Resenha - A Lethal Dose Of American Hatred - Superjoint Ritual

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Se não temos Pantera, que procuremos pancadaria em outros trabalhos de seus membros. Philip Anselmo é uma daquelas figuras ocupadas, constantemente produzindo. Ele integra vários conjuntos e, dentre eles, podemos destacar, principalmente na atual conjuntura, o Superjoint Ritual. Aparentemente, é neste grupo o maior investimento dele.

Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposThe Voice: candidato faz power metal cantado em português

Pois bem, depois do razoável debute "Use Once And Destroy" (2002), a banda volta com tudo, levada mais a sério e com integrantes empolgados, explorando os seus próprios limites. Exceto, neste caso, o próprio Anselmo, cujos vocais já davam indícios de um precipício em gravações anteriores e, desta vez, apenas reiteram tal hipótese.

O hardcore praticado por esses cinco americanos com agressividade e velocidade extrema tampona, de certa forma, a queda do vocalista. Contudo, há momentos de referência thrash e algumas cadências stoners, os quais impedem a negação de tal fato.

Os músicos, entretanto, estão ativos em "A Lethal Dose Of American Hatred", e superam as expectativas daqueles que os ouviram na estréia do grupo. Bom instrumental, variações interessantes, riffs trabalhados como nunca dantes. Importante chamar atenção neste aspecto para a abertura com "Sickness" e também "The Destruction Of A Person", "Personal Insult" e "Permanently".

Mixagem legal, quase tudo numa qualidade ao menos razoável. O que há de se lamentar mesmo são as letras. Um tipinho adolescente rebelde, petulante, e sem qualquer embasamento. Se você suportar passar por isto e ocasionalmente não sobrarem vestígios de certa antipatia, parabéns, visto que poderá curtir o álbum mais intensamente. Noutra maneira, só lamento, tente usar o modo karaokê do seu som.

Site Oficial: http://www.superjointritual.com

Formação:
Philip Anselmo (Vocais - Guitarras)
Jimmy Bower (Guitarra)
Kevin Bond (Guitarra)
III (Baixo)
Joe Fazzio (Bateria)

Material cedido por:
Century Media Records / Nuclear Blast - http://www.centurymedia.com.br
Caixa Postal 1240 São Paulo SP 01059-970 BRASIL
Telefone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Email: brasil@centurymedia.com.br
brasil@nuclearblast.de




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Superjoint Ritual"


Philip Anselmo: nunca houve um guitarrista como DimebagPhilip Anselmo
"nunca houve um guitarrista como Dimebag"

Phil Anselmo: sempre toquei guitarra nas bandasPhil Anselmo
"sempre toquei guitarra nas bandas"


Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336