Circle II Circle: mais pesado, inspirado e sólido

Resenha - Delusions Of Grandeur - Circle II Circle

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Simas, Fonte: MySpace Circle II Circle
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Enquanto o Savatage não volta (se é que vai voltar algum dia) seus orfãos têm que se satisfazer com as diversas bandas e projetos dos seus antigos membros. Mesmo os que consideram a Trans-Siberian Orchestra muito leve ou pomposa em demasia, o Jon Oliva’s Pain e o Circle II Circle emulam o lado mais pesado do grupo. O problema é que nenhuma delas mantém a qualidade da original.
5000 acessosWatchMojo: os 10 guitarristas mais subestimados de todos os tempos5000 acessosDavid Coverdale e a palavra "Love" - Parte I

Para muitos Zak Stevens foi a voz mais marcante do Savatage e – independente da sua opinião – conseguiu seu espaço na história do grupo com trabalhos marcantes como os clássicos Edge Of Thorns (1993) e The Wake Of Magellan (1998). Com o Circle II Circle o vocalista se manteve fiél as raízes e apostou em um heavy metal clássico, com toques oitentistas, alguns riffs thrash com pegada mais moderna e seus sempre poderosos e emocionais vocais.

"Delusions Of Grandeur" é o quarto trabalho do grupo e mostra uma evolução latente em comparação aos seus antecessores. Bem mais pesado, inspirado e com composições mais sólidas, ele vai acertar em cheio o gosto dos fãs que se identificam com a veia mais power-metal da sua música.

A produção é bem crua, com os intrumentos na cara e arranjos mais diretos, dando espaço para as melodias cativantes, refrãos marcantes e riffs certeiros. As faixas se dividem em baladas guiadas pela interpretação marcante de Zak e porradas no melhor estilo “Tauting Cobras” (do ótimo "Handful Of Rain", de 1994), mas não mostram muita diversidade e não surpreendem em nenhum momento, se mantendo em uma área de conforto que pode chatear os ouvintes mais exigentes.

Enquanto a bela “Echoes” (talvez a melhor do CD) mostra quão bom Zak realmente é, as pesadas “Fatal Warning”, “Dead Of Dawn” e “Waiting” destacam as qualidades do Circle II Circle como banda, mas é a última “Every Last Thing” que consegue agregar todas as melhores qualidades de "Delusions Of Grandeur" e reuní-las em uma única faixa. Um bom trabalho, que vai agradar os fãs da banda e pode servir como um remédio paleativo para quem ainda aguarda um improvável retorno do Savatage.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Delusions Of Grandeur - Circle II Circle

1169 acessosCircle II Circle: Um misto de peso e melodia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Circle II Circle"

Exportando metalExportando metal
Músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringas

Bill HudsonBill Hudson
Bangers do BR são persecutivos e têm baixa autoestima

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Circle II Circle"

GuitarristasGuitarristas
Os 10 músicos mais subestimados de todos os tempos

Cultura inútilCultura inútil
Em quantas músicas Coverdale utilizou a palavra "love"

ÁlbunsÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

5000 acessosNickelback: 11 razões para respeitar - muito - a Chad Kroeger5000 acessosDave Mustaine: "há bandas cujo nome me ofende"5000 acessosMayhem: banda levou restos humanos para o palco em 20115000 acessosOzzy Osbourne: os conselhos do Madman sobre masturbação3342 acessosLars Ulrich: as lembranças mais marcantes com o Metallica5000 acessosKiss: O que Gene Simmons faria se fosse presidente?

Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua…

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online