Charm City Devils: Aposta segura (até demais) de Nikki Sixx

Resenha - Let's Rock-N-Roll - Charm City Devils

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Felipe Kahan Bonato
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Lançado via Eleven Seven Music pelo baixista do MOTLEY CRUE, Nikki Sixx, responsável também pelo nome da banda, os americanos do CHARM CITY DEVILS apresentam seu debut em 2009, trazendo uma boa coletânea de hard rock, reproduzindo quase que de maneira covarde o som do AC/DC, JET, SOUL DOCTOR, entre outros.
5000 acessosAskmen.com: site elege as dez melhores músicas do Nirvana5000 acessosAnitta: "Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Realmente, o som da banda resgata grandes ídolos do rock, como na faixa título que abre o disco e que lembra muito “Highway To Hell”, do AC/DC. A semelhança não se baseia somente nos vocais, mas na construção da faixa que inclui seu refrão. Em “House of Fire” o mesmo estilo persiste, mas em maior intensidade, bem marcada pela bateria. “10,000 Miles” carrega mais uma vez o mesmo vocal, porém mais rasgado e com guitarras mais sujas, remetendo mais ao SOUL DOCTOR. Em “Best Of The Worst”, outro single do conjunto, tem-se uma balada mais emocional e introspectiva, resultando em uma bela faixa.

“True Love”, por sua vez, recorta muito claramente o QUEEN em seu início, mas consegue se desprender com a voz de Allen e a guitarra solo ao final. “Money” investe em algo menos trabalhado e mais direto, soando como “My Devil's Song”, do POETS & PORNSTARS. “One Day” tem mais swing, é pegajosa e moderna, mas prossegue sem traço algum de originalidade, o qual surge na temática de outra faixa lenta, “Almost Home”, que versa sobre a doença da mãe do vocalista, mostrando como a banda lida de um modo diferente com as letras. Outra amostra disso é o conteúdo forte de “Night Is Dark”, que consegue ser lenta, pesada, mas sem se distanciar do que o BLACK SABBATH sempre fez, como fica evidente no solo vocal. “Pour Me” também segue com uma melodia mais suja, a exemplo de sua precedente e de “10,000 Miles”, porém mais grave. “Burn Baby Burn” retorna às influências punk, abusando de uma face sleaze ainda não evidenciada, mas que acaba fechando a retrospectiva trazida pela banda.

De fato, o grande pecado do CHARM CITY DEVILS é a descarada repetição, embora competente, de algo já existente. Sem criar e expor sua identidade pessoal, os americanos se posicionam em uma zona de conforto, na qual protegem a criatividade de suas composições. Não se trata de um CD entediante, mas de ideias excessivamente plagiadas de outras canções. No entanto, não sei se por coincidência, a segunda metade do disco começa a ter andamentos mais diferentes e que fogem um pouco da principal crítica exposta.

Dessa forma, a aposta pode ser justamente no futuro da banda, que certamente consegue fazer um hard rock de alto nível, com uma voz versátil ao seu dispor, um baixista a altura do líder de sua gravadora e um entrosamento de guitarras e bateria muito interessante. Assim, vale esperar pelo próximo álbum porque, pelo primeiro, pode-se afirmar que Nikki Sixx acabou errando, ainda mais com tantos lançamentos bons que chegaram ao mercado naquele ano.

Integrantes:
John Allen - vocais
Nick Kay - guitarra
Victor Karrera - guitarra
Anthony Arambula - baixo
Jason Heiser - bateria

Faixas:
1. "Let's Rock-N-Roll (Endless Road)"
2. "House Fire"
3. "10,000 Miles"
4. "Best Of the Worst"
5. "True Love (Hell Yeah)"
6. "Money"
7. "One Day"
8. "Almost Home"
9. "Night Is Dark"
10. "Pour Me"
11. "Burn Baby Burn"

Gravadora: Eleven Seven Music

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Charm City Devils"

NirvanaNirvana
Site elege as dez melhores músicas do grupo

AnittaAnitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

The OsbournesThe Osbournes
Sharon conta como Ozzy tentou assassiná-la

5000 acessosFotos de Infância: Gene Simmons, do Kiss5000 acessosSlipknot: Ana Maria Braga surpreende em abertura do Mais Você5000 acessosSepultura: O solo de Eloy que fez o RIR aplaudir o Gloria5000 acessosGlenn Danzig: "apanhei de propósito", diz sobre vídeo5000 acessosAerosmith: tocante homenagem a Chris Cornell com "Dream On"5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose se aposentará após turnê de reunião?

Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online