Matérias Mais Lidas

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemDavid Coverdale diz que hit "Is This Love" seria gravada por Tina Turner

imagemMichael Anthony diz que "Van Halen III" foi "a coisa mais louca que a banda já fez"

imagemNovo álbum do Krisiun será lançado em julho; veja capa e tracklist

imagemA banda de forró que uniu Nenhum de Nós, Legião, Titãs e Paralamas na mesma música

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemA apaixonada opinião de Elton John sobre "Nothing Else Matters", clássico do Metallica


Resenha - Ambiguity - Brainstorm

Por Haggen Kennedy
Em 26/12/00

Nota: 8

A primeira coisa que pensei quando recebi esse CD foi "os curitibanos voltaram com tudo!!", lembrando-me do Brainstorm brasileiro que conheci em seu disco-debute, de 1996.

Mas não era. Esse Brainstorm, provindo da Holanda, é que veio com tudo. A princípio, vale destacar a parte instrumental do grupo, que está bem coesa. Os riffs estão de matar, as composições são realmente bem metal, rápidas, pesadas e com boa dose daquele "sabemos o que estamos fazendo", que é essencial para qualquer banda. Andy Franck mostra um ótimo vocal, não exagerando em qualquer parte e mantendo uma boa linha harmônica em todas as músicas que formam esse disco. Além disso, as mensagens são passadas de uma forma bem legal - as letras são bem escritas, sem dúvida. Inclusive, eles se deram ao trabalho de disponibilizar um epítome ao início de cada uma.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dentre as 11 faixas existentes no álbum, as melhores são "Beyond My Destiny" (verdadeiro hino), "Demonsion" e "Perception of Life". É de se destacar também o ótimo trabalho de produção feito por Dirk Schlächter (Gamma Ray), juntamente com a própria banda.

Em suma, é um bom disco. Se tiver uma graninha sobrando, pode apostar nesse aí.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy.