Absu: identidade bem diferente do que se poderia esperar

Resenha - Absu - Absu

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Considerando que o norte-americano Absu colocou em sua discografia um álbum do porte de "Tara" (01) para logo depois encerrar suas atividades, confesso que foi uma grata surpresa saber que o vocalista e baterista Proscriptor reativou a banda com novos músicos para rapidamente entrar no processo de gravação de um disco inédito. E certamente há boa expectativa por aí para saber como tudo está soando nesta nova fase...

Batizado simplesmente como "Absu", seu quinto álbum de estúdio possui uma identidade musical bem diferente do que se poderia esperar. Onde tudo geralmente é apresentado de forma mais elaborada, o velho Thrash se esforça para aparecer, porém o que sobressai mesmo é uma evidente veia melódica típica do Black Metal. Outra grande diferença está nos teclados, agora apresentados de forma mais majestosa e conseguindo capturar muito da atmosfera dos tempos antigos.

publicidade

Ou seja, tudo está mais caótico e até mesmo tenso, e um claro exemplo onde se investiu nas tais sonoridades tão distintas de seu conhecido padrão fica por conta da interessantíssima "... Of The Dead Who Never Rest etc e tal", dividida em três partes, com corais, orquestrações e até mesmo com a inclusão de um solo de teclado inesperadamente ‘mezzo’ espacial – o que provavelmente provocará uma celeuma nos antigos admiradores de sua música.

publicidade

Com um grande número de músicos convidados (verificar lista no final do texto), é natural que a história criada por Proscriptor não desapareceria assim, de uma hora para outra, tanto que canções como as excelentes "Night Fire Canonization", "13 Globes" ou "Girra's Temple", remetem àquele ‘thrash esotérico’ que o antigo Absu elaborava com maestria.

publicidade

Após oito anos afastado da cena, o Absu continua fazendo uma música requintada e relevante, cujas antigas características estão bem diluídas em novas idéias para os arranjos, cuja fusão de Black, Thrash e até mesmo pitadas de Progressivo, conseguiu gerar um disco que vence em inúmeros pontos. Muito bom, e com previsão de chegar ao Brasil via Somber Music!

publicidade

Formação:
Proscriptor McGovern - voz, bateria e mellotron
Aethyris MacKay - guitarra, baixo e sintetizadores
Zawicizuz - guitarra e sintetizadores

Músicos convidados:
Blasphemer (Mayhem, Ava Inferi) - solos de guitarra em "Night Fire Canonization" e "Girra's Temple"
Michael Harris (Darkology, Michael Harris) - solos de guitarra em "In The Name Of Auebothiabathabaithobeuee" e "Those Of The Void Will Re-Enter"
David Harbour (King Diamond, David Harbour) - solo de sintetizador em "Our Earth Of Black"
Mindwalker (The Firstborn) - voz de fundo e corneta cerimonial tibetana em "13 Globes"
Nornagest (Enthroned) - voz de fundo em "Amy" e "Night Fire Canonization"
Vorskaath (Zemial) - voz de fundo, Brake Disc Gates, Greek Bell e Vibraslap em "Amy" e "Diversified Signs Inscribed"
Ashmedi (Melechesh) - letras de "Nunbarshegunu" e "Those Of The Void Will Re-Enter" e "Ye Uttuku Spells"
Equitant - Programação em "Twix Yesterday, The Day & The Morrow"

publicidade

Absu - Absu
(2009 - Candlelight Records / Somber Music - nacional)

01. Between The Absu Of Eridu & Erech
02. Night Fire Canonization
03. Amy
04. Nunbarshegunu
05. 13 Globes
06. ...Of The Dead Who Never Rest In Their Tombs Are The Attendance Of Familiar Spirits Including:
a - Diversified Signs Inscribed
b - Our Earth Of Black
c - Voor
07. Magic(k) Square Cipher
08. In The Name Of Auebothiabathabaithobeuee
09. Girra's Temple
10. Those Of The Void Will Re-Enter
11. Sceptre Command
12. Ye Uttuku Spells
13. Twix Yesterday, The Day & The Morrow

publicidade

Contato: www.myspace.com/absu




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Woodstock: som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urinaWoodstock
Som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urina

Notas altas: as dez mais impressionantes do Heavy MetalNotas altas
As dez mais impressionantes do Heavy Metal


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin