Resenha - Nowhere Land - Slamer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


O amante de Hard Rock que teve a oportunidade de escutar algum disco pelo qual o guitarrista inglês Mike Slamer tocou sempre vai ter boas lembranças de seus arranjos repletos de bom gosto e os incríveis timbres de seu instrumento. Músico veterano, Slamer começou sua carreira na segunda metade dos anos 70 na banda City Boy e, já residindo nos EUA, passou pelo Streets, participou como músico e compositor dos dois primeiros álbuns do Warrant, Hardline, House Of Lords, etc. Montou o grande Steelhouse Lane e ainda deu "uma força" no segundo álbum do Seventh Key.

Metallica, Guns, Slipknot, Kiss: tombos, erros e fatos engraçadosEmos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Após 30 anos numa carreira que lhe rendeu respeito em boa parte do globo, eis que Mike Slamer decide liberar seu último álbum antes de se aposentar, este incrível "Nowhere Land", cujas canções foram sendo escritas com calma ao longo dos dois últimos anos. Slamer, além de tocar sua guitarra, assume o baixo e teclado, e conta com a participação do vocalista Terry Brock (Strangeways, The Sign) e do baterista Chet Wynd. Para quem chegou a escutar os já citados Steelhouse Lane e Seventh Key, pode ter a certeza de encontrar por aqui boa parte dos elementos destas bandas, porém com um grande acréscimo de rock progressivo e um pouco mais de distorção.

O grande mérito deste músico é a capacidade de criar melodias simples, mas cativantes, e a sinergia dos músicos envolvidos chama a atenção no ato. São 11 canções relativamente longas - variam entre cinco e oito minutos - mas tão bem elaboradas que nem se sente o tempo passar. Os estilos estão combinados com maestria e trazem Hard Rock de primeira em "Jaded" e "Runaway", muito bem colocadas entre outras mais progressivas, como a faixa-título, "Higher Ground" ou "Beyond The Pale", com momentos tão etéreos e melodias vocais tão bonitas que é praticamente impossível o ouvinte não meditar durante sua execução.

E após escutar este álbum-solo, duvido que Mike Slamer venha realmente a encerrar sua carreira. É um músico que toca com o coração, e este tipo de artista nunca se cansa do que faz. E desde já considero tranquilamente "Nowhere Land" o melhor álbum de Hard Rock melódico e AOR que passou pelas minhas mãos neste ano.

Agora é torcer para que alguma distribuidora o disponibilize no mercado verde-amarelo...

Slamer - Nowhere Land
(2006 / Frontiers - importado)

01. Nowhere Land
02. Strength To Carry On
03. Not In Love
04. Come To Me
05. Higher Ground
06. Jaded
07. Beyond The Pale
08. Runaway
09. Audio Illusion
10. Perfect Circle
11. Superstar




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Slamer"


Metallica, Guns, Slipknot, Kiss: tombos, erros e fatos engraçadosMetallica, Guns, Slipknot, Kiss
Tombos, erros e fatos engraçados

Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlistEmos
23 músicas que já estiveram na sua playlist


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336