Anathema: dificuldade a quem quer definí-lo

Resenha - Anathema - A Moment In Time (DVD+CD)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Uma verdadeira viagem. Essa é a melhor definição para este DVD do Anathema, lançado em 2006 (no Brasil via Hellion), e chamado “A Moment in Time”. O lançamento traz um registro ao vivo (em vídeo e também em CD) da apresentação que os ingleses fizeram no festival Metal Mania, na Polônia, tocando aquele som que do doom dos primórdios, no início dos anos 90, mudou principalmente depois do “Eternity” e ainda traz muita dificuldade a quem quer definí-lo. Talvez um rock atmosférico, voltado ao progressivo... Mas são só teorias, o melhor é ouvir e aproveitar.
5000 acessosFotos de Infância: Pantera5000 acessosSeparados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker Spaniel

Mais estranho ainda é entender como o Anathema ainda junta um monte de cabeludos de camiseta preta aos seus shows, como se vê aqui, mesmo com tantas mudanças de sonoridade e um distanciamento grande do que faziam antes. Na verdade, isso prova a beleza do som deste grupo, enriquecida neste show pela presença de um quarteto de cordas, o “Bacchus String Quartet”.

E é esta mini-orquestra que dá início à apresentação do sexteto (contando a participação da cantora Lee, que faz parte do line-up), com a emocionante “Shroud of False”. A banda só entra em seu finzinho. A produção de palco não é das mais complexas, mas dois telões e uma iluminação muito bem feita combinam muito bem com o som e o astral dos músicos. A primeira faixa já logo emenda (e acelera) em “Fragile Dreams”, seqüência igual à do álbum “Alternative 4”, com momentos mais pesados, levando o público ao delírio. A participação da orquestra é sutil, tendo um papel mais de criar um clima do que de mudar efetivamente as composições.

É hora então de apresentar os sons mais novos, do “A Natural Disaster”, de 2004, também muito boas e bem acolhidas pelos poloneses. “Balance” vem levada pela linha de bateria de John Douglas, com sua “estátua” de um cão boxer lhe observando durante os pouco mais de 65 minutos do show. E se a viagem já é grande, espere por “Closer”, com um climão feito pelo guitarrista e vocalista Vincent Cavanagh em seu vocoder e dando uma ajuda no teclado, comandado por Les Smith. Vinny é um destaque disparado (vale citar que ele já saiu da banda e voltou para o “A Natural Disaster”), cantando mais do que com técnica, já que até umas pequenas desafinadas são notadas, com uma emoção ímpar. Além disso, tem uma presença de palco que passa muita energia, ao lado dos mais quietos Daniel Cavanagh, seu irmão, (guitarra), e o primo Jamie (baixo). A faixa acaba mais apocalíptica, com muitos efeitos de guitarra feitos nos pedais do vocalista.

A velocidade dá uma diminuída nos violões de “Lost Control”, mas sobe em “Empty”, uma das melhores. E como a coisa é bem em família, vem a hora da irmã do batera, John, dar as caras. Com sua voz suave e um tanto hipnótica, Lee Douglas sobe ao palco para “A Natural Disaster” e deixa os (tele)espectadores boquiabertos.

O show volta a ganhar uma intensidade maior em “Judgement”, do álbum de mesmo nome, e Panic, de “A Fine Day to Exit”. E por falar nos discos, o show aborda quase em sua totalidade o “Alternative 4” (cinco faixas das 14) e “A Natural Disaster” (quatro) e deixa a desejar um pouco na variação do set list, mas nada que interrompa a tal viagem.

Já chegando ao fim, Danny rege a orquestra para a balada “Flying”, guiada pelos violões e pelo jogo de vozes entre ele e Vinny e seguida pelos duetos de guitarra na mais antiga “Angelica”, do “Eternity”. Para fechar o show, nada melhor que uma das influências que mais marca os ingleses, numa versão interessante de “Comfortably Numb”, do Pink Floyd. Para repetir a dose, é só botar para rolar o CD bônus, com a íntegra da apresenteação.

E para quem ainda quer um pouco mais, ainda no DVD há quatro faixas bônus, de outra apresentação ao vivo, com “Sleepless”, “A Dying Wish”, o cover do Fleetwood Mac em “Albatross” e outra versão de “Fragile Dreams”, trazendo finalmente o espectador de volta à sua poltrona. Há ainda uma entrevista com Danny e Les, porém sem quaisquer legendas...

Mesmo assim, “A Moment In Time” é um grande registro para quem curte esta fase mais “progressiva e atmosférica” do Anathema, mostrando que o sexteto manda muito bem ao vivo e, como já foi dito, levando mais emoção ao público do que uma técnica apurada, começando pela simples mas bela arte gráfica. Vale lembrar também que o DVD, além de ser aperitivo para o próximo CD de inéditas, "Everything", é uma ótima opção para paulistanos e demais brasileiros que não puderam acompanhar a passagem dos ingleses em 2006. Seja por problemas em outros locais ou o cancelamento em São Paulo, devido a uma desrespeitosa (com os fãs) interdição da Ledslay, que abrigaria a apresentação, bem na hora do show. Quem quiser, faça sua viagem!

Formação:
Vincent Cavanagh - vocal e guitarra
Daniel Cavanagh - guitarra e vocal
Jamie Cavanagh - Baixo
Les Smith - teclado
John Douglas - bateria
Lee Douglas - Vocal

Track List:
01. Shroud of False
02. Fragile Dreams
03. Balance
04. Closer
05. Lost Control
06. Empty
07. Natural Disaster
08. Inner Silence
09. One Last Goodbye
10. Judgement
11. Panic
12. Flying
13. Angelica
14. Comfortably Numb

Bônus:
01. Sleepless
02. A Dying Wish
03. Albatross (do Fleetwood Mac)
04. Fragile Dreams
+ Entrevista

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Anathema"

Heavy MetalHeavy Metal
As melhores músicas para meditar

OpethOpeth
"Fã de Metal só quer saber de ter seu McLanche Feliz"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Anathema"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Phil Anselmo, Dimebag, Rex Brow e Vinnie Paul

Dave MustaineDave Mustaine
A bizarra semelhança com um Cocker Spaniel

Paula FernandesPaula Fernandes
Aos 19 anos ela ia em shows de Black Metal

5000 acessosBayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas5000 acessosGibson: as dez melhores composições épicas do rock5000 acessosGuns N' Roses: o "Chinese Democracy" que você nunca viu5000 acessosGuns N' Roses: a história da saída de cada integrante5000 acessosBruce Dickinson: a melhor resposta para o ataque terrorista de Manchester5000 acessos"Minha mulher não deixa não" em versão Metal

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online