Cain's Offering: Um álbum que merecia maior divulgação

Resenha - Gather the Faithful - Cain's Offering

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Dehco De La Vega
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Sempre fui fã de Heavy Metal Melódico, porém nunca admirei o ostracismo que impera dentro do estilo. Existem inúmeras bandas que não possuem nada, exatamente nada de originalidade, e, muitas vezes, se superam na ausência de técnica e bom gosto. Este não é o caso de "Gather the Faithful", dos finlandeses que integram o "Cain's Offering", do ano de 2009, lançado pela Frontier Records. Não é um disco inovador e que mudará a história do Heavy Metal, mas estará entre os favoritos de muitos ouvintes, com certeza.
5000 acessosBon Jovi: chocando companheiros de banda com confissão5000 acessosFotos de Infância: Gene Simmons, do Kiss

Quando lemos o line-up da banda, encontramos os renomados Timo Kotipelto (vocalista do "Stratovarius") e Jani Liimatainen (ex-guitarrista do "Sonata Arctica"), além de Mirkko Harkin (ex-tecladista do "Sonata Arctica"). Completam o time Jukka Koskinen, nas quatro cordas, e Jani Hurula, tocando bateria na velocidade da luz. Não espere encontrar nada em exagero no disco: não há excesso de solos com infinitas notas, mas também não deixam de estar presentes; não há incontáveis coros tentando soar como Blind Guardian, mas as vozes não são "cruas"; há músicas cadenciadas, arrastadas e rápidas, bem como baladas de altíssimo nível. Tudo isso junto, com muita musicalidade e bom gosto.

A bolacha se incia com "My Queen of Winter". A inevitável comparação surge. Lembra muito o "Sonata" dos primeiros álbuns. Neste caso, a comparação é boa e não deixará os fãs mais radicais desapontados. Melodias de teclado acertadas e com belos timbres, riffs rápidos e com peso, um refrão que fica na sua cabeça como se fosse um jingle de loja de departamento, variando ao longo da canção entre levadas constantes de pedal duplo e momentos mais lentos. Não fica pra trás a próxima faixa, "More than Friends": riffs cativantes de guitarra com um certo swing, além de um pré- refrão bastante original, fazem a diferença na música.

Na sequência, "Oceans of Regret". Sem dúvida um dos pontos altos do disco. Tem de tudo e do melhor. Melodias de voz de arrepiar, riffs pesados, riffs com swing, riffs técnicos, variações rítmicas interessantes e, claro, é veloz, afinal o "cabeça" da banda é Jani. Aliás todas as composições são dele. Confesso que acho Timo Kotipelto um pouco repetitivo, sem muito sentimento, mas nessa faixa, meu Deus, o cara acertou na veia. O refrão é muito bom, com melodias de voz muito bem encaixadas na harmonia, que não é "quadrada" ou "clichê"; é daqueles que você nem terminou de ouvir e já está voltando para ouvir de novo, com um sorriso no rosto. Os solos são também muito bons, e o tecladista Mirkko mostra bastante feeling. Outro ponto que fortalece a composição é a letra, muito inspirada. Na verdade, no trabalho todo as letras são boas, fugindo daquela temática fantasiosa que teima em ser "obrigatória" no metal melódico.

A faixa título é instrumental, bem conceituada e curta. Não possui solos eivados de delírios megalomaníacos. Ao invés disso, traz uma imposição rítmica e harmônica bem trabalhada, que não se torna cansativa. É seguida pela primeira balada, "Into the Blue". A melodia de voz é melosa, mas na medida certa. O ponto negativo fica para as linhas de baixo, bastante pobres e com um timbre, às vezes demasiadamente "metálico", que não consegue me agradar, sinceramente. Mais uma vez a letra é o ponto forte e Kotipelto mostra a razão porque é renomado.

"Dawn of Solace". A mais rápida do álbum, sem sombra de dúvidas. A bateria é fulminante do começo ao fim, literalmente, desde a introdução até um pouco antes do final, momento em que Hurula dá um show nas viradas e põe muita batera de nome na manga. Os fãs de "Sonata Arctica", antigo Stratovarius, vão entrar em êxtase ao cantar as melodias. Outra vez, não é exagero, a letra se destaca, além dos solos e riffs numa velocidade alucinante. Outro bom momento do álbum vem a seguir, com "Thorn in my Side": mais cadenciada e com uma bateria eletrônica disparada, porém, claro, com muito bom gosto. Os riffs de guitarra são bastante simples, mas bem pesados e bem "pra cima". As linhas de voz estão entre as melhores do disco.

Na sequência "Morpheus in Masquerade", a música mais longa da bolacha, tem uma enxurrada de melodias de voz que não se repetem, mudando constantemente. Alguns violões e bons teclados se alternam, trazendo um clima diferente do que se viu até agora.

"Stolen Waters" é outro ponto excelente do disco, tudo em harmonia: peso e melodia, velocidade e cadência. É aquela música que você escuta durante um ano seguido no carro e não se cansa. E se você estava pensando que Jani ia segurar a mão na fritação das seis cordas, enganou-se. Não há piedade, é palhetada alternada na velocidade da luz todos os instantes!
O final do álbum é uma balada de piano e voz, muito, mas muito bonita. A letra é, mais uma vez, muito boa. Curta e sem enrolação, a música termina o disco de maneira magistral.

Existe também uma faixa bônus, para o Japão, que lembra bastante a música de abertura, com boas melodias de voz. O que vale ressaltar nessa faixa é o solo de guitarra. Jani mostra que é um excelente guitarrista, com muita técnica e bom gosto, virtuoso, mas sem ser exagerado. O cara manda bem em sweep, palhetada alternada, two hands, hammers on e pull offs, afina bem os bends... assim vai...

Resumindo, o álbum é indispénsável para os fãs de Heavy Metal Melódico. Se você procura belas melodias de voz e riffs pesados, você não vai se decepcionar. O único ponto negativo é o baixo, que, apesar de bem mixado, não corresponde ao resto da banda. O destaque fica por conta de Jani Liimatainen, que cada vez mais se mostra um excelente guitarrista e compositor, tanto nos arranjos quanto nas letras, repletas de técnica e bom gosto. Não há discussão de que esteja mais maduro. Os fãs dos álbuns antigos do Sonata Arctica irão fazer abaixo-assinados para que o ruivão das seis cordas retorne para banda... Nota 10, sem dúvidas!

Track list:
1.My Queen Of Winter - 4:15
2.More Than Friends - 4:20
3.Oceans Of Regret - 6:21
4.Gather The Faithful - 3:50
5.Into The Blue - 4:25
6.Dawn Of Solace - 4:18
7.Thorn In My Side - 4:07
8.Morpheus In A Masquerade - 6:51
9.Stolen Waters - 4:35
10.Tale Untold (Bonus track for Japan) - 4:08
11.Elegantly Broken - 2:46

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Gather the Faithful - Cain's Offering

1450 acessosCain's Offering: jóia rara no já desgastado power melódico

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Cain's Offering"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Cain's Offering"

Bon JoviBon Jovi
Chocando companheiros de banda com confissão

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Gene Simmons, do Kiss, muito antes da fama

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1984

5000 acessosAnitta: "Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."5000 acessosClassic Rock: as 10 melhores baladas dos anos 805000 acessosGaleria - Mais que instrumentos, obras de arte4745 acessosRonnie James Dio: "não sou satanista", disse em entrevista a Sam Dunn5000 acessosGuns N' Roses: o sucesso que a mídia forjou e destruiu - Parte 15000 acessosZombie: "gravadoras, dinossauros aguardando a morte"

Sobre Dehco De La Vega

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online