Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência


Stamp

Resenha - I Get Wet - Andrew W.K.

Por Rafael Carnovale
Em 17/04/02

Nota: 9

"Tento fazer a música que seja mais excitante para as pessoas" – Assim este desconhecido músico (agora nem tanto) define seu estilo. Mas o que esperar de um cara que aparece numa foto todo ensangüentado no rosto, parecendo que levou um tapão digno de um Tyson ou Popó? E ainda coloca a foto na capa de seu cd, lançado por uma multinacional. Se julgássemos um livro pela capa, poderia tratar-se de mais um rockeiro da moda americano, seguindo o estilo de bandas como Everclear, Sugar Ray, é claro, sem menosprezar as mesmas, que têm seu valor.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas ao ouvir o cd o susto! O cara adora hard rock dos anos 80!!!! E enche seu cd de músicas para festa: refrões pegajosos, daqueles de ficar cantando junto por horas e horas, ritmos empolgantes, coros fortes nos refrões, teclados discretos porém bem colocados. Seu vocal é um tanto gutural, lembrando em estilo Dave Grohl, do Foo Fighters. E ele nitidamente bebe no hard rock californiano de bandas como Poison, Motley Crue, Ratt, e ainda adiciona uns toques de pop, punk, e algumas batidas eletrônicas, muito discretas.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O cd abre com a porradíssima It’s Time to Party, que com seus 1:30 de duração já dita o clima do cd, a festa começou. Guitarras pesadas, batidas agressivas, e uma levada contagiante, digna de um bom punk rock (mas o cara não era hard rock?). Pois é.... ele começa com uma música punk. Gostou? Então caia na festa com a seguinte, Party Hard, um digno petardo dos anos 80 que faria Brett Michaels se encher de orgulho. Na terceira faixa o tema que os rockeiros dos anos 80 adoram e nós também: GAROTAS. Girls Own Love, mantendo o nível alto do cd. A essa hora vc já estará cantando o refrão "You Don’t Stop" sem parar. O clima continua festeiro e intenso nas faixas seguintes: Take It Off e I Love New York City, uma declaração de amor à cidade que sofreu com os atentados de 11 de setembro. Será?

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Todas as faixas seguem o mesmo padrão: rápidas, cativantes, agressivas e festeiras. Isso torna o cd repetitivo? De certo modo sim. Mas todas são igualmente muito boas, então vale a pena se repetir, pois como ele diz logo no início: É hora da festa.

Destaques: é difícil. Todas as faixas se parecem muito. Mas você poderá se empolgar de imediato com a punk It’s Time to Party, I Love NYC, Party Til You Puke e I Get Wet. Os mais céticos dirão que esse cd não acrescenta nada ao cenário musical e que ele é extremamente repetitivo... mas não esquenta... pegue o cd e saia festejando por aí, pois lembraram que o rock and roll é para divertir! AINDA BEM! :)

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Line Up:
Andrew W.K. – Vocais
Guitarras – Jimmy Coup, E.Pain e Sgt. Frank
Baixo: Gregg
Bateria: D.T.
Teclado: San Revelli, Frank Verti e Mario Dami

Faixas:

1 – It’s Time to Party
2 – Party Hard
3 – Girls Own Love
4 – Ready To Die
5 – Take It Off
6 – I Love NYC
7 – She is Beautiful
8 – Party Til You Puke
9 – Fun Night
10 – Got to Do It
11 – I Get Wet
12 – Don’t Stop Living in Red

Tempo Total: 35:37


Outras resenhas de I Get Wet - Andrew W.K.

Resenha - I Get Wet - Andrew W.K.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.