Resenha - Plexus - Plexus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Ianatoni
Enviar Correções  


Publicado originalmente no site HMS Brazil.

publicidade

Usar o termo "musica baiana" referindo-se apenas a axé, é uma incoerência, um ledo engano, ou como diriam os baianos: "Oxi, meu rei! É nada disso não!". Plexus é pura musica baiana, é heavy metal da melhor qualidade, é sem duvida uma banda de rock no conceito, na ousadia e na atitude. O disco homônimo, é um trabalho independente de alta qualidade e prensado em escala industrial. O encarte, simples mas muito bem aproveitado, trás as letras das musicas, fotos e informações pertinentes; visualmente agrada, a concepção gráfica combina o significado da banda (na medicina: rede de nervos ou vasos sanguíneos; no figurado: encadeamento,entrelaçamento) à figura do metal.

publicidade

No disco a qualidade se reafirma. Heavy metal tradicional com temperos de hard rock e referências de Maiden e Metallica, letras interessantes, bons arranjos e pegadas pesadas, mesmo pra uma banda com apenas três componentes.

Nas três Primeiras faixas do álbum, temos true metal de primeira. Para quem quer uma referência, lembra Blaze, ou mesmo as representantes nacionais Dominus Praelli e o Chaosfeare. Os vocais são agressivos, a guitarra pesada, os riffs estridentes.

publicidade

Not A Change vem em seguida, com temperos de hard rock e um vocal mais rápido. Sugere estar ouvindo um punk speed do Offsprings em sua melhor época. Bem como na faixa Heartbreaker. Ouvir as duas e não ter vontade de correr batendo em tudo que se tem vontade é como ver uma mulher gostosa e não olhar pra ela.

Once In A Heart, faixa cinco do cd, tem cara de thrash, pura influencia do metallica, ótimos riffs, mas falha no vocal, uma tentativa estranha de cantar ao estilo melódico, não o tradicional melódico mas um próximo ao do Iced Earth. Esse é um ponto fraco apesar da musica ser excelente.

publicidade

Ai vem Ronin, com solos de guitarra que é Iron Maiden na cabeça. A faixa é instrumental, mas tem incidência de áudio de algum filme japonês, bastante curioso.

Arrival começa com uma introdução a lá maiden e volta com o Heavy tradicional num speed beirando uns 60km/h.

Epic Chãos, trás o true metal do inicio de volta. Com as mesmas características já citadas.

publicidade

Se eu fosse uma gravadora ficava de olho nesses caras. Se fosse você, correria atrás do cd, mas como eu sou eu, deixo aqui a minha impressão. Plexus é uma banda corajosa em sua atitude e competente no que faz. Músicas pesadas, originais e referências excelentes.

publicidade


Outras resenhas de Plexus - Plexus

Resenha - Plexus - Plexus

Resenha - Plexus - Plexus




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey

Separados no nascimento: Paul Stanley e Ioná MagalhãesSeparados no nascimento
Paul Stanley e Ioná Magalhães


Sobre Thiago Ianatoni

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin