Resenha - Force Of Evil - Force Of Evil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Tiago Lucas Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos


Vocês já imaginaram o Mercyful Fate sem a voz de King Diamond? Pois é isso que nós ouvimos nesse play do Force Of Evil. Essa semelhança porem, não é mera coincidência, pois quatro dos cinco músicos que compõe a banda já tocaram com Mr. Diamond. O line-up conta com a dupla clássica de guitarras do Mercyful Fate (Michael Denner e Hank Sherman) o batera Bjarn Holm, que gravou os últimos três álbuns do Mercyful, o baixista Hal Patino, que gravou alguns álbuns na banda solo de King Diamond, e o vocalista Martin Steene da banda Iron Fire.

Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposThe Voice: candidato faz power metal cantado em português

O som do Force Of Evil retoma quase que perfeitamente a sonoridade dos três últimos álbuns do Mercyful e ainda alguns momentos dos clássicos dos anos 80 (Mellissa, Dont Break The Oath). É realmente excelente ouvir de novo os duetos de guitarra de Michael Denner e Hank Sherman, os riffs matadores, as quebradas rítmicas (um tanto bizarras, mas muito interessantes), enfim, podemos ouvir tudo aquilo que faz nós, fãs do Mercy, comprarmos um álbum.

O único porem do álbum, se é que podemos chamar de porem, é o vocalista Martin Steene. Não que o cara seja ruim, longe disso, mas os riffs do Mercyful Fate "pedem" desesperadamente pela voz de King Diamond. Toda vez que ouço esse álbum fico imaginando: "como seria tal faixa se o King Diamond cantasse". O principal motivo desse estranhamento, não acho que seja a voz de Steene, que nesse álbum nem é tão diferente da voz de Diamond, mas a composição das linhas vocais. Ouvindo esse álbum fica claro como King Diamond tem uma baita criatividade para criar linhas vocais originais e precisas (ou outros adjetivos clichés de sua preferência). As linhas vocais de Steene não são ruins, mas também não são tão boas quanto às de Diamond, o que acabou me frustrando um pouco. O jeito é parar de fazer essas inevitáveis comparações...

Utilizando-se do artifício da amnésia podemos ouvir um grande álbum nesse debut do Force Of Evil e nem poderia ser diferente com o alto gabarito dos músicos presentes. Nessa estandardização que, na minha opinião, o cenário metal passa hoje em dia, nada mais revigorante do que ouvir um álbum como esse!

Site: www.forceofevil.net


Outras resenhas de Force Of Evil - Force Of Evil

Resenha - Force of Evil - Force of EvilResenha - Force of Evil - Force of Evil




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Force Of Evil"


Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português


Sobre Tiago Lucas Garcia

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336