mídia, como o Iron Maiden num exemplo clássico. Discos como "Wheels of Steel" (1980), "Strong Arm of the Law" (1980), "Denim and Leather" (1981), "Power & The Glory" (1983) e "Crusader" (1985) são até hoje considerados fundamentais dentro da história do Heavy Metal, sendo exemplos dos mais puros e genuínos do estilo.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Possivelmente a banda tenha caído num certo ostracismo na grande cena por causa de uma sequência de discos não tão bons, no final dos anos 80 e início dos 90, que pendiam ligeiramente para o Hard Rock que era o grande expoente da época. Não que tenham sido discos ruins, mas a alma do Saxon é Heavy Metal, simples mas de impacto. E quando resolveram voltar ao bom e velho metal no estilo inglês foram matadores, principalmente ao longo dos anos 2000, lançando verdadeiros petardos como "Lionheart" (2004), "Inner Sanctum" (2007) e "Into the Labyrinth" (2009).

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

E agora que adentramos em uma nova década o Saxon nos presenteia com mais um álbum muito bom. "Call to Arms" é menos pomposo que seu antecessor, mais direto, mais pesado. Na minha primeira audição do disco fiquei com a leve impressão de estar ouvindo um disco dos anos 80, só que melhor gravado e masterizado. De fato, tem um certo quê retrô permeando o trabalho, mas decididamente não pretende ser uma simples cópia do que foi feito no passado. Biff Byford, único membro fundador da banda, é um compositor muito competente e criativo, e tão apaixonado pelo Heavy Metal que jamais trairia a si mesmo e a seus fãs reciclando ideias deliberadamente.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A abertura fica a cargo do metalzão clássico 'Hammer of the Gods'. Música de riffs cortantes, firmes e sem firulas, um solo muito bom e o baterista Nigel Glockler mandando muito bem. Também é o primeiro single, e conta com um vídeo muito interessante, filmado em uma praia britânica, que garantiu uma clima muito especial a ele. A seguir temos 'Back in 79', mais lenta, meio arrastada, mas bastante classuda e cheia de estilo. E o mais legal da música é um coral de fãs da banda no refrão da música. Eu achei uma ideia genial, e vendo o vídeo da gravação desse trecho se nota a alegria daquela galera participando de um álbum de sua banda favorita. Demais!

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O nível continua lá em cima com 'Surviving Against the Odds', com seu riff contagiante e solo inspirado, tem uma batida empolgante e que dá uma vontade imensa de pular por aí.Um sonzaço! Logo depois vem uma com um quê meio místico, daquelas tradicionais da banda, com 'Mist of Avalon'. O que eu achei interessante nessa faixa é que ela é um metal bem normal, de guitarra afiada, baixo pesadão e bateria muito atuante, mas soa muito especial e diferenciada por causa desse tema arturiano que fascina muitos músicos britânicos. Um dos pontos altos do disco.

A faixa-título é outra bem cadenciada, de riffs muito pesados, e que na minha opinião tem um pouquinho de Sabbath (mas pode ser só impressão minha mesmo). Nessa vibe um tanto monolítica e cheia de personalidade temos outro belíssimo destaque. A energia volta em alta com 'Chasing the Bullet', aquele tipo de música pra se ouvir numa viagem de moto por uma estrada num dia ensolarado, um Heavy Metal britânico genuíno e da melhor qualidade.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

'Afterburner' me lembrou bastante a sonoridade do disco "Lionheart", bem mais acelerada que a média do disco todo e com um refrão mais melódico. As guitarras são matadoras e a bateria metralhante. Para bater cabeça! Na sequência chega uma que vai ser trilha de um vídeo-game, 'When Doomsday Come (Hybrid Theory)'. É uma boa música, de riffs mais discretos e construção um tanto simples, e não empolga tanto quanto outras. Mas de qualquer forma não faz feio e deve ser uma trilha interessante para o jogo.

Uma canção de levada muito bacana esta 'No Rest for the Wicked', que tem guitarras venenosas e cadencaidas sem serem lentas, linhas de bateria consistentes e segurras, junto com o baixo discreto mais muito competente. Outra ótima faixa. Na finaleira do play temos 'Ballad of the Working Man', que não é bem uma balada, já que flerta um pouco com o Hard Rock, mas aquela coisa meio suja do metal oitentista, sendo assim uma faixa muito interessante original. O solo é maravilhoso! E para fechar o festa com classe temos uma versão orquestrada da faixa-título. Vi por aí alguns fãs dizendo que não gostaram muito disso, que essa coisa de orquestrações não é a praia do Saxon. Mas olha, pessoalemnte eu adorei a versão, e até achei mais interessante ainda que a original. Realmente ficou muito bom. A ideia não é nada original dentro do metal, mas tratando-se do Saxon ficou algo até surpreedente! (de forma positiva, claro).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Uma coisa que se falava muito a respeito da sonoridade da banda era a respeito de a produção dos últimos três ou quatro álbuns ter ficado a cargo de Charlie Bauerfield, que tendo trabalhado com bandas como Blind Guardian e Gamma Ray teria deixado o Saxon soando como "metal alemão", com uma cara meio power/melódico que desgradava alguns fãs mais puristas. Mas dessa vez quem produziu o trabalho foi o próprio Biff, em parceria com Toby Jepson, e nisso se ouviu uma mudança considerável na forma como o disco soa, desta feita sendo 100% britânico. Não que isso seja melhor ou pior que do que quando Charlie trabalhava com a banda, é apenas uma curiosidade, e também uma prova de que Biff, o cabeça, não se prende a apenas um jeito de fazer música.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Um amigo meu me disse: "Saxon é um daqueles 'mais do mesmo' que não fica chato nunca". E é exatamente isso. O Saxon não lança uma obra prima, um clássico definitivo, desde os anos 80, mas mesmo assim sempre nos brinda com álbuns maravilhosos e cheios de vigor, que talvez pequem em originalidade mais latente e evidente, mas que não deixam a desejar nem um pouco.

Um dos bons lançamentos de 2011 que não faria feio na prataleira de nínguem que curta o bom e velho Heavy metal da terra da rainha. No Brasil foi lançado pela Hellion Records por um preço muito camarada! Garante o teu que vale muito a pena!

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O Saxon é:

Biff Byford – Vocais
Doug Scarratt – Guitarra
Paul Quinn – Guitarra
Nibbs Carter – Baixo
Nigel Glockler – Bateria

Track List:

1. Hammer of the Gods (04:23)
2. Back in '79 (03:28)
3. Surviving Against the Odds (03:01)
4. Mists of Avalon (05:02)
5. Call to Arms (04:29)
6. Chasing the Bullet (04:14)
7. Afterburner (03:06)
8. When Doomsday Comes (Hybrid Theory) (04:29)
9. No Rest for the Wicked (03:09)
10. Ballad of the Working Man (03:48)
11. Call to Arms (orchestral version) (04:28)


Outras resenhas de Call to Arms - Saxon

Saxon: Compre o "Call To Arms" sem medo de ser feliz

Saxon: Um bom disco que tem tudo para agradar os fãs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Saxon: o rock é ignorado pelo governo, só cuidam de balé e teatro, reclama ByfordSaxon: "o rock é ignorado pelo governo, só cuidam de balé e teatro", reclama Byford

Saxon: Suas 10 maiores músicas, pelo site Classic Rock HistorySaxon: Suas 10 maiores músicas, pelo site Classic Rock History

Rock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (23) para você ouvirRock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (23) para você ouvir

Saxon: Biografia sobre os 10 primeiros anos da banda inglesa, chega ao BrasilSaxon: Biografia sobre os 10 primeiros anos da banda inglesa, chega ao Brasil

1984: 15 grandes discos lançados em um dos anos mais impressionantes da música pesada1984: 15 grandes discos lançados em um dos anos mais impressionantes da música pesada

Covers: dez bandas de rock e metal que gravaram álbuns para homenagear seus ídolosCovers: dez bandas de rock e metal que gravaram álbuns para homenagear seus ídolos


Ao vivo: álbuns clássicos que você deveria conhecerAo vivo: álbuns clássicos que você deveria conhecer

Metal: você acredita na lenda do terceiro álbum? - Parte 1Metal: você acredita na "lenda do terceiro álbum"? - Parte 1

Metal Hammer: dez estranhas colaborações no metalMetal Hammer: dez "estranhas" colaborações no metal


Guns N' Roses: Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?Guns N' Roses
Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA


Sobre Júlio André Gutheil

Nascido em Feliz, interior do Rio Grande do Sul, de origem alemã e com 20 anos de idade. Grande fã de Blind Guardian, Paradise Lost e Opeth, além de outras várias bandas de diversos estilos distintos. Pretende cursar jornalismo e também se dedicar o máximo possível à crônica do mundo Heavy Metal. Escreve no blog www.metalmeltdowndiscos.blogspot.com. Twitter: @jagutheil.

Mais matérias de Júlio André Gutheil.