Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemMetallica: a explicação da banda para o volume do baixo no And Justice For All

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemLars Ulrich: "Não sou um baterista particularmente talentoso"

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione


Stamp

Agathocles: repugnante caldeirão de extremismo

Resenha - Thanks For Your Hostility - Agathocles

Por Ben Ami Scopinho
Em 21/03/08

Nota: 8

Dando sequência ao pacote de bandas extremas que está chegando ao Brasil via Cut Throat Records/Bucho Discos, aqui temos outro importantíssimo item da discografia do Agathocles, lançado originalmente em 1996 e até então inédito no Brasil. Foi com "Thanks For Your Hostility" que o guitarrista Matty Dupont estreou no grupo belga ao lado do fundador Jan (baixo e voz) e Burt (bateria e voz), dando continuidade ao caldeirão de extremismos que foi seu antecessor, "Razor Sharp Daggers" (95).

Matty é considerado por muitos fãs como um dos grandes guitarristas que passou pela banda, e também o provável responsável por tornar a sensação Punk e Hardcore mais evidente do que nunca – e que consequentemente reduziu espaço para o Grindcore. E são estas as peculiaridades que fornecem a "Thanks For Your Hostility" um caráter tão específico quando comparado com qualquer outro trabalho já lançado pelo grupo.

O Agathocles está em grande forma, tendo como representantes do Grindcore "Criminalisation Of A Strange Behaviour", "Life Control", "Strangulation" e a incrível "He Cared"; enquanto torpedos como "Until It Bleeds", "Hatred Is The Cure" e "Cheers Mankind Cheers" mostram grandes momentos de Hardcore. Também merece citação a destoante "Try", com rudimentos de reggae (juro que é verdade!!!) que descambam em algo mais punk, bem pegajoso.

"Thanks For Your Hostility" também se caracterizou pelo fato de Burt ter de voltar ao estúdio para regravar novamente toda a bateria do álbum, pois em alguma etapa anterior ocorreu uma falha técnica que comprometeu seu trabalho. De qualquer forma, o único ponto passível de críticas neste álbum recai mesmo é sobre esta mesma gravação, que ficou por demais desleixada. Todos os instrumentos estão lá, marcando presença, mas a bateria possui um timbre inadequado e as guitarras não soam tão altas como poderiam estar.

É claro que este fato não impediu que o disco caísse nas graças do público Grindcore, Punk e Hardcore. Vai ver até ajudou a elevar ainda mais seu moral, afinal, características como ‘horroroso’, ‘cruel’ e ‘repugnante’ não são alguns dos singelos termos que definem o Agathocles como sendo o Agathocles...? Assim sendo, "Thanks For Your Hostility" é um discão!

Agathocles - Thanks For Your Hostility
(2007 - Cut Throat Records / Bucho Discos)

01. Criminalisation Of A Strange Behaviour
02. Life Control
03. Until It Bleeds
04. End Of The Line
05. Doctors Wished Me
06. Knock Back
07. Thanks For Your Hostility
08. Hatred Is The Cure
09. Be Your Own God
10. Distraction
11. Remember
12. Cheers Mankind Cheers
13. Strangulation
14. Foul
15. No Use... Hatred
16. My Reason
17. No One's Right
18. Sheer Neglect
19. Is There A Place?
20. Go Fucking Nihilist
21. Progress Or Stupidity?
22. Try!
23. He Cared
24. Mankind's Not Kind
25. Reduced To An Object
26. Ego-Generosity
27. .....

Homepage: www.agathocles.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.