Resenha - Planetude - Sagga

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

10


Primeiro cd.... o peso da estréia... o sucesso que pode bater a porta ou passar batido. Toda banda deve ter passado por isso. O começo de uma saga. E o Sagga começa sua história com um cd fantástico. Confesso que fiquei um tanto ressabiado quando peguei este cd, pois o mesmo me vinha muito bem recomendado, e não foi por uma ou duas pessoas. Mas ao ouvir o petardo de estréia deste quinteto paulistano, tive que dar o braço a torcer: a banda estreou com tudo. Uma capa muito bem feita, produção de primeira (com o auxílio de Sascha Paeth) e músicas que compilam todos os elementos do bom heavy metal tradicional.

publicidade

O cd já nos brinda com uma abertura fantástica. A cativante "Breaking Frontiers", aonde a banda apresenta seu power metal influenciado por Helloween, Gamma Ray, mas com teclados bem colocados, refrões cativantes, e riffs de guitarras tipicamente "maidenianos". A faixa seguinte, "Searching for the Sun", começa com um show vocálico de Maurício Queiroz, que usa sua voz com maestria, dosando bem agudos e sons graves, desembocando numa faixa mais ligada ao power oitentista, cujo refrão teima em grudar em nossas cabeças.

publicidade

As guitarras dão o tom na faixa seguinte, "Fight for Survival", com boa inserção de teclados (como estes são bem utilizados!) e a participação de André Mattos (Shaman), num bom dueto com Maurício, numa faixa mais cadenciada, com uma excelente levada. Ritmos cadenciados que se repetem na épica "The Sign" (uma das melhores) na instrumental atmosférica "Planetude". A banda também usa bons elementos de hard rock, como na faixa "Incident", aonde a mescla de rock e metal soa muito agradável aos ouvidos, e na mais rockeira "Fly Away", com um bom trabalho de bateria de Gabriel Lobitsky. Mas o melhor fica para o final, as cativantes "Incident" e "NOVA", com um excelente uso dos teclados e mais uma vez pinçando elementos de hard rock. Para fechar o cd em grande estilo, a faixa que o quinteto havia gravado para o projeto "HAMLET", "Dagger of Words", que se diferencia pelo lado mais épico, mas ainda assim muito bem encaixada no cd.

publicidade

Uma banda entrosadíssima, um excelente cd... mais uma vez temos o surgimento de um nome em potencial para o heavy nacional. Parabéns ao Sagga.

Site: www.saggaonline.com

Line Up:
Mauricio Queiroz – Vocais
Anderson Carlo – Guitarras
Gustavo Duarte – Baixo
Gabriel Lobitsky – Bateria
Jose Cardillo – Teclados

Louder Music – www.louder-music.com

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Roadrunner: os álbuns mais desprezados de todos os temposRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos

Ozzy Osbourne: Fim do Guns foi a maior tragédia do rockOzzy Osbourne
Fim do Guns foi a maior tragédia do rock


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin