Old Man's Child: Black Metal implacável em sua proposta

Resenha - Slaves Of The World - Old Man's Child

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Ainda que seja um importante personagem no Dimmu Borgir, o incansável norueguês e multinstrumentista Galder nunca abriu mão de continuar trabalhando paralelamente com o Old Man's Child, que está colocando na bagagem seu sétimo álbum de estúdio desde que iniciou suas atividades em 1993. Aportando no Brasil via Shinigami Records, certamente "Slaves Of The World" chega para aumentar ainda mais o brilho que sua discografia já vem adquirindo há algum tempo.

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Tendo o baterista Peter Wildoer (Pestilence, Darkane, Arch Enemy) como parceiro, Galder continua detalhista no momento de compor. Ainda que se encaixe dentro dos parâmetros do Black Metal Melódico, a cada disco o Old Man's Child vai aperfeiçoando e aprimorando sua arte, adotando um número crescente de influências dentro do universo metálico, sendo que "Slaves Of The World" tem como ponto mais forte o trabalho das guitarras, com riffs que remetem diretamente ao Thrash Metal, além de muitas harmonias e solos incríveis.

Ainda que geralmente não tenha real foco, os teclados são utilizados com habilidade, em especial para conferir as bombásticas seções sinfônicas que, aliadas a várias passagens melancólicas, criam uma espécie de compensação para toda a singular agressividade compacta, sempre presente nos trabalhos do Old Man's Child. O repertório é bastante consistente, em especial pela inclusão de canções como "Path Of Destruction", com belas transições acústicas que explodem em pura distorção; seguidas por "Saviours Of Doom" e as excelentes "On The Devil's Throne" e "Ferden Mot Fienden's Land".

Independente das compreensíveis comparações com o Dimmu Borgir, é fato que o Old Man's Child possui seus méritos. E muitos, mesmo que "Slaves Of The World" esteja longe de apresentar algum tipo de inovação para o Heavy Metal. A produção é grandiosa e, embora os puristas venham a discordar, este disco simplesmente se sustenta por ser implacável em sua proposta. Indicadíssimo aos amantes do Black Metal contemporâneo!

Contato: www.myspace.com/officialoldmanschild

Formação:
Galder - voz, guitarras, baixo e teclados
Peter Wildoer - bateria

Old Man's Child - Slaves Of The World
(2009 / Century Media Records - 2010 / Shinigami Records - nacional)

01. Slaves Of The World
02. Saviours Of Doom
03. The Crimson Meadows
04. Unholy Foreign Crusade
05. Path Of Destruction
06. The Spawn Of Lost Creation
07. On The Devil's Throne
08. Ferden Mot Fienden's Land
09. Servants Of Satan's Monastery




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Old Mans Child"


Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses

AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusAC/DC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Megadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatosMegadeth
Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

Preconceito: dificuldades de ser roqueiro em cidade do interiorPreconceito
Dificuldades de ser roqueiro em cidade do interior

Quando shows dão errado: 25 apresentações desastrosasQuando shows dão errado
25 apresentações desastrosas

Deus ouve Slayer: fotógrafa mostra base de fãs da banda em livroDeus ouve Slayer
Fotógrafa mostra base de fãs da banda em livro

Kurt Cobain: Frances revela o que o faria chorar se ele estivesse vivoKurt Cobain
Frances revela o que o faria chorar se ele estivesse vivo


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336