Matérias Mais Lidas

A opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano BrownA opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano Brown

Por que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos TrilhaPor que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos Trilha

Youtuber expõe miséria que Spotify repassa a bandas de metal brasileiroYoutuber expõe miséria que Spotify repassa a bandas de metal brasileiro

A música do Metallica que Kurt Cobain não parava de pedir para Kirk HammettA música do Metallica que Kurt Cobain não parava de pedir para Kirk Hammett

Anitta explora rock e punk em nova música Boys Don't Cry, segundo revistaAnitta explora rock e punk em nova música "Boys Don't Cry", segundo revista

Chega de Angra e Megadeth: Quais as favoritas do Kiko Loureiro pra tocar de boa em casa?Chega de Angra e Megadeth: Quais as favoritas do Kiko Loureiro pra tocar de boa em casa?

Black Sabbath: o dia que o jardineiro de Iommi chamou álbum da banda de Eternal IdiotBlack Sabbath: o dia que o jardineiro de Iommi chamou álbum da banda de "Eternal Idiot"

Judas Priest: a surpreendente música que colocou a banda no mainstreamJudas Priest: a surpreendente música que colocou a banda no mainstream

O álbum que mudou vida de Tuomas Holopainen e possibilitou criação do NightwishO álbum que mudou vida de Tuomas Holopainen e possibilitou criação do Nightwish

Iron Maiden: veja Adrian Smith cantando Wasted Years durante show do Smith/KotzenIron Maiden: veja Adrian Smith cantando "Wasted Years" durante show do Smith/Kotzen

Legião Urbana: conheça o casal que inspirou Eduardo e Mônica, que virou filmeLegião Urbana: conheça o casal que inspirou "Eduardo e Mônica", que virou filme

A forte resposta de Cazuza para sua mãe ao ser questionado sobre sua orientação sexualA forte resposta de Cazuza para sua mãe ao ser questionado sobre sua orientação sexual

Kiko Loureiro e shows que fez doente com Megadeth e Angra; contando minutos pra voltarKiko Loureiro e shows que fez doente com Megadeth e Angra; "contando minutos pra voltar"

Black Sabbath: Tony Martin achou que fosse apanhar de Dio no primeiro (e único) encontroBlack Sabbath: Tony Martin achou que fosse apanhar de Dio no primeiro (e único) encontro

Kiko Loureiro comenta sobre sua perda de audição e aconselha fãs e músicosKiko Loureiro comenta sobre sua perda de audição e aconselha fãs e músicos


Stamp

Axel Rudi Pell: Seu grande problema é o repertório

Resenha - Crest - Axel Rudi Pell

Por Paulo Finatto Jr.
Em 20/03/11

Nota: 6

Embora possua um currículo de muita consistência, o guitarrista alemão AXEL RUDI PELL nunca conquistou o verdadeiro prestígio da crítica e do público. Em seu mais recente disco, intitulado "The Crest", os motivos desse ostracismo se mostram mais do que evidentes. Por mais que busque uma aproximação diferenciada com o hard rock, a empreitada do compositor germânico continua apontando para o que o metal melódico possui de mais cansativo e repetitivo. A consequência é que as músicas rasas se sobrepõem às poucas faixas que conseguem se destacar no álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na metade da década de oitenta, AXEL RUDI PELL conquistou certa notoriedade como músico do STEELER, grupo que o guitarrista abandonou quatro anos depois para iniciar a sua carreira independente. O alemão, considerado por muitos como um dos melhores guitarristas da sua geração (e consequentemente do seu país), chega ao décimo quarto disco de uma carreira extremamente produtiva. Porém, essa não é uma empreitada dedicada à música instrumental, mais ou menos como o sueco YNGWIE MALMSTEEN conquistou o seu prestígio ao redor do mundo. Pelo contrário. O artista germânico é acompanhado aqui por uma banda coesa e muito técnica – John Gioeli (vocal, HARDLINE), Volker Krawczak (baixo), Ferdy Doernberg (teclado) e o conhecidíssimo Mike Terrana (bateria, TARJA e ex-RAGE). Entretanto, a excelência técnica dos envolvidos não se reverte obrigatoriamente em um ótimo álbum.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Não há dúvidas de que "The Crest" comete poucos pecados. No entanto, o repertório construído (e produzido) por AXEL RUDI PELL está muito distante de ser o mais indicado, sobretudo para um quarteto de exposição internacional e que investe as suas fichas no que o metal apresenta de mais tradicional e de mais melódico. Em quase uma hora de música, são poucas (ou pouquíssimas) as faixas que verdadeiramente se destacam na obra. De um lado, a impressão que "The Crest" deixa é de que o guitarrista alemão poderia buscar uma sequência de composições mais inspiradoras dentro do gênero. De outro, a ausência de impacto sonora é nítida e compromete qualquer ambição mais comercial de AXEL RUDI PELL. O álbum deve agradar somente os fãs mais insistentes – e pouco críticos – do metal melódico tipicamente germânico.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

A faixa de abertura – intitulada "Too Late" – é precedida pela curta e introdutória "Prelude of Doom". De certo modo, essa composição pode ser apontada como um dos destaques do disco, praticamente por unir as principais virtudes de "The Crest" de uma vez só. Os arranjos de guitarra são diferenciados e podem ser mencionados como uma qualidade à parte (e presente no restante do álbum). As bases de teclado se contrapõem à crueza da voz de Gioeli. Por mais que se encontre com facilidade os pontos positivos da banda, as músicas carecem de arranjos mais inspirados e variações rítmicas. Na sequência, "Devil Zone" e, principalmente "Prisoner of Love", mostram grandes ideias, mas que precisariam ser mais bem lapidadas para um resultado verdadeiramente satisfatório. As faixas de "The Crest" são monótonas e certamente não resistirão ao tempo.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Embora mostre diversas características interessantes quando une o metal melódico às influências do hard rock – "Prisoner of Love" pode ser justamente apontada a melhor faixa do álbum por isso – o repertório de "The Crest" perde o pouco do seu brilho quando exagera em sonoridades extremamente básicas para o gênero. De um lado, "Dreaming Dead" é demasiadamente reta e não deve impressionar ninguém. De outro, a balada "Glory Night" não comete nenhum deslize, mas está longe de empolgar – até mesmo os menos exigentes. Por outro lado, "Dark Waves of the Sea (Oceans Pt. II The Dark Side)" – com exatos oito minutos – é a primeira faixa a mais densa e complexa do álbum. No entanto, ela se destaca somente (e obviamente) pelos ótimos solos assinados por AXEL RUDI PELL.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Não há dúvidas de que "The Crest" carece de músicas capazes de resumir a obra de AXEL RUDI PELL em faixas de impacto mais imediato. Em razão disso, a sequência final do disco passa em branco sem chamar a atenção de ninguém. De um lado, "Burning Rain" é reta demais e evidencia novamente a ausência de criatividade. A instrumental (e clássica) "Noblesse Oblige (Opus #5 Adagio Contabile)" pode até cair no gosto de quem estuda guitarra. De outro (e por fim), "The End of Our Time" conta com uma intensidade acima da média, sobretudo nas melodias entoadas por John Gioeli. O resultado – mais uma vez – não foge do senso comum que cerca "The Crest" do seu início ao seu fim.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O resultado de "The Crest" pode ser interpretado por dois caminhos. O primeiro aponta para um disco coeso e bem executado. O segundo evidencia a ausência de criatividade e de ousadia, duas características extremamente importantes para as bandas que ainda insistem no metal melódico – gênero que já se encontra esgotado por fórmulas repetidas imensamente. A dicotomia avaliativa do mais recente álbum de AXEL RUDI PELL deve dividir inclusive opiniões e mostrar o porquê da sua carreira ainda não possuir uma abrangência mundial. Não é só com músicos competentes que se constroi um excelente álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track-list:

01. Prelude of Doom (Intro)
02. Too Late
03. Devil Zone
04. Prisoner of Love
05. Dreaming Dead
06. Glory Night
07. Dark Waves of the Sea (Oceans Pt. II The Dark Side)
08. Burning Rain
09. Noblesse Oblige (Opus #5 Adagio Contabile)
10. The End of Our Time

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock e metal: 5 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (30) para você ouvirRock e metal: 5 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (30) para você ouvir

Metal: ouça os principais lançamentos da semanaMetal: ouça os principais lançamentos da semana


Heavy Metal: Alguns discos que são obras-primas pouco lembradasHeavy Metal: Alguns discos que são obras-primas pouco lembradas


Metallica: por que 9 entre 10 fãs odeiam Load e Reload?Metallica
Por que 9 entre 10 fãs odeiam "Load" e "Reload"?

Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaOut
Os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre

Mais matérias de Paulo Finatto Jr..