Arkona: potencial de sobra para atingir grandes públicos

Resenha - Ot Serdtsa K Nebu - Arkona

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O novo selo Höllehamer Propaganda, que vem dedicando uma atenção toda especial às vertentes Viking, Pagã e Folclórica do Heavy Metal extremo, está liberando alguns ótimos discos no mercado brasileiro. Neste esquema, o russo Arkona é seu mais novo nome, que já vem chamando a atenção em seu país e no leste europeu a ponto de a Napalm Records oferecer uma distribuição decente para outras nações do planeta.

2732 acessosDark Dimensions Folk Festival: galeria de fotos do festival5000 acessosRoqueiros x Funkeiros: discussão que pode virar guerra

Na ativa desde 2002, o Arkhona (em russo: Аркона) é natural de Moscou e possui na bagagem três belos álbuns de estúdio e um ao vivo realmente matador. “Ot Serdtsa K Nebu” (do Coração para o Céu) é seu mais recente disco, tendo sido liberado originalmente em 2007 e apresentando algumas consideráveis mudanças em sua sonoridade, que sempre dosou muito bem a faceta mais tradicional com algo do metal extremo, mas entrelaçados com os necessários arranjos executados por instrumentos folclóricos.

Um passo adiante no novo trabalho é a maior ênfase no lado brutal do gênero, com várias passagens inclusive se enveredando pelo Black Metal, o que é algo inédito em se tratando de Arkona. Outra novidade por aqui é a inserção de várias seções sutilmente intrincadas ao lado da já conhecida simplicidade das estruturas de suas composições.

Impossível falar do Arkona e ignorar sua vocalista... Masha (essa menina está adquirindo contornos de uma bela mulher adulta, enfim!) impressiona ao abordar as antigas crenças e a história da Rússia, seja cantando limpo em sua língua nativa, gritando, vociferando ou urrando – nem parece ser uma única pessoa atrás do microfone, e a própria faixa-título e “Svar” apresentam tal gama vocal que se tornam claros exemplos do fato.

Como resultado geral, a audição se torna muito equilibrada entre passagens brutais e outras nem tanto, além de a constante aparição da música tradicional russa – a polka ficou ótima! – fornecer um caráter bastante orgulhoso a um repertório que apresenta de tudo. Há canções meio melancólicas como “Oy, Pechal-Toska”; extremismo em “Pokrovy Nebesnogo Startsa”, algumas canções instrumentais muito bonitas e até uma faixa quase alegre (?!?) sob o nome “Goj, Kupala!!!”.

O Arkona ainda é um nome obscuro, mas com certeza o pessoal faz sua própria música e tem potencial de sobra para atingir o público de todo e qualquer país que aprecie o estilo. E, como já foi mencionado, a atuação de Masha, por si só, já vale a pena para se adquirir “Ot Serdtsa K Nebu”. Sem exageros: essa garota é uma fortíssima candidata a se tornar uma as mais versáteis cantoras da atual geração underground.

Formação:
Masha 'Scream' - voz
Sergej 'Lazar' - guitarra
Ruslan 'Kniaz' - baixo
Vlad 'Artist' - bateria e sintetizador

Arkona - Ot Serdtsa K Nebu
(2007 / Napalm Records - 2009 / Höllehamer Propaganda – nacional)

01. Pokrovy Nebesnogo Startsa
02. Goy, Kupala!!! (Hey, Kupala!!!)
03. Ot Serdtsa K Nebu (From The Heart To The Skies)
04. Oy, Pechal-Toska
05. Gutsulka
06. Strela (Arrow)
07. Nad Propastyu Let (Over The Abyss Of Ages)
08. Slavsya Rus (Hail Rus)
09. Kupala I Kostroma (Kupala And Kostroma)
10. Tsigular
11. Sva
12. Katitsya Kolo

Homepage:
http://arkona-russia.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



Outras resenhas de Ot Serdtsa K Nebu - Arkona

832 acessosArkona: Metal cantado em russo com competência de sobra


2732 acessosDark Dimensions Folk Festival: galeria de fotos do festival

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Arkona"


Roqueiros x FunkeirosRoqueiros x Funkeiros
Discussão que pode virar guerra

TraduçãoTradução
O clássico Highway To Hell, do AC/DC

Elvis PresleyElvis Presley
A filmografia do Rei do Rock

5000 acessosSepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da banda5000 acessosOzzy Osbourne: dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva5000 acessosMotörhead: Morre, aos 61 anos de idade, Phil "Philthy Animal" Taylor5000 acessosBlackmore's Night: Richie Blackmore explica influência renascentista5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 20095000 acessosOasis: 20 xingamentos e frases de Noel Gallagher

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.