Asphyx: Death e Doom Metal calcados na velha escola

Resenha - Death... The Brutal Way - Asphyx

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Desde que surgiu na Holanda de 1987, o Asphyx sempre proporcionou bons álbuns aos amantes da música extrema, tendo como obras mais carismáticas aquelas que trazem Martin Van Drunen (Pestilence) como vocalista - tanto que o galopante "Last One On Earth" (92) se tornou uma verdadeira referência em se tratando de Death Doom Metal liberado na década de 1990.

Iron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismoMetal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Porém, mesmo conquistando seu espaço pelo underground, as constantes mudanças em sua formação fizeram com que o Asphyx encerrasse suas atividades em três ocasiões, até que, em janeiro de 2007, o baterista Bob Bagchus e ninguém menos do que o lendário Martin Van Drunen resolvem novamente reativar o grupo, agora contando com Paul Baayens (guitarra) e Wannes Gubbels (baixo). Ok, parte do público até vinha questionando esta nova encarnação por não trazer o fundador Eric Daniels, guitarrista importantíssimo para a sonoridade do Asphyx, mas...

... A nova química funcionou muito bem! Com um nome de batismo bastante apropriado, "Death... The Brutal Way" é um sétimo álbum que mantém irretocável a filosofia da banda, com aquela colossal combinação de Death e Doom Metal totalmente calcada na velha escola. São características que já apareceram nos registros anteriores, mas executados com uma paixão tão palpável que mantém tudo distante da mera previsibilidade.

E é claro que as vocalizações torturadas e exclusivas de Van Drunen sempre farão muita diferença, inclusive ajudando a recapturar o melhor do que já foi oferecido pelo Asphyx nos velhos tempos. Assim, os 50 minutos de audição revelam a excelência de um repertório que tem em "Asphyx II (They Died As They Marched)" um verdadeiro hino imperial, seguida de perto por "Cape Horn", "Black Hole Storm" e as porradas mais velozes "Scorbutics" e "Eisenbahnmörser".

Agora é torcer para que "Death... The Brutal Way" não se resuma a um simples 'álbum de reunião'. O Asphyx continua muito bom para ficar apenas nisso. E também que a Kill Again Records concretize o anúncio de liberar esta pérola no mercado brasileiro, cuja versão contaria com um DVD registrando a apresentação dos holandeses no festival alemão Party San Open Air, em 2007, que marcou o retorno do grupo ao cenário. Estamos no aguardo!

Contato:
http://www.asphyx.nl
http://www.myspace.com/officialasphyx

Formação:
Martin Van Drunen - voz
Paul Baayens - guitarra
Wannes Gubbels - baixo
Bob Bagchus - bateria

Asphyx - Death...The Brutal Way
(2009 / Century Media Records - importado)

01. Scorbutics
02. The Herald
03. Bloodswamp
04. Death The Brutal Way
05. Asphyx II (They Died As They Marched)
06. Eisenbahnmörser
07. Black Hole Storm
08. Riflegun Redeemer
09. Cape Horn
10. The Saw, The Torture, The Pain




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Asphyx"


HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Iron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismoIron Maiden
Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismo

Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuaisMetal/Hard
Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Rock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985Rock In Rio
Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

Som ruim, fezes e urina: Um brinde à farsa de WoodstockKiss x Secos & Molhados: o fim da polêmicaHelloween: Dez perguntas respondidas por Andi DerisKiss: faixas essenciais para entender a banda nos seus 40 anos

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.