Resenha - Melancholia - Century

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

7


Veja o nome do disco. Olhe a bela capa. Agora fique sabendo o nome de algumas músicas: "Perfect Lie", "Fall For You", "Me, Myself And I", "Melancholic Light". Não é muito difícil saber que estamos falando de gótico. Ou então, estaríamos nos deparando a uma originalidade realmente absurda e este não é o caso, definitivamente.

publicidade

Nada de misterioso, e nenhum tesouro a ser descoberto aqui. É pura e simplesmente um ‘gothic rock’ bem acessível, repleto de samples, e com destaque total para os sintetizadores. As guitarras? Têm seu lugar, sem dúvida alguma. Aparecem sempre, com boa sonoridade nas bases simples, porém, perfeitamente adequadas.

Tudo se parece bastante com o que foi realizado pelo Paradise Lost nos seus trabalhos mais recentes. Numa referência precisa, seria um "One Second" (1997) com o pé dando uma apertada no freio. Podemos mencioná-los num meio termo entre este último citado e "Host" (1999).

publicidade

Como bons germânicos, são exatos e mantêm uma boa regularidade, além de similaridades claríssimas entre algumas faixas.

A surpresa surge no fim, com "Shine", uma canção aberta, a qual possui um ‘tom’ diferente das demais composições. A razão disso está na letra positivista, que só neste adjetivo aludido, já faz da música diversa em relação ao resto do disco.

publicidade

É impossível falar mal, fácil engolir e complicado elogiar. De estranho e imprevisível só o fato do Century ser um projeto do ex-baterista do Crematory, Markus Jüllich, o qual, aqui, só toma conta das programações e dos samples.

A crítica acaba indo de encontro à perspectiva que o álbum nos traz, ou seja, uma câmera dentro do carro de Rubens Barrichello na hora da largada com seu "ever conking motor". Grande e eficiente piloto, o qual, entretanto, definitivamente não #$%@, nem sai da moita. Se você acorda domingo cedo para assistir isso, pode comprar o CD.

publicidade

Site Oficial - http://www.century-music.de

Formação:
Michael Rohr (Vocais)
Kristian Kohlmannslehner (Guitarras)
Gernot Leinert (Teclados)
Markus Jüllich (Samples – Programação)
Guido Holzmann (Baixo)
Andreas Neuderth (Bateria)

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua 24 de Maio, 62 – Lojas 280 / 282 / 308 – Centro.
São Paulo – SP – BRASIL
CEP: 01041-900
Tel: (11) 5083-2727 / 5083-9797 / 5539-7415
Fax: (11) 5549-0083
Email: [email protected]

publicidade


Outras resenhas de Melancholia - Century

Resenha - Melancholia - Century




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Deuses do Rock: o tempo passa para (quase) todos elesDeuses do Rock
O tempo passa para (quase) todos eles

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosRolling Stone
As melhores músicas com mais de sete minutos


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin