Matérias Mais Lidas

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemCinco músicas que são covers, mas você acha que são as versões originais - Parte 2

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemRitchie Blackmore em 1978 sobre o Kiss, Fleetwood Mac, Yardbirds e Led Zeppelin

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemCinco curiosidades sobre "The Sick, The Dying... And The Dead!", do Megadeth

imagemBob Dylan explica a diferença entre suas composições e as de Paul McCartney

imagemQuantos discos o Guns N' Roses vendeu no Brasil e no mundo? Veja os números

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemCadáveres, sangue e girombas: a história da capa de "Reign In Blood", do Slayer

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemMichael Schenker explica por que deixou o Scorpions e se juntou ao UFO

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"


5 Star Grave: repertório vigoroso, moderníssimo, peçonhento

Resenha - Corpse Breed Syndrome - 5 Star Grave

Por Ben Ami Scopinho
Em 18/02/09

Nota: 10

Rapaz! Mas que diabos é isso?!? O embrião desta banda começou a tomar forma no underground da Itália de 1996 sob o nome Uziel e posteriormente Ground Zero, que inclusive liberou em 2006 um EP com três faixas intitulado "The Zero Hour", até se chegar à bem sacada denominação (aparentemente) definitiva 5 Star Grave.

Tendo como apoio atrizes pornôs mundialmente conhecidas como Silvia Saint e Anita Dark (as meninas estão sempre fazendo pose para as câmeras vestindo a camisa do conjunto), os italianos estão estreando em disco com este espetacular "Corpse Breed Syndrome", dono de um rock´n´roll tão alucinante que se mostra praticamente irrotulável.

Esqueça as tendências musicais pela qual o rock pesado vem passando nos últimos anos. "Corpse Breed Syndrome" abraça com muita propriedade as mais diversas influências para moldar seu som, fundindo Rock´n´Roll, Heavy Metal, Hard Rock e muita atitude punk, gerando um repertório vigoroso, moderníssimo e peçonhento, com uma energia difícil de ver por aí.

Além de muita distorção nas guitarras, o grupo não dispensa os teclados, que atuam o tempo todo temperando as canções com certo clima melancólico e, para apimentar ainda mais essa pizza italiana, Claudio Ravinale canta (e também grita bastante!) de forma muito agressiva, remetendo parcialmente a Alex Laiho (Children Of Bodom), inclusive mostrando também algumas vozes de fundo muito insanas.

O 5 Star Grave se apresenta politicamente incorreto – e orgulhoso disso! – e é a mais interessante das bandas italianas que escutei nos últimos anos. E lamentavelmente o mercado europeu parece não ter prestado a devida atenção à banda, pois "Corpse Breed Syndrome" é um trabalho independente que tem tudo para atingir o público mainstream. Confira sem perda de tempo!

Formação:
Claudio Ravinale - voz
Thierry Bertone - guitarra
Alessandro Blengino - guitarra
Andrea Minolfi - baixo e voz
Hervè De Zulian - teclados
Gabriele Lingua - bateria

5 Star Grave - Corpse Breed Syndrome
(2008 / independente – importado)

01. Ain't That Saint
02. In Bed With The Dead
03. Slightly Slutty Behaviour
04. Cut You Out
05. Core Dead
06. Miracle Man
07. Back To The Morgue
08. Triple-X Ride
09. Backstabber
10. Crown Of Worms
11. Violands

Homepage: www.5stargrave.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.