Resenha - Live on 3 Continents - Helloween

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Eduardo Corrales
Enviar Correções  

9


Vamos fazer uma coisa diferente nessa resenha. O DELFOS cobriu o show onde o DVD foi gravado e temos um texto completíssimo e uma extensa galeria de fotos sobre o dito-cujo.

Iron Maiden: por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko responde

O que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?

Matéria escrita para o site Delfos – www.delfos.jor.br

CONTEÚDO...

Todas as músicas do DVD 1 estão presentes na versão tocada em São Paulo. Algumas outras "Keeper of the Seven Keys", "A Tale That Wasn’t Right", "Mr. Torture", "I Want Out" e "Dr. Stein") também aparecem em gravações feitas em Sofia ou em Tóquio. Várias vezes durante essas músicas, aparece uma abóbora personalizada no canto da tela e, se você apertar enter, muda para a outra versão (o que pode ser feito mesmo durante a canção). A mais legal é a abóbora japonesa, que tem até olhinhos puxados. Os solos individuais de guitarra e bateria têm cenas misturadas dos três shows.

Particularmente, fiquei bem impressionado com a qualidade vocal de Andi, que mandou bem até mesmo nas músicas originalmente cantadas por Michael Kiske. Em "I Want Out" e "Mrs. God", ele sai do tom feio, mas nas demais, está muito bom. Por outro lado, ainda acho que o guitarrista Sascha Gerstner não foi uma escolha apropriada para o lugar outrora ocupado por Roland Grapow e Kai Hansen. Já não gostava dele no Freedom Call, onde era um membro original, imagina então no Helloween.

Em relação ao que foi tocado em São Paulo, tiraram a música "Occasion Avenue". Ela comparece no DVD 2, gravada em Tóquio, mas não dá para entender porque a cortaram do show propriamente dito. Tudo bem, ela é longa e chata, mas se o DVD vai documentar um show onde foi tocada, deveria estar presente.

No DVD 2, temos, além da supracitada, uma gravação da fenomenal "Halloween", no festival Masters of Rock, que está bem legal, principalmente a parte que o coralzinho fala ""we are calling you"". É uma pena que não tenham tocado a dita-cuja aqui. Ainda na parte musical, contém os clipes de "Mrs. God" e "Light the Universe".

Temos também 49 minutos de filminhos amadores feitos pela banda na estrada. Particularmente, acho esse tipo de material (onipresente em DVDs de Metal) um saco, pois são um bando de piadas homoeróticas, pessoas bebendo, arrotando e coisas do tipo. Se quisesse ver isso, assistiria a um filme dos irmãos Wayans que, pelo menos, têm uma imagem melhor.

Tem também 44 minutos de entrevistas com todos os membros da banda, que variam entre momentos esclarecedores, engraçados e entediantes (a parte onde falam para o baterista falar sobre os outros caras se destaca nessa última categoria).

IMAGEM...

A imagem é bem fraca para uma banda do porte do Helloween, que sem dúvida tem grana para pagar uma equipe de filmagem profissional e fazer um DVD com qualidade de... bem... DVD. Ao invés disso, temos um visual granulado e acinzentado, como se a iluminação não tivesse sido suficiente e tivessem esclarecido tudo na pós-produção.

A pior imagem, por incrível que pareça, é a de São Paulo. Sofia e Tóquio também estão longe da perfeição, mas o nosso país é o que mais sofreu com a falta de qualidade técnica. O mais estranho é mesmo assim terem optado por colocar a maior parte do conteúdo gravada em nosso país. Se pensaram que um público barulhento compensaria a filmagem não profissional, estão muito enganados. Curiosamente, a imagem feita no festival Masters of Rock, da qual só temos uma música, está perfeita. Vai entender...

A edição deixa bastante a dever. É comum a imagem mostrar Weiki quando Sascha está solando e vice-versa. Aliás, isso acontece em 90% de todos os DVDs de Metal que eu já assisti. Será que nenhum editor da face da Terra sabe reconhecer quando um guitarrista está solando ou fazendo bases? Esse problema está presente no show inteiro, mas é mais grave na "Halloween", mostrando que nada nesse disco está acima das críticas, infelizmente.

Para completar o amadorismo, este DVD tem a pior transição de camadas que eu já vi. Ela está bem no meio de uma música (na verdade, do solo de guitarra, mas mesmo assim), fazendo com que o som pare por um ou dois segundos, arruinando todo o clima. Caramba, DVDs de dupla camada já são uma tecnologia antiga e sempre foram escolhidas cenas escuras e onde nada acontecia para uma transição quase imperceptível, o que deixa ainda mais bizarro a colocarem em um momento com som.

SOM...

O som está disponível em Dolby Digital 5.1 e Dolby Digital 2.0 para o DVD 1 (com exceção de "A Tale That Wasn’t Right" que, sabe-se lá o motivo, tem duas trilhas iguais em 2.0 e nenhuma em 5.1) e Dolby Digital 2.0 para o DVD 2, com exceção de "Occasion Avenue", que tem também Dolby 5.1 (selecionável apenas durante a exibição).

A mixagem do show é bem básica (banda na frente e platéia atrás) e soa bem. Nada fenomenal, para dizer a verdade. E acho um absurdo que uma banda desse tamanho, lançando um DVD musical em 2007 não inclua uma trilha em DTS, mas se eles não investiram nem em uma imagem decente, imagina no som então.

MENUS...

Os menus são feios e pouco práticos (são iguais nos dois DVDs). Demora mais de um minuto para você poder fazer sua seleção (dá para pular com o controle) e, cada vez que você seleciona algo, tem que esperar vários segundos até a mudança acontecer (ou a seleção começar a tocar). Para piorar, quando você escolhe uma música específica, você vai ouvir apenas ela, e não "a partir dali", como tem que ser. Se você quiser ver o show como se fosse um filme, tem que escolher "Play All". Mas convenhamos, quando você pega um DVD de show para assistir, dificilmente toca tudo, sempre escolhe algumas músicas específicas. Por causa disso, essa opção bizarra (que já tinha sido usada também no DVD "High Live") diminui muito a praticidade deste disquinho.

CONSIDERAÇÕES FINAIS...

"Live on 3 Continents" é um DVD extremamente básico. Não chega a ser amador e porco como o do Grave Digger (também gravado em nossas terras, aliás), que parece um filme pirata baixado da Internet, mas está muito aquém do que uma banda com o poder econômico do Helloween deveria colocar no mercado.

O DVD "Rock In Rio" do Iron Maiden é de uma excelência técnica impressionante, tanto na imagem quanto no som, o que mostra que é possível gravar algo decente aqui. Contudo, o DVD do Maiden pecou no conteúdo, já que foi um show sem grande parte dos clássicos. O do Helloween é completamente o oposto e, apesar dos problemas, leva uma nota boa por causa das boas músicas e do que, no geral, foi um bom show. Para ser sincero, me diverti bem mais assistindo ao DVD do que ao concerto em si. Provavelmente isso aconteceu porque, ao assistir ao disquinho no conforto do meu lar, não tive que lidar com pessoas no ombro de outras, fãs folgados e coisas do tipo, diminuindo o estresse da situação. Mas em um mundo ideal (ou em um país com um povo decente), eu também não precisaria lidar com esse tipo de coisa. Pois é, o Brasil é o único país onde assistir a uma gravação é mais divertido do que assistir à coisa ao vivo.

Se você é fã de Helloween e gosta de algo bem feito, provavelmente vai sofrer algumas decepções. Mesmo assim, eu recomendo a compra pois, assim que se acostumar com a imagem e som abaixo do esperado, provavelmente vai se divertir bastante. E, se você não se importa com essas picuinhas, melhor ainda, pode comprar sem medo. E fico na torcida para que o DVD do Edguy gravado aqui tenha uma qualidade digna da capacidade da banda. E do merecimento dos fãs. Porque ser fã não é se contentar com qualquer porcaria que seus ídolos colocam no mercado. É, sim, exigir que eles dêem o seu melhor. Afinal, isso é arte, não religião.


Outras resenhas de Live on 3 Continents - Helloween

Resenha - Live On 3 Continents - Helloween




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko respondeIron Maiden
Por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko responde

Lista: vocalistas que mudaram a história de suas bandas para sempreLista
Vocalistas que mudaram a história de suas bandas para sempre

O Mapa do Metal: Grandes bandas de Heavy Metal da AlemanhaO Mapa do Metal
Grandes bandas de Heavy Metal da Alemanha

Helloween: banda divulga vídeo de Dr. Stein ao vivo em São PauloHelloween
Banda divulga vídeo de "Dr. Stein" ao vivo em São Paulo

Em 12/05/2003: Helloween lançava Rabbit Don't Come Easy


Em 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídioEm 08/03/1995
Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio

Unisonic & Edguy: Michael Kiske trollando Tobias SammetUnisonic & Edguy
Michael Kiske trollando Tobias Sammet


O que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?O que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?

Restart: Trecho de Enter Sandman do Metallica no VMB 2010Restart
Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010


Sobre Carlos Eduardo Corrales

Carlos Eduardo Corrales é jornalista e fotógrafo há oito anos. É editor-chefe do Delfos - www.delfos.jor.br - o maior site nerd de jornalismo parcial reflexivo humorístico do mundo. Sua principal característica é não levar nada a sério, até mesmo quando fala sério. A única exceção, claro, são os ensinamentos do Deus Metal. Com esse ele não brinca, pois não quer que o Vento Preto venha tirar satisfação.

Mais matérias de Carlos Eduardo Corrales no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin