RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemMembro do Guns N' Roses vai na Galeria do Rock de SP e compra camiseta oficial

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemA banda que mostrou no Rock in Rio como se faz um show num festival gigantesco

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemO dia que Renato Russo colocou companheiro da Legião em saia justa após piti homérico

imagemA curiosa origem da rivalidade Sepultura x Sarcófago, segundo Jairo Guedz

imagemO hino que o Iron Maiden quase não gravou pois o autor achou que era "muito comercial"

imagemRafael Bittencourt confessa ambições no início do Angra: "Queria derrubar o Metallica!"

imagemO motivo que fazia Ozzy Osbourne não se sentir "tão importante" no Black Sabbath

imagemEpica anuncia EP com convidados inesperados; assista o primeiro clipe aqui

imagemGuns N' Roses pede sugestões de músicas para tocar nos shows

imagemCinco perrengues que todo headbanger já passou em algum show de metal

imagemA chave oculta no disco do Led Zeppelin que Raul usou para abrir as portas do conhecimento

imagemPink Floyd: Snowy White ensina como evitar o lado "feroz" de Roger Waters


Stamp

Cachorro Grande: evolução sonora evidente

Resenha - Todos os Tempos - Cachorro Grande

Por Ricardo Seelig
Em 25/07/07

publicidade

Nota: 9

"Todos os Tempos", quarto trabalho da Cachorro Grande (e segundo por uma grande gravadora), marca uma transição na carreira do grupo gaúcho. O rock selvagem, agressivo e à flor da pele, principalmente dos dois primeiros discos, agora dá lugar a um som muito mais elaborado, melódico e mais lento, mas nem por isso menos vigoroso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que se percebe é uma evolução sonora evidente e escancarada no som de Beto Bruno, Marcelo Gross e companhia. Referências mais variadas que a trinca Beatles, Stones e Who se fazem presentes. O primeiro single, "Você Me Faz Continuar", é puro Stone Roses. A grudenta "Roda Gigante", uma das melhores faixas de "Todos os Tempos", vem carregada de influências de Brit Pop, de nomes como Primal Scream e Oasis. "Na Sua Solidão" é construída sobre uma melodia folk que nos remete a Neil Young, assim como "Quando Amanhecer", que ganha muito mais brilho com o belo som tirado do banjo de Gross.

É claro que a agressividade e o apelo dos rocks típicos da banda também bate ponto em "Todos os Tempos". "Conflitos Existenciais" poderia estar na estréia dos gaúchos. As melódicas "Sandro" e "Deixa Fudê", essa última composta e cantada pelo baixista Rodolfo Krieger, são singles em potencial, prontas para estourar. "O Que Você Tem", cantada por Gross, é outro destaque, assim como a pauleira de "O Certo e o Errado", onde Beto e Gross dividem os vocais cantando a letra que relata as frequentes brigas entre os dois. O baterista Gabriel Azambuja também canta em uma faixa, "Nada Pra Fazer", outra que mostra o quanto os caras estão ouvindo Stone Roses.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum vem carregado de letras românticas, como é o caso da belíssima "Roda Gigante". O teclado de Pedro Pelotas, de novo e mais uma vez, se destaca na sonoridade da Cachorro, criando nuances e camas sonoras que acentuam ainda mais o ar setentista. Marcelo Gross explora mais possibilidades com suas guitarras, enquanto Beto Bruno tenta sair um pouco de suas linhas vocais características, como na já citada "Roda Gigante" e "Na Sua Solidão".

A Cachorro Grande amplia consideravelmente os limites de seu som em "Todos os Tempos", mostrando que ainda possui (várias) cartas na manga. Esse é, até agora, o melhor disco dos caras, sem dúvida alguma, e mostra que Beto, Marcelo, Rodolfo, Pedro e Gabriel são um caso único no rock brasileiro, fazendo um tipo de som que ninguém mais faz.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um ótimo álbum, sem dúvida o melhor disco de rock nacional lançado em 2007.

Faixas:

1. Você Me Faz Continuar
2. Conflitos Existenciais
3. Roda Gigante
4. Sandro
5. Deixa Fudê
6. Na Sua Solidão
7. Meus Domingos Não São Mais Depressivos
8. Nunca Vai Mudar
9. Quando Amanhecer
10. O Que Você Tem
11. Nada Pra Fazer
12. O Certo e o Errado

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

NFL Steve Harris


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock/Metal: as poucas bandas que conseguem viver disto no Brasil

Cachorro Grande: "A chamada geração colorida acabou com o rock"

Mick Jagger: em cerimônia na escola do filho em São Paulo

Oh, não!: clássicos do Rock Heavy Metal e que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.