Resenha - Dark Way Project - Perpetual Dreams

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Toral
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Formada por Marlon Silva (vocalista), Deny Bonfante (guitarrista), Richard Manzke (teclados), Jan P. Findeiss (baixo) e Fábio Passold (bateria), o Perpetual Dreams é uma banda que provem de Blumenau (SC).

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãTwisted Sister: segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"

Desde a época em que se chamava "Symphony", os músicos vieram trabalhando para soltar seu primeiro CD-Demo, ou seja, o já lançado "The Dark Way Project". O material consiste em um heavy melódico com pitadas de progressivo, aliado a excelência instrumental e muito bom gosto para composições inspiradas.

Logo em "Dark Way", após tradicional introdução climática, ouvimos um heavy que possui bases de guitarra inspiradas em Iron Maiden, bem como solos super trabalhados. "Souls Dreaming", bem ao estilo de um hard rock em seu início, se destaca por ter uma bela linha de vocal e dedilhados, junto a teclados inspirados no velho Dream Theater, dos áureos tempos de "Images and Words". Apontando mais uma possível influência, "Symphony" lembra bastante o Helloween da fase "The Time of the Oath" em alguns momentos, com um riff estupendo e melodias vocais impressionantes, sem exageros, na medida certa; mais uma vez, o solo principal impressiona, não pela rapidez, mas pelos arranjos. "Just a Nightmare" possui ótima linha de baixo, estando inserida dentro do contexto geral. E como não poderia faltar, "Storms" é uma balada; comum, mas com musicalidade. "A Reason to Live", para finalizar, é outra composição inspirada e ótima atuação do vocalista, enfim.

Analisando bem, a banda é formada por excelentes músicos, em especial Deny Bonfante - um guitarrista que não deve nada aos mais consagrados do país - e Marlon Silva, que apesar de não possuir agressividade em sua voz, consegue obter um ótimo desempenho, uma vez que não exagera e quando eleva sua voz se dá muito bem.

Em se falando de produção, a mesma não compromete o resultado final, mas fica o desejo de que uma gravadora contrate para já o Perpetual Dreams, pois essa banda será capaz de fazer estragos com uma estrutura de primeira linha.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Perpetual Dreams"


Metal Catarinense: 10 bandas para se conhecer [Parte 1]Metal Catarinense
10 bandas para se conhecer [Parte 1]

Perpetual Dreams: A coleção dos integrantes da banda catarinensePerpetual Dreams
A coleção dos integrantes da banda catarinense


Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Twisted Sister: segundo Dee, ser pobre e famoso é uma merdaTwisted Sister
Segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"

Jason Becker: O mais tocante desafio do balde de geloJason Becker
O mais tocante desafio do balde de gelo

Simplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundoSimplicidade é para os falsos
O nome de banda mais complicado do mundo

Black Sabbath: Nos separamos por causa do Live EvilBlack Sabbath
"Nos separamos por causa do Live Evil"

Lemmy: Em dois anos vou ter 70! Como isso foi acontecer comigo?Lemmy
"Em dois anos vou ter 70! Como isso foi acontecer comigo?"

Rafael Bittencourt: Com o Aquiles eu não mantenho mais contato e nem tenho vontadeRafael Bittencourt
Com o Aquiles eu não mantenho mais contato e nem tenho vontade


Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral no Whiplash.Net.