Resenha - Lust Stained Despair - Poisonblack

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Rissi
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


"Lust Stained Despair" é o segundo álbum dos finlandeses do Poisonblack, banda de Ville Laihiala, ex-vocalista do finado "Sentenced". Comparado ao registro de estréia, o atual é musicalmente bastante superior. Infelizmente, porém, para quem já teve a oportunidade de ouvir qualquer trabalho de Ville Laihiala no Sentenced (principalmente um dos três últimos álbuns), pode ficar de alguma forma decepcionado, pois o padrão de qualidade das músicas ora apresentado no Poisonblack está bem aquém. E a comparação entre ambas as bandas é inevitável, visto que o Poisonblack adota, tanto musicalmente como nas linhas de voz, um estilo muito próximo ao do Sentenced.

Slipknot: causando medo no cantor Latino durante o Rock In RioHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum "Lust Stained Despair" não é de todo ruim; aliás, inclusive melhora muitos dos pontos fracos em que a banda pecou no passado em seu álbum de estréia. Um dos pontos positivos começa justamente nos vocais, visto que Ville Laihiala, além das guitarras, também passou a assumir o posto de vocalista, e este possui notadamente um alcance e uma potência bem maior que a do vocalista anterior J. P. Leppäluoto (que deixou o Poisonblack para poder se dedicar melhor à sua banda principal Charon).

As músicas também estão num nível mais elevado em relação ao trabalho anterior, e o próprio frontman explica esse fato ao afirmar que, após o lançamento do primeiro álbum do Poisonblack ("Escapexstacy") e com o fim do Sentenced, o período em que ele se afastou do mundo da música e silenciou foram fundamentais para que pudesse colocar sua "cabeça no lugar" e voltar a compor novamente a todo vapor.

Ocorre porém, que está faltando aparentemente uma "dose extra de pique" à banda ou mesmo um pouco mais de experiência e tempo de estrada, para que esta chegue a criar composições que estejam ao nível de bandas que executam o mesmo gênero musical. As canções soam, em certos momentos, um tanto sem graça e repetitivas, não cativando o ouvinte, que, inclusive, pode até perder o interesse em prosseguir ouvindo o álbum até o fim.

É claro que algumas faixas se destacam e fogem a esta regra, tais como "Nothing Else Remains", "The Darkest Lie" e "Soul in Flames", mas a grande maioria das músicas, em regra, pouco chamativas e pouco cativantes, fazem com que este álbum seja considerado apenas regular.

É difícil a qualquer um que já ouviu Ville Laihiala atuando em álbuns como "The Cold White Light" ou "The Funeral Album", admitir que um trabalho composto por este grande vocalista pode perfeitamente passar despercebido.

Formação:
Ville Laihiala - vocals, lead guitar
Janne Markus - guitar
Marco Sneck - keyboards
Antti Remes - bass
Tarmo Kanerva - drums

Website: www.poisonblack.com


Outras resenhas de Lust Stained Despair - Poisonblack

Resenha - Lust Stained Despair - PoisonblackResenha - Lust Stained Despair - Poisonblack




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Poison Black"


Slipknot: causando medo no cantor Latino durante o Rock In RioSlipknot
Causando medo no cantor Latino durante o Rock In Rio

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1988


Sobre Marcelo Rissi

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336