Resenha - Lust Stained Despair - Poisonblack

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Com o fim do Sentenced, sobra tempo para o vocalista Ville Laihiala se dedicar a seu ex-projeto paralelo (agora banda oficial) Poisonblack, iniciado apenas para que o vocalista (que aqui inicialmente cuidava apenas das guitarras) pudesse extravasar seus anseios musicais. Mas após o bom "Escapexstacy" (2003), a banda sofreu baixas em sua formação, a mais significativa sendo a saída do vocalista J.P. Leppaluoto (segundo Ville apenas um vocalista contratado para gravar o CD). Mas o líder do Poisonblack não se fez de rogado e voltou a assumir o vocal, coisa que já fazia no Sentenced.

Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoHeavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com isso temos o CD mais Sentenced do Poisonblack, superior a seu antecessor nas comparações a ex-banda de seu líder, fato que os primeiros acordes de "Nothing Else Remains" irão escancarar. Apesar disso, a banda incorpora bons elementos do heavy metal em seu gothic-metal na boa "Hollow Be My Name", enquanto que "The Darkest Lie" poderia ser gravada pelo Depeche Mode em seus dias mais inspirados. O som mais gótico de "Escapextacy" aparece com vigor em "Nail" e "Soul In Flames".

O único senão do CD fica para a inconstância. Enquanto "Raivotar" soa agradável e assimilável a nossos ouvidos, "Never Enough" soa forçada ao trazer o heavy metal de volta misturado ao som gótico da banda, fato que se repete em "Love Controlled Despair" e em "The Living Dead". Soa como se Ville estivesse recriando o Sentenced, com outro nome, e foge totalmente a proposta inicial de sua banda.

Não é um bom CD. Ville ainda não acertou a mão em compor PARA o Poisonblack. Vale uma conferida, mas prefiro esperar o próximo trabalho da banda.

Formação:

Ville Laihiala - Vocais/Guitarras
Tarmo Kanerva - Bateria
Marco Sneck - Teclados
Antti Remes - Baixo
Janne Markus - Guitarras

Faixas:

"Nothing Else Remains"
"Hollow Be My Name"
"Rush"
"Nail"
"Raivotar"
"Soul In Flames"
"Pain Becomes Me"
"Never Enough"
"Love Controlled Despair"
"The Living Dead"

Metal Maximum - 2006 (NACIONAL)

Site Oficial: http://www.poisonblack.com


Outras resenhas de Lust Stained Despair - Poisonblack

Resenha - Lust Stained Despair - PoisonblackResenha - Lust Stained Despair - Poisonblack




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Poison Black"


Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoHair Metal
Os maiores cabelos da história do rock pesado

Heavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o LoudwireHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336