Hollow Ground: sem os clichês típicos do rock pesado

Resenha - Devir - Hollow Ground

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Prolífica Minas Gerais! Natural da cidade de Uberlândia e tendo iniciado suas atividades em 2006 sob o nome A Season In Hell, o atual Hollow Ground sempre procurou se desvencilhar dos clichês típicos do rock pesado, se agarrando a tal liberdade de expressão que conseguiu atingir uma musicalidade que foge do convencional.

"Devir" é o primeiro passo para mostrar as possibilidades sonoras do Hollow Ground. Sua música possui como cerne o rock, mas em várias ocasiões mesclado ao jazz (com direito a trompetes, trombones e saxofones), efeitos eletrônicos, flertes com a música clássica e pop, além de encarar muitas características do Heavy Metal extremo.

publicidade

Como não poderia deixar de ser, essa mescla de tantos fragmentos de outros gêneros musicais acaba resultando em algo um tanto quanto alternativo. São muitas mudanças de ritmos inesperadas, passagens calmas que explodem em pura distorção ou vice-versa, vocalizações das mais variadas, inclusive femininas, que usam a língua inglesa e portuguesa, e muito mais. Tudo é munição para seus inquietantes músicos experimentarem de alguma forma.

publicidade

Cada ouvinte encontrará seus atrativos neste repertório que oferece tantas combinações. Por ora, este escriba fica com a caótica abertura "Collision Course", com influências que vão do Slayer ao Alice In Chains; a bonita balada cantada a duas vozes chamada "Longing" e, principalmente, "Straitjacket Memories", uma homenagem declarada a Villa Lobos e Dimebag Darrel (Pantera).

publicidade

"Devir" vem embalado em um digipak de cores vibrantes e proporciona uma audição que dificilmente será assimilada pelo grande público, mas este é o preço a se pagar por buscar um caminho mais artístico para sua carreira. Como a própria e ambiciosa banda assume: "... Hollow Ground é música de mente aberta para as pessoas de mente aberta...". Confira e tire suas conclusões!

publicidade

Contato: www.myspace.com/hollowgroundofficial

Formação:
Willian Guimarães - voz
Rodrigo ‘Chedder’ Nopomuceno - guitarra e programação
Thiago Oliveira - guitarra
Raphael Vaz - baixo
Moisés Marques - bateria (músico de estúdio)

Hollow Ground – Devir
(2010 / independente – nacional)

01. Collision Course
02. The Warm Green Mist
03. The Hollow Men
04. The Becoming
05. Longing
06. Straitjacket Memories
07. Outside In
08. Uatu – The Watcher
09. Waiting For The Season
10. O Fim

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Roger Waters e Richard Gere.Separados no nascimento
Roger Waters e Richard Gere.

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin