Resenha - Forensick - Disgorge

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernanda Zorzetto
Enviar Correções  

2


Formada por Guillermo, Antimo e Edgar, a banda mexicana Disgorge, que já lançou uma demo chamada "Through The Innards" (95) e o CD "Chronic Corpora Infest" (97), traz agora seu segundo CD, "Forensick".

publicidade

Com um estilo auto-intitulado "nauseating death metal" (!), esse álbum vem com 10 faixas, todas com nomes de doenças bizarras e letras "depravadas".

Pela capa do CD já dá para se ter uma idéia do que vem pela frente. É uma foto de um bebê desnutrido e ensangüentado, nascendo de uma mulher doente.

O Disgorge já tocou em vários festivais death juntamente com bandas conhecidas, como o Cannibal Corpse.

publicidade

Todo mundo que curte death/thrash sabe que velocidade não é sinônimo de porcaria ou de falta de qualidade. Que o diga Slayer, por exemplo (para não citar várias). E ouvindo esse álbum não é o que percebemos.

Todas as músicas parecem (e devem ser) a mesma. Parece até piada. O som é ultra-rápido, mas nesse caso só piora as coisas porque a criatividade vai a zero. O vocal é tão ruim que em quase todo o álbum se parece com um latido de cachorro abafado. Fora isso, só se ouve o agudo do prato, o resto é um embolado de som onde parece que baixo e guitarra tocam músicas completamente diferentes ao mesmo tempo, sem trabalho de composição nenhum. O som parece uma britadeira pura e simples, não há levadas nem riffs legais. Solos? Já é pedir demais.

publicidade

A música 8 começa com um coral de igreja muito bem gravado, com ambientação, ventos, e você espera que dali saia alguma coisa boa. Depois de 1 minuto e meio nisso, começa a mesma coisa do resto do disco.

Na capinha do CD há uma breve apresentação da banda que termina assim: "The wait is over!! Now you’ll be slowly dismembered & sodomized. Forensick is coming...". É de chorar...

publicidade

Se você curte death, pense duas vezes antes de se interessar por esse álbum. Se você não curte, pense várias, porque a verdade é que existem mil coisas melhores no estilo para se ouvir.

Faixas:
1. Jism Adipose Carbonization
2. Spasmobliterance Filltrates Sacbs
3. Scid
4. Urethrive Decortico-Xanthomatose Musco Gestated Sacffolds
5. Jaundice of Hookworm
6. Haemorph Endarteriectomized Punzed Eozinophille
7. Purpuric Cytoskeletal Glucid Oxidase
8. Crevice Flux Warts
9. Depths Carmesi
10. Silks Sphincter Anal Lumen

publicidade

Repulse Records
http://www.repulserecords.com
Contatos:
P.O.Box 1-310 / Queretaro, Qro. 76001 / Mexico
e-mail: [email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy MetalSlipknot
Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal

Freedom of Expression: o tema do Globo RepórterFreedom of Expression
O tema do Globo Repórter


Sobre Fernanda Zorzetto

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Fernanda Zorzetto no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin