Resenha - Stabbing The Drama - Soilwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


É realmente impressionante como o sueco Soilwork vem trabalhando e modificando as estruturas de suas músicas desde seus primeiros registros, que nada mais eram do que um death/thrash cheio de melodias. "Stabbing The Drama" é seu sexto disco e vem com uma sonoridade moderníssima e intrincada, mas nunca abrindo mão da preciosa distorção tão característica do Heavy Metal.

Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?

A formação é praticamente a mesma do disco anterior, trazendo Speed (voz), Peter Wichers (guitarra), Ola Frenning (guitarra), Ola Flink (baixo), Sven Karlsson (teclados) e o convidado francês Dirk Verbeuren (Scarve) na bateria. A atuação de todos os músicos continua estupenda, a versatilidade vocal de Speed é de cair o queixo, mas uma habilidade que chama muito a atenção é a do baterista Dirk, com viradas espetaculares e de uma criatividade ímpar. Espero que seja efetivado de vez no Soilwork!

"Stabbing The Drama", apesar de ser bem direto, traz canções variadas entre si e com uma presença de teclados bem reduzida, tornando as músicas imediatamente mais pesadas e ásperas se comparadas com seu antecessor, "Figure Number Five". Os riffs e os solos, ora simples, ora muito bem elaborados, são perfeitamente equilibrados e harmoniosos, de grande impacto e se sobressaindo pela forma como interagem com as freqüentes quebras de ritmo das canções.

O complicado é destacar alguma faixa. Todos os refrãos estão excelentes, e são os melhores que a banda já fez até hoje. A faixa-título mostra como está intrincada a música do Soilwork, apesar de seu refrão ser o mais simples de todo o disco. "One With The Flies" chama a atenção pelas caprichadas mudanças de andamento e um solo arrasador. Talvez o melhor desempenho de Speed seja na faixa "Weapon Of Vanity", onde ele canta de várias formas, seja de maneira melodiosa, agressiva, limpa e por aí vai. E, para lembrar de suas raízes, "Blind Eye Halo" remete o ouvinte aos tempos do álbum "The Chainheart Machine".

Não citar que "Stabbing The Drama" continua revelando influências do nu metal norte americano seria uma falha, porém está longe de parecer um destes Korn da vida... Soilwork está em constante mutação, assimilando vários elementos da música pesada de maneira bastante positiva em suas canções. Até agora, soa completamente metálico e domina como poucos sua arte, graças à competência técnica de seus músicos.

SOILWORK - Stabbing The Drama
(2005 - Nuclear Blast / Rock Brigade Records)

01. Stabbing The Drama
02. One With The Flies
03. Weapon Of Vanity
04. The Crestfallen
05. Nerve
06. Stalemate
07. Distance
08. Observation Slave
09. Fate In Motion
10. Blind Eye Halo
11. If Possible

Homepage: www.soilwork.org


Outras resenhas de Stabbing The Drama - Soilwork

Soilwork: Stabbing The Drama é moderno, raivoso, pesado e melódicoResenha - Stabbing The Drama - SoilworkResenha - Stabbing the Drama - Soilwork




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Soilwork"


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002


Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Bon Jovi
As fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985

Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?Mamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?

Separados no nascimento: Bruce Dickinson e Leopoldo PachecoSeparados no nascimento
Bruce Dickinson e Leopoldo Pacheco

Legião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neuróticaLegião Urbana
Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Led Zeppelin: 10 músicas para ouvir quando estiver na fossaLed Zeppelin
10 músicas para ouvir quando estiver na fossa

Dave Mustaine: Muitas bandas agem de forma estúpidaDave Mustaine
"Muitas bandas agem de forma estúpida"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336