Resenha - Rock In Rio - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fábio Faria
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Quatorze meses depois da apresentação no festival Rock in Rio 3, dia 19 de janeiro de 2001, os fãs têm em mãos um CD que pode ser considerado um marco na carreira do Iron Maiden. Se considerarmos que o álbum “Rock in Rio” reflete o ótimo momento que a banda vem atravessando, ele tem tudo para fazer história.
5 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosDiscórdia: alguns dos maiores insultos entre artistas

Depois da volta de Bruce Dickinson e Adrian Smith, veio o lançamento do “Brave New World” (muito bem recebido mundialmente) e uma turnê vitoriosa que passou pela Europa, América do Norte, Japão e teve sua parte sul-americana finalizada no Brasil, durante um festival de grande projeção internacional. O show na terceira edição do Rock in Rio foi o maior evento no qual o Iron Maiden esteve como atração principal.

Mesmo com uma certa insatisfação dos fãs em relação ao repertório tocado na “Brave New World Tour” – grande concentração de canções novas e muitos clássicos deixados de lado – este CD duplo (cuja versão especial tem faixas multimídia e capa holográfica) mostra com fidelidade o que foram os shows dessa turnê: o Iron Maiden provando que a volta de seus ex-integrantes não foi uma jogada de marketing para encher o bolso de dinheiro, e sim, que eles acreditavam no material novo que haviam criado, que ele tinha qualidade, e que dele poderiam surgir novos clássicos, daqueles que passam a fazer parte do set list de qualquer show do conjunto no futuro – “Blood Brothers” é uma forte candidata ao posto. Vale ressaltar que, duas das melhores canções da era Blaze passam a ser imortalizadas em versões ao vivo: “The Clansman” e “Sign of The Cross”.

Além disso, o CD registra uma performance perfeita do grupo. Seis quarentões - Bruce Dickinson, Steve Harris, Dave Murray, Adrian Smith, Janick Gers e Nicko McBrain - que ao empunharem seus instrumentos incendeiam qualquer platéia. Todos eles são mais que eficientes, entretanto, não se pode negar que o mérito maior é do vocalista Bruce Dickinson. É impressionante perceber que os anos passam e ele continua sendo o mais carismático frontman da história do Heavy Metal. Podem existir cantores melhores que ele – poucos, talvez Dio e Rob Halford – mas nenhum tem o poder hipnótico que Bruce exerce numa platéia.

O registro desse poder acabou sendo prejudicado no CD, no que pode ser considerado como o único ponto negativo deste lançamento. Steve Harris, usando das facilidades que o computador oferece a um produtor atualmente, cortou trechos da voz do Bruce em algumas canções e os colou em partes que o cantor interagia com os milhares de fãs. A desculpa dada foi que a “voz” da platéia às vezes estava fora de tempo em relação à música, ou então, não na altura adequada. Na verdade, uma bobagem, que deixará muita gente contrariada.

Fora o deslize, Harris evoluiu como produtor, e ao lado de Kevin Shirley, conseguiu dar ao “Rock in Rio” a produção que um disco ao vivo necessita. As 3 guitarras soam potentes, a cozinha (baixo/bateria) está perfeita e a participação dos fãs, mesmo escondida em alguns trechos pela voz “cortada/colada” de Bruce, ficou excepcional, contribuindo para o resultado final do CD.

Em entrevistas recentes, Bruce Dickinson chegou a comparar o CD “Rock in Rio” com o clássico “Live After Death”, este uma referência obrigatória em se tratando de disco ao vivo. Apesar das diferenças, os dois álbuns documentam dois momentos grandiosos da carreira do Iron Maiden. Primeiro, o auge da popularidade durante a turnê do álbum “Powerslave”, e agora, a coroação de um retorno bem sucedido. Se o novo ao vivo será tão importante quanto o antigo, só o tempo, e os fãs dirão.

Track List CD 1

01. Intro *
02. The Wickerman
03. Ghost Of The Navigator
04. Brave New World
05. Wrathchild
06. Two Minutes To Midnight
07. Blood Brothers
08. Sign Of The Cross
09. The Mercenary
10. The Trooper
11. A Day In The Life **

* “Arthur's Farewell”, do filme “O Primeiro Cavaleiro”, com Sean Connery e Richard Gere

** video mostrando imagens curiosas de bastidores)

Track List CD 2

01. Dream Of Mirrors
02. The Clansman
03. The Evil That Men Do
04. Fear Of The Dark
05. Iron Maiden
06. Number Of The Beast
07. Hallowed Be Thy Name
08. Sanctuary
09. Run To The Hills
10. Brave New World *

* Vídeo tirado do futuro DVD

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Rock In Rio - Iron Maiden

2978 acessosResenha - Rock In Rio - Iron Maiden3733 acessosResenha - Rock In Rio - Iron Maiden1683 acessosResenha - Rock In Rio - Iron Maiden

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

5 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores324 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
A maior coleção que ninguém derrota

Iron MaidenIron Maiden
Nicko McBrain assimila outro baterista em seu lugar

Iron MaidenIron Maiden
E se Blaze Bayley tivesse ficado para mais um disco?

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Rock In Rio"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

DiscórdiaDiscórdia
Alguns dos maiores insultos entre artistas

Suzi QuatroSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock

As I Lay DyingAs I Lay Dying
Banda cristã comenta proximidade com o Behemoth

5000 acessosIron Maiden: "Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce5000 acessosBon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de fora5000 acessosStrip-Tease: algumas canções que combinam com o tema5000 acessosMotorhead: as 10 melhores, segundo a Loudwire5000 acessosThe Voice Kids: o que Regis Tadeu achou da Valentina?5000 acessosSeparados no nascimento: Steven Tyler e Márcia Goldsmich

Sobre Fábio Faria

"Maidenmaníaco" convicto, nascido em 1973, passou a escutar Rock com 10 anos de idade. Primeiro disco adquirido foi "Destroyer" do Kiss. Logo depois conheceu o álbum "Killers" do Iron Maiden, e a identificação foi instantânea. Curte todos os estilos e sub-estilos do Rock e do Metal. Sem preconceito, escuta desde Black Sabbath, Yes, Janis Joplin, Slayer, In Flames, Sex Pistols até Dream Theater, U2, Blind Guardian, Slipknot, Carcass, etc. Bandas favoritas: Iron Maiden e Beatles.

Mais matérias de Fábio Faria no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online