Resenha - Master Plan - Chris Brooks

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Chris Brooks é o melhor exemplo possível para se falar do efeito extremamente positivo que o renascimento do progressivo, em seu viés metal, deu a guitarristas que seguem carreira solo instrumental. O estilo se enriqueceu a partir das novas tendências capitaneadas pelo Dream Theater.

Hall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do MetalMetallica: a regressão técnica de Lars Ulrich

Os fãs da Era Kevin Moore, especialmente de "Awake", certamente adorarão "The Master Plan". As composições, apesar de conterem diferenças cruciais, se assemelham em algumas estruturas, no balanço de peso e belas melodias, variantes rítmicas interessantes, e especialmente um ótimo fraseado com temas memoráveis.

Neste sentido, ouvidos atentos a "Kryptica", "Inner Light", "Only Time" e o destaque incontestável "Crack In The Hourglass". Arranjos belíssimos, mudanças contínuas nos timbres - por sinal, escolhidos a dedo - e acuidade técnica.

A seriedade dos australianos no que se reporta à música já nos revelou figuras extraordinárias. E atualmente, a leva de músicos bem instruídos e talentosos surgindo de lá chega a ser acobardante. Do estrondoso Virgil Donati a este extraordinário Chris Brooks.

Site Oficial: http://www.chrisbrooks.net

Contato:
P.O. BOX 93, Riverstone Nsw 275
AUSTRALIA
info@chrisbrooks.net




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chris Brooks"


Hall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do MetalHall Of Shame
As melhores músicas ruins da história do Metal

Metallica: a regressão técnica de Lars UlrichMetallica
A regressão técnica de Lars Ulrich

Ôôôôôeeee: Sílvio Santos aprovou montagem com Steve HarrisÔôôôôeeee
Sílvio Santos aprovou montagem com Steve Harris

Motorhead: a opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhiceMotorhead
A opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhice

Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21

Megadeth: a diferença entre os investimentos das gravadorasMegadeth
A diferença entre os investimentos das gravadoras

Megadeth: As histórias por trás de algumas músicas de DystopiaMegadeth
As histórias por trás de algumas músicas de Dystopia


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.