Arnaldo Baptista: vida retratada magistralmente em "Loki"

Resenha - Loki - Arnaldo Baptista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Pala Abeche
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Pergunte aos seus amigos roqueiros, quantos gostam dos Mutantes? Desses, quantos conhecem a fundo a obra da banda? Desses, quantos gostam de Arnaldo Baptista?

Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogasPower Metal: 10 álbuns essenciais do estilo

O gênio mutante é consagrado mundialmente, sendo ídolo de figuras como Sean Lennon, Kurt Cobain, David Byrne, só para citar alguns, mas aqui, em seu país, a história é um pouco diferente. Responsável pelas principais criações da banda mais original e inventiva da música brasileira, e por que não, umas das mais importantes do mundo? - o artista tem sua vida retratada magistralmente no documentário "Loki", dirigido por Paulo Henrique Fontenelle.

A abordagem começa com o grupo O'Seis (embrião dos Mutantes) e foca em boa parte na trajetória dos Mutantes, banda formada ao lado do irmão Sergio Dias e Rita Lee. O "boom" do Tropicalismo, a evolução musical do grupo, o envolvimento pesado com drogas, a turnê européia... está tudo registrado com uma infinidade de raras imagens de encher os olhos.

Como não poderia deixar de ser, há também o foco no curioso acidente que divide a vida do artista, onde Arnaldo cai pela janela de um hospital, deixando-o com graves sequelas.

Conforme o andar do documentário, Arnaldo pinta em uma tela imagens que remetam às passagens importantes de sua vida, é de arrepiar...

Ao contrário de muitos documentários, este chega a quase duas horas e o passar do tempo nem é percebido. Feito de maneira dinâmica, eficiente, com ótimas imagens, depoimentos de Tom Zé, Gilberto Gil, Sean Lennon, os ex-Mutantes Sergio, Liminha e Dinho, o longa emociona. Indico sem medo a todos que se interessam, o mínimo que seja, pela cultura brasileira, fãs de Mutantes ou não, independente do estilo musical/cinematográfico que apreciem.

Um filme essencial para conhecer este grande gênio brasileiro da música mundial. E também entender como a mídia pode auxiliar sim na reclusão de um grande mito. Afinal, se Arnaldo andar por aí hoje nas ruas paulistanas, ele seria mais reconhecido do que celebridades pop de hoje em dia, que conquistam muito mais prestígio da massa?

Julgado por muitos como "louco", termino com a frase do próprio: " Mas louco é quem me diz, e não é feliz... Eu sou feliz."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arnaldo Baptista"Todas as matérias sobre "Mutantes"


O Suprassumo do Superestimado: os 11 mais (ou menos) nacionaisO Suprassumo do Superestimado
Os 11 mais (ou menos) nacionais

Rita Lee: cantora detona ex-colegas dos Mutantes em biografiaRita Lee
Cantora detona ex-colegas dos Mutantes em biografia

Antonio Pedro Fortuna: Parte da história do rock nacionalAntonio Pedro Fortuna
Parte da história do rock nacional


Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogasVícios
As 10 melhores músicas sobre drogas

Power Metal: 10 álbuns essenciais do estiloPower Metal
10 álbuns essenciais do estilo

Slash: uso excessivo de drogas chocou David BowieSlash
Uso excessivo de drogas chocou David Bowie

Vegetarianismo: Nomes do Rock e do Metal que não comem carneNinguém é perfeito: os filhos "bastardos" de pais famososAC/DC e Axl Rose: o que Gene Simmons achou da parceria?Slipknot: Ozzy quis entrar pra banda segundo Corey Taylor

Sobre Daniel Pala Abeche

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.