Destroy Destroy Destroy: Viking Metal made in USA

Resenha - Devour The Power - Destroy Destroy Destroy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Realmente, foram-se os tempos em que o chamado Viking Metal era uma exclusividade dos países escandinavos... Atualmente há conjuntos excelentes vindo de locais um tanto quanto improváveis – como a Espanha com o excelente Runic – e agora os EUA mostram as caras com Destroy Destroy Destroy, banda formada em 2003 no Tennessee, região conhecida pela, quem diria, sua música country.
5000 acessosHelloween: reunião com Kiske e Hansen, 1º show será no Brasil5000 acessosO trágico acidente que vitimou o Lynyrd Skynyrd

Na realidade, o termo “Viking Metal” geralmente está associado ao Black e Death Metal, aliados às generosas doses de melodias épicas, muitas vezes sinfônicas. Mas o Destroy Destroy Destroy o faz de maneira um pouco diferente, acrescentando em sua seção instrumental muito Thrash e principalmente, o Power Metal.

“Devour The Power” é seu segundo registro e soa muito bem com suas vozes rosnadas e gritadas, riffs intermitentes e furiosos, teclados atmosféricos muito bem encaixados (lembram algo do Dragonforce) e um trabalho de bateria com algumas mudanças de tempo realmente incríveis, tudo extremamente melódico. E, com certeza, é neste contrapeso cheio de energia entre o violento e o melódico que o Destroy Destroy Destroy se sobressai.

E as letras? Monstros mitológicos, reinos perdidos e guerras sem fim, em títulos como “Mutilated Cranial Orifice” (a mais extrema do CD) ou “Ripped Apart By The Juggernaut Of Fornication”, que mostram o nível de seriedade proposto pelo conjunto. Nada original, mas como um todo, “Devour The Power” agradará aos apreciadores do universo bárbaro.

Há várias canções que garantem bons momentos. “Hang The Vermin” é uma das mais melódicas e com refrões bem sacados; “Hellfire” possui ótimas guitarras e algumas linhas vocais limpas; ou ainda a pesada “The Beast That Cannot Be Fed”, que remete o ouvinte até os anos 80.

Mesmo a banda tendo um nome pra lá de clichê e apresentar alguns riffs semelhantes espalhados pelas músicas, “Devour The Power” se mostra um contribuinte respeitável no que antes era um fenômeno europeu. E se torna ainda mais atraente se levarmos em conta que é algo bem diferente do Metalcore ou rock alternativo que tem sido os objetos de exportação de seu país ultimamente.

Formação:
Bryan Kemp - voz
Jeremiah Scott - guitarra
Way Barrier - guitarra
Adam Phillips - baixo
Alex Gillette - teclados
Eric W. Brown - bateria

Destroy Destroy Destroy - Devour The Power
(2006 / Metal Blade Records - importado)

01. The Summoning
02. Hang The Vermin
03. Gods Of War And Open Sores
04. Ripped Apart By The Juggernaut Of Fornication
05. Battle Cry
06. Eternal Voyage Of The Geishmal Undead
07. The Beast That Cannot Be Fed
08. Mutilated Cranial Orifice
09. Seduced By The Locrian Temptress
10. Hellfire
11. Bring The Exodus

Homepage: www.destroydestroydestroy.com

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Destroy Destroy Destroy"

HelloweenHelloween
Reunião com Michael Kiske e Kai Hansen, 1º show será no Brasil

Em 1977Em 1977
O trágico acidente que vitimou o Lynyrd Skynyrd

RHCPRHCP
Kiedis não quer trabalhar com Axl Rose e nem com Dave Grohl

5000 acessosAnthrax: Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo5000 acessosSlayer: Kerry King explica como se deve balançar a cabeça5000 acessosAC/DC: Axl foi mal no ensaio, mas banda teve paciência5000 acessosMotorhead: Phil Campbell explica porque não foi ao funeral de Lemmy4293 acessosGuitarra: O que estudar, e como?5000 acessosBlaze Bayley: voz do Andre Matos é muito mais Maiden que a minha

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online