Black Dahlia Murder: composições um pouco mais refinadas

Resenha - Deflorate - Black Dahlia Murder

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Ainda que obscuro entre o público brasileiro, o The Black Dahlia Murder já liberou um EP e três álbuns desde o início de sua carreira em 2000, nos Estados Unidos, e inclusive alguns garantem que estes discos até mesmo influenciaram várias outras bandas de Death Metal Melódico e Metalcore. Os últimos tempos foram marcados pelo fato de seu guitarrista e fundador John Kempainen partir em busca de outros objetivos, e cujo posto foi preenchido por Ryan Knight (Arsis).

Tradução: The Dark Side Of The Moon, do Pink FloydIron Maiden: a concepção original de Eddie

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assim sendo, após uma extensa turnê o The Black Dahlia Murder entrou em estúdio para gravar um novo trabalho. Apesar de a troca de guitarrista refletir em composições um pouco mais refinadas e com um nível técnico realmente elevado - em especial no que diz respeito aos solos - é fato que o repertório apresenta muito da musicalidade de seu antecessor, o respeitável "Nocturnal" (07).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ou seja, "Deflorate" é um álbum acelerado, com boas doses de groovy, passagens extremas recheadas com blastbeats e também melodias acessíveis, onde o humor negro de suas letras continua sendo guinchado ameaçadoramente por Trevor. E, com toda essa conhecida atmosfera, naturalmente há ótimas composições como as furiosas "A Selection Unnatural", "Eyes Of Thousand" e "I Will Return", além dos ótimos solos de "Denounced, Disgraced" e "Throne Of Lunacy".

O real inconveniente por aqui é que a audição beira pouco mais de 30 minutos, o que pode até mesmo ser encarado como certa 'preguiça' por parte da banda... De qualquer forma, os apreciadores do estilo e até mesmo alguns de seus detratores encontrarão por aqui todos os elementos que fizeram do Death Melódico e Metalcore estilos tão interessantes. Dificilmente poderá ser enquadrado como algo realmente original, mas em compensação possui tudo muito bem estruturado e cheio de energia.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Amenidades macabras: o termo The Black Dahlia Murder teve sua origem em um assassinato nunca desvendado que ocorreu na Hollywood de 1947. O matador não se limitou apenas em tirar a vida da jovem atriz Elizabeth Short... O elemento a dividiu na altura da cintura e drenou todo seu sangue antes de jogá-la em um terreno baldio. E um caso tipicamente hollywoodiano desses fatalmente resultou no filme "The Black Dahlia" em 2006, dirigido por ninguém menos que o mestre Brian De Palma.

Contato: www.myspace.com/blackdahliamurder

Formação:
Trevor Strnad - voz
Brian Eschbach - guitarra
Ryan Knight - guitarra
Bart Williams - baixo
Shannon Lucas - bateria

The Black Dahlia Murder - Deflorate
(2009 / Metal Blade Records - importado)

01. Black Valor
02. Necropolis
03. A Selection Unnatural
04. Denounced, Disgraced
05. Christ Deformed
06. Death Panorama
07. Throne Of Lunacy
08. Eyes Of Thousand
09. That Which Erodes The Most Tender
10. I Will Return


Outras resenhas de Deflorate - Black Dahlia Murder

Black Dahlia Murder: Death com fartas doses de melodia



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Dahlia Murder"


Death Metal: cinco bateristas do gênero que são insanosDeath Metal
Cinco bateristas do gênero que são insanos

Heavy Metal: 10 bandas com formações tumultuadasHeavy Metal
10 bandas com formações tumultuadas


Tradução: The Dark Side Of The Moon, do Pink FloydTradução
The Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd

Iron Maiden: a concepção original de EddieIron Maiden
A concepção original de Eddie


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336