Zakk Wylde: "Black Sabbath com o Dio não é Black Sabbath"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar Correções  

Greg Prato do Songfacts conduziu em 2014 uma entrevista com o guitarrista Zakk Wylde (BLACK LABEL SOCIETY, OZZY OSBOURNE). Confira um trecho que foi destaque na entrevista.

Songfacts: Eu sempre me perguntei como seria um segundo line-up com Ozzy, Randy e também Rudy Sarzo e Tommy Aldridge em um estúdio de gravação.

Zakk: Eu acho que teria sido uma coisa completamente diferente. Como poderia não ter sido. Veja eles como os Patriots - Ozzy e Randy, seriam Bill Belichick e Tom Brady, mas iríamos ter diferentes receptores, diferentes atacantes, diferentes zagueiros. Obviamente, não teríamos com o que nos preocupar com o Capitão América e o Father Belichick, pois sabemos do que eles são capazes. Mas o resto da equipe, sem Wes Welker lá, vamos ver no que vai dar. Sem dúvida, mesmo quando eu toco com o Black Label, quando temos diferentes caras com quem eu toco, todo mundo sempre traz sua própria magia, o seu próprio sabor à sopa, de boa. Você ouve BLACK SABBATH com Ronnie James Dio e não é Black Sabbath. Eles deveriam ter chamado apenas HEAVEN & HELL, desde o início. Porque você escuta o álbum "Heaven and Hell", e não soa nada perto do Black Sabbath. Quero dizer, isso soa tão bem como Sabbath assim como "Blizzard of Ozz" do Ozzy. Se você tocasse Black Sabbath para mim - e olha que eu sou fanático por Sabbath - e, depois, com o Dio lá, eu diria, "Oh, legal, que banda é essa? Esse negócio é bom". Quero dizer, as músicas não soam como Black Sabbath. Tipo, "Neon Knights", por exemplo, você poderia imaginar Ozzy cantando essa música?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Songfacts: Não, não consigo.

Zakk: Eu também não. É estranho. É uma banda totalmente diferente. Mas como você disse, existem diferentes dinâmicas, com pessoas diferentes, especialmente se tratando de um time de compositores. Com o NINE INCH NAILS, tudo é o Trent Reznor. Então, quando nós temos um novo disco do Nine Inch Nails, depende de que lado da cama Trent acorda, o que ele comeu ultimamente e de como ele está. Porque ele costuma preparar a refeição completa. Não é como um time de compositores, onde todo mundo toca coisas para ele: você vem com a ponte, eu venho com o riff principal, Mike com aquela parte antes do solo de guitarra, e então o que sobrou termina com Joey. Isso é como uma banda dinâmica. Mas o negócio com o Nine Inch Nails é o Trent. Ele é o Salvador Dali daquilo tudo. E, depois disso, falando em compositores, quando você pega Paul McCartney e o WINGS, é uma coisa completamente diferente. Suas composições no geral são insanamente boas. "Maybe I'm Amazed" e tudo mais que faz parte do material dos BEATLES, ele escreveu.

Leia a entrevista completa (em inglês) no link abaixo:
http://www.songfacts.com/blog/interviews/zakk_wylde/

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fonte original desta matéria:
http://www.blabbermouth.net/news/zakk-wylde-says-black-sabba...

Agradecimento: Carlos Henrique Schmidt

Comente: E para você, Black Sabbath com Dio é Black Sabbath?




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ultimate Classic Rock: as 25 músicas mais tristes da históriaUltimate Classic Rock
As 25 músicas mais tristes da história

System of a Down: casamento vai abaixo com Toxicity, vídeo viraliza e Serj divulgaSystem of a Down
Casamento vai abaixo com "Toxicity", vídeo viraliza e Serj divulga


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Goo336 GooAdHor Cli336