Resenha - Final Tour - Shadows

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

9


No final dos anos 50, Hank Marvin (guitarra), Bruce Welch (guitarra) e Brian Bennet (Bateria) formavam a banda suporte do genial Cliff Richards. Mas ser apenas uma banda de apoio era insuficiente para todos. Com talento de sobra e uma vontade enorme de mostrar sua música ao mundo, os três formaram o núcleo da banda The Shadows, que durante os anos 60 lançou vários discos de grande repercussão com seu instrumental variado, que engloba desde o rock até o jazz, com extrema capacidade. Turbulências mal resolvidas nos anos 70 culminariam com o fim da banda nos anos 80. Porém seus integrantes seguiriam sempre marcando presença no cenário musical. Em 2003, a banda resolveu se reunir para uma última turnê, e este cd duplo que você tem em mãos é a amostra completa deste show interessante e cativante. 42 números, a maioria instrumentais... como eles conseguiram tudo isso?

Ouvindo o primeiro cd, músicas como "Riders in the Sky", "There for Your Glovers" e "The Savage" mostram que o trio não tem limites para sua musicalidade. A guitarra de Hank Marvin (escorada pelas bases certeiras de Bruce Welch) parece falar, com cada sílaba sendo acompanhada pela bateria segura de Brian Bennet, além de Mark Griffiths (baixo) e Cliff Hall (teclados), que dão um apoio seguro e cuidadoso. Ocasionalmente alguns vocais se fazem presentes, como na bela "Let Me Be the One", mas os destaques deste primeiro CD ficam para "Dance On", com sua levada "country", a rocker "Lady in the Morning" (outra com belos vocais), a "épica" "Geronimo", uma boa versão para "Don’t Cry for Me Argentina" (destruída por Madonna...) e uma releitura de "Equinoxe V" (que Hank gravou com Jean Michel Jarre, aquele dos shows gigantescos).

publicidade

Como é dito no próprio encarte, a musicalidade do trio não tem limites... doses eletrônicas e percussivas recheiam "Mountains of the Moon", enquanto que a atmosfera dos bailes escolares dos anos 60 rodeia toda a platéia em "Shadogie", além de um toque mexicano em "Gonzales". Destaques para a sutileza de "Atlantis", a levada anos 70 de "Please Don’t Tease", e o clima relax da suave "Summer Holiday" (a lá Beach Boys). "Apache", um de seus "hits", encerra quase 3hs e 30 min de apresentação.

publicidade

Um grande show, que vale para todos os apreciadores de boa música. Um "revival" do que foi o rock nos anos 60, 70 e um pouquinho dos 80. Agora chega.. já fiquei bolado demais de resenhar um CD de uma banda de mais de 35 anos!!! ;)

Material Cedido Por:
ST2 Music
http://www.st2.com.br


Outras resenhas de Final Tour - Shadows

Resenha - Final Tour - Shadows

Resenha - Final Tour - Shadows




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rodolfo: 100% arrependido das letras dos RaimundosRodolfo
100% arrependido das letras dos Raimundos

Presença de Palco: dicas para iniciantesPresença de Palco
Dicas para iniciantes


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin