RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO hit dos Titãs composto por Nando Reis que Renato Russo não entendeu e achou ofensivo

imagemO dia que Marcelo Nova perguntou para Raul Seixas se existe coisa melhor do que mulher

imagemA clássica canção que fez tanto sucesso que nem Nick Mason consegue mais ouvir

imagemA resposta de Rafael Bittencourt a quem diz que Angra deveria parar por baixa relevância

imagemBlaze Bayley aparece pela 1ª vez após cirurgia no coração e faz promessa aos fãs

imagemA qualidade do Megadeth vem diminuindo nos últimos anos, diz David Ellefson

imagemLista: 15 músicas que não são metal e podem animar o seu churrasco

imagemGrupo coreano faz versão de "Admirável Chip Novo" e surpreende com português impecável

imagemA incrível música do Black Sabbath que Geezer Butler achou "comercial demais"

imagemNey Matogrosso reflete sobre não ter contraído HIV mesmo tendo contato com quem tinha

imagemO vício secreto de John Lennon durante a gravação de seu último álbum

imagemO ritual assustador no show do Queen que apavorou o Kid Abelha no Rock in Rio de 1985

imagemO dia que Janis Joplin aprontou uma nojenta vingança contra os Rolling Stones

imagemDe surpresa, o Slipknot lançou um EP de estúdio com seis faixas

imagemOs discos do Slayer, do pior para o melhor, em ranking da Revolver Magazine


Anunciar

Apokalyptic Raids: honestidade e honra no underground

Resenha - Vol. 4; Phonocopia - Apokalyptic Raids

Por Écio Souza Diniz
Postado em 24 de outubro de 2010

Mais que grande garra em manter o espírito oitentista do Death/Black Metal, o APOKALYPTIC RAIDS, se supera a cada lançamento, mostrando originalidade no que faz. Tendo já em seu currículo três grandes álbuns de estúdio, eles ganham cada vez mais espaço tanto fora quanto dentro do país. "Vol.4-Phonocopia", novo álbum dos cariocas, veio para firmar mais ainda o nome da banda entre os bangers, através das grandes composições que constituem este trabalho. A criatividade de Leon "Necromaniac" Mansur, que já produziu diversas bandas como DORSAL ATLÂNTICA, AZUL LIMÃO, FARSCAPE, FLAGELADOR, MUSTANG, entre outras, e sempre esteve à frente da banda, é algo excepcional para os padrões que o Metal segue atualmente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

A abertura do impecável set list, já se dá em grande forma com "Nightmare (In frost and fire)", (uma música bem típica da identidade do APOKALYPTIC RAIDS), seguida de "Stare into the abyss" (onde nota-se a influência de BLACK SABBATH, porém com originalidade). "Victim o' velocity", é rápida e direta, seguida pelo clima mais arrastado de "Remember the future", onde a influência de SABBATH atinge sua forma mais explicita. A atmosfera tensa é evidenciada em 'The revenge of history'. A rápida "Priest of evil" (que relembra muito a agilidade das músicas do segundo álbum, "The return of the satanic rites"), e a cadenciada "Cruficy the agnostic", tem elementos que relembram com exatidão o estilo denso e agressivo de HELLHAMMER e CELTIC FROST. "A world without a danger", mostra um ritmo mais compassado, com riffs mais soturnos e muito bem dispostos. Uma pegada marcante e meio punk, é vista em "The unquiet grave" (destaque para a cozinha do baixo e bateria). O encerramento se dá com maestria através de "Nothing will happen" (portadora da melhor performance vocal do álbum), que além de sua alta qualidade, traz escondida um cover para "Crucifiction" do HELLHAMMER. Em suma, um álbum pra constar na coleção de todo Headbanger que se preze. Mais uma vez, saudemos esta banda, que represente com honestidade e honra o underground nacional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Hell Music/Moribundo Records

Mais informações: www.apokalypticraids.com

Faixas:
Leon Manssur ‘Necromaniac’– Guitarra/Vocal
Vinícius Canabarro ‘HellPreacher’ – Baixo
Márcio Cativeiro ‘Slaughterer’ – Bateria

1. Nightmare (In Frost and Fire)
2. Stare Into the Abyss
3. Victim O'Velocity
4. Remember the Future
5. The Revenge of History
6. Priest of Evil
7. A World Without Danger
8. Crucify the Agnostic
9. The Unquiet Grave
10. Nothing Will Happen

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Facchini Medeiros | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Écio Souza Diniz

Graduado em Ciências Biológicas e pesquisador na área de Ecologia e Evolução vegetal, sempre foi aficionado por leituras sobre o mundo do Rock/Metal. Além do metal, tem como paixões filmes de terror e épicos. Já participou como vocalista de várias bandas de Death/Grind, mas como nenhuma vingou se encontrou melhor em redigir matérias, fundando há alguns anos atrás o Pólvora Zine. Colabora também com vários sites especializados e com a revista Roadie Crew. Suas bandas preferidas são Iron Maiden, Black Sabbath, Dio, Dorsal Atlântica, Candlemass e Sarcófago.
Mais matérias de Écio Souza Diniz.