Resenha - IV - Kick Axe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


O pessoal que vem curtindo rock pesado desde os anos 80 deve se lembrar do Kick Axe, pois em meados desta década foi lançado no Brasil um de seus trabalhos chamado "Vices" ainda no formato vinil, que foi devidamente rechaçado pela mídia especializada da época, porém apreciado por boa parcela do público.

Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da BarbieBruce: "Olhei para Di'Anno e pensei que deveria estar lá!"

Acontece que em 2000 os três primeiros álbuns do Kick Axe foram relançados em CD no exterior e tiveram boa vendagem. Empolgados com esse fato, estes canadenses voltam à ativa com praticamente todos os membros depois de quinze anos de encerradas as atividades. O novato aqui é o vocalista Gary Langen e o restante são os mesmos Larry Gillstrom e Raymond Harvey nas guitarras, o ótimo Victor Langen no baixo e Brian Gillstrom na bateria.

E o que antes era aquele hard rock calcado no heavy norte-americano que saturava o mercado musical oitentista, hoje está com menos distorção, mais refinado e polido. Em "IV" a voz de Gary se encaixou muito bem na nova linha musical mais melódica adotada pelo Kick Axe. É um disco bem variado, que oscila entre canções com algum peso, outras nem tanto e por fim, as baladas.

Os guitarristas se saem muito bem nos solos e Victor tem boas linhas no contrabaixo, que teve sua sonoridade realçada no disco e soando muito bem aos ouvidos. Dá para destacar "Right Now", "Rockin Daze", "Time", "Rock n'Roll Dog"; que possuem boa distorção e também a diferente e viajante "Slip Inside My Dreams". Mas aqui as tão famosas baladas que fazem a festa aos apreciadores do gênero realmente não conseguem empolgar e muitas vezes interrompe o que poderia ser uma boa seqüência de canções.

Musicalmente o Kick Axe não apresenta nada de original, é apenas música bem feita para entretenimento e sem maiores pretensões, soando até relativamente similar ao que o Firehouse vem fazendo. Indicado para quem curte hard mais farofa ou saudosistas.

KICK AXE - IV
2004 - distribuído por MNF Brazil)

01. Right Now
02. Rockin Daze
03. Consolation
04. Turn to Stone
05. Do You Know
06. Who Knows Ya
07. Woe
08. Time
09. Slip Inside My Dreams
10. Who Says
11. Rock n Roll Dog
12. Black Heart
13. City Lights
14. The Only Ones Here

homepage: www.kickaxe.net




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kick Axe"


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Bruce: Olhei para Di'Anno e pensei que deveria estar lá!Bruce
"Olhei para Di'Anno e pensei que deveria estar lá!"

Jason Newsted: revelando porque ele deixou o MetallicaJason Newsted
Revelando porque ele deixou o Metallica

Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogasVícios
As 10 melhores músicas sobre drogas

Rockstars: as esposas mais lindas do rock - 1ª parteRockstars
As esposas mais lindas do rock - 1ª parte

Led Zeppelin: 10 músicas para ouvir quando estiver na fossaLed Zeppelin
10 músicas para ouvir quando estiver na fossa

Dave Mustaine: Muitas bandas agem de forma estúpidaDave Mustaine
"Muitas bandas agem de forma estúpida"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336