Zilla: moderno mas citando os primórdios da música extrema

Resenha - Pragmatic Evolution - Zilla

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Que beleza de debut! Formado em 2002 no Distrito Federal, o Zilla - nome exótico com vários significados: certo tipo de formação de teia de aranha, ou 'sombra' no velho aramaico, ou 'resistência' para a própria banda - começou suas atividades tendo o Hardcore como proposta. Mas, com a passagem do tempo e as mudanças em sua formação, a sonoridade foi se orientando para os lados do Thrash até se estabilizar no atual Death Metal Melódico.

Humor: Não basta ouvir Master Of Puppets para ser ThrashPara tocar: O que são tablaturas e como usá-las?

Após liberar duas demos, o Zilla está agora estreando com "Pragmatic Evolution", que, como dito, quase perfeitamente tipifica o som Death Metal Melódico como todos o conhecem. Mas sua matéria prima também avança por arranjos mais complexos que praticamente adentram pelo lado progressivo da coisa, funcionando muito bem em favor do grupo, principalmente por atingir uma profundidade que simplesmente adiciona o tão necessário apelo que qualquer bom álbum sempre possuirá.

Arranjos modernos que, paradoxalmente, deixam transparecer algo dos primórdios da música extrema, solos exemplares e um vocalista sempre muito ríspido mostram uma banda formada por músicos jovens tocando de forma impecável, mas com uma técnica que evita sobrepujar a emoção. Composições como "Neverending Violence", "Down The Edge", a faixa-título ou "March To The Abyss" mostram um pouco do poder de fogo oferecido por este incrível repertório.

Gravado no Broadband Productions, o produtor Caio Duarte (também vocalista do Dynahead) continua extraindo muito das bandas com que trabalha, tendo como resultado final um áudio encorpado, definidíssimo e com timbres muito bem escolhidos. Também vale mencionar a arte do disco, de bom gosto e elaborada pelo próprio guitarrista Mark Nagash. Finalizando, "Pragmatic Evolution" possui tal magnitude que merece um destino apropriado, que preferencialmente remova o Zilla da obscuridade de nosso underground.

Contato: www.myspace.com/zillametal

Formação:
Lucas - voz
Mark Nagash - guitarra e vozes limpas
Roberto Bodão - guitarras
Wagner - baixo
Victor - bateria

Zilla - Pragmatic Evolution
(2010 / independente - nacional)

01. Intro - Disconnection
02. Neverending Violence
03. Down The Edge
04. Comfortable Pain
05. Pragmatic Evolution
06. Day To Crawl In Darkness
07. Inner Vision
08. March To The Abyss
09. Massacre
10. Nothing But Chaos
11. Outnumbered




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Zilla"


Humor: Não basta ouvir Master Of Puppets para ser ThrashHumor
Não basta ouvir Master Of Puppets para ser Thrash

Para tocar: O que são tablaturas e como usá-las?Para tocar
O que são tablaturas e como usá-las?

Separados no nascimento: Ritchie Blackmore e Mr. BeanSeparados no nascimento
Ritchie Blackmore e Mr. Bean

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso

Marilyn Manson: Sou ainda pior fora do palcoMarilyn Manson
"Sou ainda pior fora do palco"

Fones de Ouvido: de R$ 200 a 5000, os melhores para o seu celularFones de Ouvido
De R$ 200 a 5000, os melhores para o seu celular

Melissa Reese: sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a elaMelissa Reese
Sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a ela


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336