Resenha - Inner Circle - Evergrey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


E lá vêm eles novamente: os suecos Evergrey com seu quinto ábum, "The Inner Circle", mais uma pequena obra-prima do heavy metal contemporâneo.

Evergrey: em exclusiva, banda fala sobre nova turnê pelo Brasil e fase atualLoudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Considerado por muitos como sendo uma banda de prog metal, termo totalmente rechaçado pelo seu líder, Tom Englund, sendo que na realidade essa grande banda executa um metal bastante técnico, nunca deixando de lado uma imensa preocupação com as melodias, que fluem naturalmente, sendo um dos poucos grupos que conseguem transmitir muitos sentimentos como melancolia e indignação social com tanta maestria, tal a capacidade de expressão desse pessoal.

Contando com Tom S. Englund nas vozes e guitarras, cuja voz é reconhecida como sendo uma das melhores na cena atual, Henrik Danhage nas guitarras, Michael Hakansson no baixo, Rikard Zander nos teclados e o novato garoto Jonas Ekdahl na bateria (toca muito e foi indicado pelo antigo baterista), Evergrey vem mostrar sua preocupação com os rumos da sociedade humana em muitos de seus níveis.

The Inner Circle é seu primeiro álbum conceitual, cuja temática é a religião. Ok, nada de novo, afinal, é o que mais temos observado nos meios de comunicação nos últimos tempos, mas sempre considerei o heavy metal um meio musical um tanto quanto óbvio para apresentar o protesto em geral, e é o que o Evergrey sempre fez de maneira inteligente.

Com vocais sempre emotivos, ora agressivos, ora suaves, guitarras pesadas, solos que muitas bandas atuais preferem ignorar, belos teclados e uma cozinha prá lá de competente, além da participação da esposa do dito mentor, Carina Englund em algumas vozes; ainda conta com o quarteto de cordas da Orquestra Sinfônica de Gothemburgo, o disco é uma aula de excelentes composições, emoções à flor da pele e peso, muito peso.

Destaques? Todo o álbum! Mas a que mais surpreendeu de maneira inesperada este que vos escreve foi a enigmática "When The Walls Go Down", instrumental, mas que apresenta alguém com tanta confusão de sentimentos que mexe com o ouvinte de maneira um tanto quanto estranha. Ainda temos três bônus, faixas que são do álbum anterior, mas aqui na versão acústica e gravadas ao vivo na França.

Para finalizar, alguém aí está nos devendo o primeiro disco do Evergrey, "The Dark Discovery", que já foi prometido há mais de um ano...mas que com certeza sairá, pois todo o resto está disponível no mercado nacional.

EVERGREY - The Inner Circle - 2004
distribuído por Hellion Records

01. A Touch Of Blessing
02. Ambassador
03. In The Wake Of The Weary
04. Harmless Wishes
05. Waking Up Blind
06. More Than Ever
07. The Essence Of Conviction
08. Where All Good Sleep
09. Faith Restored
10. When The Walls Go Down

Faixas-bônus ao vivo e acústicas:

11. I'm Sorry
12. Recreation Day
13. Madness Caught Another Victim




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Evergrey"


Evergrey: em exclusiva, banda fala sobre nova turnê pelo Brasil e fase atualEvergrey
Em exclusiva, banda fala sobre nova turnê pelo Brasil e fase atual

Evergrey: Informações sobre os shows do Brasil

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Tom Englund: os álbuns que marcaram o vocalista do EvergreyTom Englund
Os álbuns que marcaram o vocalista do Evergrey


Loudwire: as 10 melhores músicas do Slipknot segundo o siteLoudwire
As 10 melhores músicas do Slipknot segundo o site

Black Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universoBlack Metal
Banda brasileira fez clipe mais bizarro do universo


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336