Resenha - Execution - Tribuzy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 10

Renato Tribuzy é o escolhido. É impossível não pensar isso após ouvir um álbum tão empolgante quanto "Execution", estréia de seu projeto Tribuzy.

Iron Maiden: o pior momento de Bruce Dickinson no palcoDuff McKagan: "Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Antes de mais nada é preciso diferenciar o Tribuzy de projetos como o Avantasia, do vocalista do Edguy, Tobias Sammet. Enquanto este último se propôs a compor uma "metal opera", Tribuzy reuniu uma constelação de astros da música de várias partes do mundo e os colocou fazendo o que sabem fazer de melhor. Em "Execution" cada convidado coloca a sua identidade e a sua experiência em benefício do resultado final, que é absolutamente arrebatador.

A sonoridade apresentada no álbum nos remete direto aos anos oitenta, principalmente nos timbres da bateria. A parte musical pode ser classificada como uma mistura extremamente bem feita de metal tradicional com melódico, com passagens quebradas e riffs de guitarra que lembram o thrash metal americano daquela época.

O álbum abre em grande estilo com a faixa título, um dos maiores destaques do álbum, que vai do metal melódico até algumas passagens que beiram o progressivo. Ouvindo com atenção é possível perceber o cuidado com a produção e a concepção das músicas, com pequenos detalhes "perdidos" no meio do peso arregaçador apresentado durante toda a faixa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Forgotten Time" mantém o pique lá em cima, indo mais na linha do metal tradicional. "Divine Disgrace" começa mais calma, quase atmosférica, mas se revela pesadíssima e mostra todo o talento de Renato Tribuzy nos vocais.

Michael Kiske e Roland Grapow marcam presença na progressiva "Absolution", a faixa mais longa do álbum, com mais de nove minutos de duração. Sempre é bom ouvir a voz de Kiske, um dos maiores vocalistas da história do metal, mas aqui ele passa a sensação de estar meio displicente, apenas batendo o ponto, deixando a sensação, para quem conhece o seu trabalho e é seu fã, de que o resultado final poderia ser muito melhor. Já Grapow estraçalha nos solos, em uma grande atuação. Aliás, o guitarrista do Masterplan também marca presença em "Web Of Life", novamente com um solo inspirado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro grande destaque do álbum é o cover de "Nature Of Evil", da banda alemã Sinner, com a participação do próprio Mat Sinner e de Ralph Scheepers, ambos do Primal Fear. Na minha opinião a versão do Tribuzy ficou muito melhor que a original, em uma versão contagiante.

Mas o grande destaque, como não poderia deixar de ser, é a participação de Bruce Dickinson em "Beast In The Light". É de arrepiar ouvir Dickinson e Tribuzy duelando em toda a faixa. Quando Bruca canta "I was the priest, i was the beast", é impossível não colocar um grande sorriso no rosto. Outro ponto alto da canção são as notas absurdamente altas alcançadas pelo vocalista do Iron Maiden no refrão da música, além da voz de Renato nesta canção, onde ele parece incorporar Rob Halford em vários momentos. "Beast In The Light" também apresenta um duelo empolgante entre Roy Z e Kiko Loureiro nos solos. Com certeza, a melhor faixa de um álbum repleto de grandes momentos.

Merece destaque também a bela iniciativa da Hellion Records, que lançou o álbum em uma caprichadíssima edição digipack digna de nota, além do excelente trabalho de Gustavo Sazes, responsável pela concepção visual do álbum.

Mas, sem sombra de dúvidas, o mérito maior do trabalho vai para Renato Tribuzy. O ex-vocalista do Thoten é o grande nome de "Execution", e não é qualquer um que consegue se destacar em um álbum que conta com nomes como Bruce Dickinson, Kiko Loureiro, Michael Kiske e outros. Autor de todas as faixas, ele nos entrega além de excelentes composições que desde já podem ser consideradas clássicas do metal brasileiro, linhas vocais originais e empolgantes, além de uma performance vocal que não fica devenda nada aos melhores vocalistas em atividade.

"Execution" entra fácil no top#5 dos melhores álbuns lançados em toda a história do heavy metal brasileiro, e merece destaque como um dos grandes álbuns de 2005 em todo o mundo.

Excelente !!!

Faixas:
01. Execution
02. Forgotten Time
03. The Attempt
04. Divine Disgrace
05. Absolution
06. Web Of Life
07. Nature Of Evil
08. Lake Of Sins
09. Beast In The Light
10. Agressive

Partipações especiais de Bruce Dickinson, Michael Kiske, Roland Grapow, Kiko Loureiro, Ralf Scheepers, Mat Sinner, Dennis Ward, Roy Z e Chris Dale.

Banda:
Renato Tribuzy - Vocais
Gustavo Silvera - Guitarra
Frank Schieber - Guitarra
Ivan Guilhon - Baixo
Flavio Pascarillo - Bateria

Produzido por Renato Tribuzy e mixado por Dennis Ward

http://www.tribuzy.com
http://www.hellionrecords.com


Outras resenhas de Execution - Tribuzy

Resenha - Execution - Tribuzy



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Tribuzy"


Andre Matos: covers de Iron e Manowar com Dreadnox e Tribuzy em 1995Andre Matos
Covers de Iron e Manowar com Dreadnox e Tribuzy em 1995

Heavy Metal: 50 lições para ser um vocalista brasileiro do gêneroHeavy Metal
50 lições para ser um vocalista brasileiro do gênero


Iron Maiden: o pior momento de Bruce Dickinson no palcoIron Maiden
O pior momento de Bruce Dickinson no palco

Duff McKagan: Justin Bieber é um roqueiro de verdade!Duff McKagan
"Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280