Resenha - Farsotstider - Thyrfing

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

10


Grande Thyrfing! Este monstro sueco é, com folgas, um dos maiores nomes do chamado "Viking Metal" do mundo. "Farsotstider" (em português, "Tempos de Desgraça") é seu quinto álbum e foi liberado no finalzinho de 2005, se caracterizando também por ser o primeiro disco completamente cantado em sueco, e soa realmente incrível. Parece que o Thyrfing resolveu ir à contramão num universo onde a tendência é cantar em inglês para atingir mais facilmente o mercado internacional...

Alguns fãs ficaram desconfiados quando a banda divulgou que o produtor deste registro seria Henrik Edenhed, conhecido por trabalhar com artistas de sonoridades mais acessíveis de seu país. Não importa. O fato é que o resultado trouxe um Thyrfing ainda mais pesado, com sua tradicional temática guerreira e sem perder a autenticidade de sua proposta. Mas há uma diferença importante: sua música traz agora uma redução drástica das melodias folclóricas e soa tão obscuro quanto todo o encarte de "Farsotstider".

publicidade

Individualmente, o impecável vocalista Thomas Väänänen chama muita atenção por sua atuação cheia de emoção, mantendo a aproximação com a música extrema pelo uso de suas linhas vocais rudes e com um acento mais melancólico em várias ocasiões. As guitarras - verdadeiras paredes de riffs ásperos - e seção rítmica são bem elaboradas, mas soam de forma bastante simples aos ouvidos, e os sintetizadores de Peter Lof reforçam a faceta algo triste e sombria de suas músicas.

publicidade

É um álbum com canções balizadas lá em cima, mas dá para destacar "Elddagjämning", a mais épica e repleta de desespero, meio cantada, meio falada; além de "Baldersbålet", com violões, guitarras explosivas e um belo refrão. Méritos também para a longa "Tiden Läker Intet", onde os suecos expõem suas influências com bom gosto na variação dos arranjos, fechando o disco e já preparando o ouvinte para clicar em "play" novamente.

publicidade

Em 10 anos o Thyrfing praticamente não alterou sua formação e manteve sua música honesta. Com certeza "Farsotstider" é um álbum que intimidará as grandes massas, mas por outro lado será admirado por sua crueza visceral, intensa e inspirada. Uma pequena obra-prima e, como tal, indispensável aos amantes do gênero.

Formação:
Thomas Väänänen - Voz
Henrik Svegsjo - Guitarra
Patrik Lindgren - Guitarra
Kimmy Sjolund - Baixo
Peter Lof - Sintetizadores
Joakim "Jocke" Kristensson - Bateria

publicidade

Thyrfing - Farsotstider
(2005 / Regain Records - importado)

01. Far Åt Helvete
02. Jag Spår Fördärv
03. Farsotstider
04. Höst
05. Själavrak
06. Elddagjämning
07. Baldersbålet
08. Tiden Läker Intet

Homepage: www.thyrfing.com


Outras resenhas de Farsotstider - Thyrfing

Thyrfing: Sonoridade típica do metal extremo escandinavo

Resenha - Farsotstider - Thyrfing




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rockSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin