Resenha - Best Of - Malevolent Creation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Lessa
Enviar correções  |  Ver Acessos


(Sum Records - nacional)

Iron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a bandaBlack Sabbath: As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic Rock

The Best of Malevolent Creation, coletânea lançada pela Sum Records agora no Brasil, traz apenas músicas dos três primeiros álbuns dessa boa e importante mas, ao mesmo tempo, subestimada banda. São 18 faixas e, apesar de cobrir apenas o que se pode chamar de período inicial do conjunto, mostra bem os problemas enfrentados pelo grupo, principalmente no terceiro disco, Stillborn. No entanto, os dois primeiros lançamentos da banda criada pelo guitarrista Phil Fasciana e pelo vocalista Brett Hoffman - O debut The Ten Commandments e Retribution - fazem parte de uma época gloriosa para o death metal, quando uma segunda leva de bandas surgiu em todo os cantos do mundo no fim dos anos 80.

Formada em Buffalo, Nova York, no ano de 1987, o Malevolent logo migrou para Tampa, na Flórida, onde a cena death metal americana ganhou força. Suas performances ao vivo chamaram a atenção da Roadrunner e o grupo lançou The Ten Commandments em 1991. O disco, produzido pelo mago do estilo, Scott Burns, logo fez a banda ganhar mais admiradores e, ao mesmo tempo, elogios da crítica especializada. Seis músicas desse disco fazem parte da coletânea, entre elas a clássica Sacrificial Annihilation e a excelente Multiple Stab Wounds.

Em Retribution, de 1992, o Malevolent Creation contou novamente com o mestre Scott Burns e o resultado foi mais uma porrada na orelha. Mais seis faixas desse álbum fazem parte da coletânea, com destaque para Eve of the Apocalypse e Slaughter of Innocence. Nesse disco, ficou clara a evolução da banda, que fazia um som maduro e, mais importante, com caraterísticas próprias. A pior parte da coletânea fica com as quatro faixas de Stillborn e mais uma música (Genetic Affliction) em versão demo para o mesmo álbum. Os problemas na formação e a decadência dos vocais de Hoffman por causa do abuso de drogas se refletiram na gravação do disco, produzido por Mark Pinske. Nada se salva e as faixas refletem uma banda sem orientação e, pior, com uma gravação praticamente amadora.

A última faixa é o cover de Piece By Piece, do Slayer. Gravada durante as sessões de Retribution, a música foi lançada na coletânea At Death's Door, de 1993. Com a música, o Malevolent Creation não só presta tributo a uma das maiores bandas de metal de todos os tempos, como comprovava seu próprio talento. Enfim, The Best of Malevolent Creation serve tanto aos fãs mais ardorosos do grupo quanto àqueles que pouco ou nada conhecem da banda. Entretanto, seria mais bacana ainda se todos os discos do conjunto fossem lançados em terra brasileira. Até porque, a banda continua na ativa e recentemente veio ao país em turnê para promover o lançamento de The Will to Kill.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Malevolent Creation"


Iron Maiden: A tour de Powerslave quase acabou com a bandaIron Maiden
A tour de Powerslave quase acabou com a banda

Black Sabbath: As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic RockBlack Sabbath
As 10 melhores músicas da banda segundo a Ultimate Classic Rock


Sobre Daniel Lessa

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336