Empires of Eden: Marcando a discografia do Power Metal

Resenha - Reborn In Fire - Empires of Eden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Henrique de Assis Faria
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O EMPIRES OF EDEN é um projeto de Power Metal Australiano que teve início em meados de 2008 na cidade de Sydney. Um ano depois, houve o lançamento do primeiro CD chamado "Songs of War and Vengeance". O projeto é encabeçado pelo guitarrista e produtor Stu Marshall, que apesar de não ser muito conhecido do grande público, conta com grande prestígio no cenário do metal mundial. Uma prova disso é o line-up do mais novo trabalho da banda, "Reborn In Fire", que conta com os vocalistas renomados Mike Vescera, Zak Stevens e o brasileiro Carlos Zema.
5000 acessosQueen - Perguntas e Respostas5000 acessosMetallica: as 10 melhores músicas segundo a Loudwire

Não é de hoje que a combinação Power Metal/Metal Melódico & Sinfonias estão em alta. Sem dúvida o mais famoso deles é o alemão AVANTASIA, e aqui no Brasil temos o SOULSPELL METAL OPERA, que embalam o público com seu Dream Team do metal. Na mesma linha o EMPIRES OF EDEN mostra que o estilo também está em alta, pelos lados da longínqua Austrália.

Neste segundo CD, com o nome de “Reborn In Fire”, temos uma abertura em grande estilo com a música “Of Ligth and Shadows”, brilhantemente cantada pelo mestre MIKE VESCERA (LOUDNESS, YNGWIE MALMSTEEN e DR. SIN) com seu timbre marcante e agudos potentes, lembra os memoráveis anos 90 no MALMSTEEN, e tudo isso com quase 50 anos de idade.

Logo em seguida vem a ótima “Enter the Storm” com o vocalista Louie Gorgievski, que havia participado do primeiro CD do grupo e que agora retorna. O frontman tem ótima desenvoltura nos vocais e o destaque da faixa fica por conta do instrumental, que duela solos de guitarra e teclados à la STRATOVARIUS e tornam a música um verdadeiro presente aos fãs de Power Metal.

A terceira faixa faz fielmente jus ao seu nome, “Total Devastation” interpretada de forma furiosa por Sean Peck (Cage), abusando dos agudos e drives no vocal. A bateria e as guitarras vão no mesmo ritmo acelerado. Sem dúvida essa música é uma das melhores do álbum.

Em seguida temos “Prognatus Ut Obscurum” dessa vez na voz de um velho conhecido do público brasileiro, o vocalista Zak Stevens (SAVATAGE e SOULSPELL METAL OPERA). A música explora bastante a união do Power Metal com sinfônico, e Zak como sempre manda ver no microfone, acompanhado de solos e riffs impecáveis de Stu Marshall (PAINDIVISION e DUNGEON).

Na quinta faixa temos a primeira balada do disco, a homônima “Reborn In Fire”, interpretada pela promissora dupla Mike Zoias e Chris Ninni, que fazem da canção uma bela demonstração de Metal melódico com consideráveis nuances em Hard Rock.

Posteriormente temos “Beyond Daybreak” com o notório vocalista Steve Grimmett (GRIM REAPER e LIONSHEART) com timbre semelhante ao do companheiro de projeto Mike Vescera, ele realiza uma grande participação.

A sétima chama-se “Death Machine”, com letra emblemática e novamente o vocalista Louie Gorgievski. O destaque no entanto, fica para o instrumental, pois com interessantes harmônicas nas guitarras e um linha de bateria impecável de Jasix Prowlingwolf, a música é mais uma ‘paulera’.

A oitava e penúltima, trata-se de “Searching Within”, que conta pela terceira vez com Louie Gorgievski, a música tem uma pegada Power moderna, com solos de guitarra virtuosos e cheio de arpejos.

E finalmente para ‘fechar com chave de ouro’ temos mais uma balada, “Rising”, cantada pelo vocalista brasileiro Carlos Zema (HEAVEN’S GUARDIAN, VOUGAN e OUTWORLD), que de ‘garoto prodígio’ no final dos anos 90, ainda em Goiânia se tornou uma realidade com renome nos EUA. Também não é por menos, seu vocal marcante, repleto de técnicas torna a música uma linda balada de Metal melódico.

Apesar de ter sido um álbum com pouca penetração na grande mídia metálica, sobretudo no Brasil, “Reborn In Fire” é um daqueles trabalhos que marcam a discografia do Power Metal. O CD não tem ressalvas, sem exageros um dos melhores álbuns do ano, não perdendo em nada para “Wiched Symphony” do AVANTASIA. O trabalho mesclou divinamente consagrados e novos nomes do metal, e intercalou músicas com propostas modernas ao estilo, sem fugir de suas raizes.

Contatos:
http://www.myspace.com/empiresofeden
http://www.myspace.com/stumarshall

Membros:
Stu Marshall - Guitarras, baixo & arranjos orquestrais
Mike Vescera - Vocais
Zak Stevens - Vocais
Carlos Zema - Vocais
Steve Grimmett - Vocais
Sean Peak - Vocais
Louie Gorgievski - Vocais
Chris Ninni - Vocais
Mike Zoias - Vocais
Jasix Prowlingwolf - Bateria
Bobby Williamson - Teclados

Empires of Eden – Reborn In Fire (2010 - 7hard Records - USA – UK
Europe/ Rockstar Records - Australia)

01. Of Light And Shadows
03. Total Devastation
04. Prognatum Ut Obscurum
05. Reborn In Fire
06. Beyond Daybreak
07. Death Machine
08. Searching Within
09. Rising

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Hell DivineHell Divine
Revista elege 10 discos para sair da mesmice

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Empires of Eden"

QueenQueen
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

MetallicaMetallica
As 10 melhores músicas segundo a Loudwire

Led ZeppelinLed Zeppelin
A origem do anjo símbolo da banda

5000 acessosDavid Bowie: lendário cantor morre, aos 69 anos de idade5000 acessosAerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro5000 acessosThe Voice: candidato canta Slipknot e passa para a próxima fase5000 acessosUltraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones5000 acessosAnimais e rockstars: você consegue identificar quem é quem?3834 acessosÁlbuns Homônimos: algumas pérolas que levam o mesmo nome da banda

Sobre Paulo Henrique de Assis Faria

Paulo Henrique tem 27 anos, é jornalista e mora em Goiânia. Suas especialidades são o jornalismo cultural, sobretudo o jornalismo de rock. Já fez parte do programa de televisão ¨Tribos do Rock¨. Fã assíduo de rock é vocalista de duas bandas goianienses, a Opus Hominis (Power Metal) e Black Griffin (Hard Rock e Heavy Metal).

Mais matérias de Paulo Henrique de Assis Faria no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online