Matérias Mais Lidas

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemConheça o guitarrista brasileiro de 16 anos que estará no próximo clipe do Megadeth

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemA inteligente estratégia de Prika para não perder gravadora na ruptura da Nervosa

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemSteve Grimmett: vocalista do Grim Reaper morre aos 62 anos

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemDream Theater: confira possível setlist dos shows da banda no Brasil

imagemSons of Apollo une carisma e técnica em show no Rio com direito a piada de Mike Portnoy

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemAs 10 melhores músicas "lado b" da carreira solo de Dio, em lista do Metal Injection

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemO hit do Engenheiros do Hawaii frequentemente confundido com confissão de aborto


Dream Theater 2022

Resenha - Vagrants - Time Curve Symmetry

Por Thiago Sarkis
Em 24/01/00

Vagrants (Time Curve Symmetry)
Site Oficial - http://tcs.free.fr
David (Vocais) --- Pierra (Guitarras) --- Laurent (Guitarras) --- Thomas (Baixo) --- Xavier (Teclados)
Darko (Bateria)

A França sempre teve tradição com bandas de rock progressivo. No entanto, no metal progressivo não acontece o mesmo. O estilo, que vem crescendo cada vez mais e conquistando fãs em todo o mundo, não tem muitos representantes de força na França. Poucas bandas, como o Dreamchild, ganharam destaque na mídia e tiveram, merecido reconhecimento, em outros países.
Parece que a coisa vai mudar. O Time Curve Symmetry vem com toda a força para mudar essa imagem não muito positiva do metal progressivo francês.
"Vagrants", o debute da banda, contém sete faixas, sendo que três delas (uma instrumental) não possuem nem nome e servem 'apenas' como uma introdução para outras músicas.
Várias coisas merecem destaque neste CD, porém, acredito que o grande 'lance' da banda esteja na variação de estilos e influências variadas dos músicos. Eles não saem do progressivo, mas colocam, com competência, elementos de thrash/death/funk/fusion nas composições, que surpreendem e fazem com que eu admire ainda mais o trabalho destes franceses.
Os 'temas' são criativos, originais e muito bem trabalhados. As composições lembram de muitas das 'criações' do Dream Theater, mas não entram em clichês, como vem acontecendo com várias bandas, que já estão sobre o 'rótulo' de "clones de Dream Theater". Eles não estão entre estes "clones". De maneira alguma. Eles têm um som único.
Muito peso nas guitarras, muito 'swing' no baixo e para completar, excelentes idéias do baterista Darko. O cara faz um trabalho impecável. É, realmente, criativo e conta com uma técnica bem avançada.
David Scheurer não impressiona nos vocais, como os outros integrantes em seus respectivos instrumentos, mas consegue variar bem seu vocal, vezes mais melódicos e em outros momentos bem agressivo, chegando ao thrash/death.
Agradar a todos é complicado, praticamente impossível, mas é interessante como essa banda tem composições que podem empolgar fãs de Atheist/Sadus e ao mesmo tempo, encantar fanáticos por Dream Theater ou Symphony X.
Eles ainda não ganharam espaço na mídia como seus conterrâneos do Dreamchild, mas têm tudo para tal. Ótimos músicos, excelentes composições, criatividade a toda prova. Precisa mais?

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kurt Cobain e a banda brasileira que mexeu com ele: "eles foram muito revolucionários"

O trocadilho picante que Ney fazia em "Pro Dia Nascer Feliz" que Cazuza gargalhava


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.