Resenha - Dead Heart in a Dead World - Nevermore

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


É muito bom saber que ainda existem bandas de heavy metal que entendam o conceito da palavra heavy metal ainda nos anos 90. O Nevermore com certeza é uma das que mais entende, e traz nesse, "dead heart in a dead world" um dos discos mais pesados , e também um dos melhores lançamentos do ano 2000. Sem frescuras, ao mesmo tempo que muito trabalhado e muitíssimo bem tocado ( Jeff Loomis ,guitarra, é no mínimo um absurdo), com um peso anormal, sem deixar de lado as melodias ( mas que não aparecem em exagero, coisa muito comum hoje em dia... ) e principalmente com originalidade, punch, garra, e muita, muita energia.

Nevermore: "Impossível voltar sem Warrel Dane", diz Jeff LoomisMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

Outro destaque do disco (não sei porque ainda me impressiono com isso) é Warrel dane, que desde os tempos do Sanctuary já se mostrava como um grande cantor. Hoje em dia os "agudos" do passado foram esquecidos quase na totalidade ( e quem precisa deles? ), mas o carinha continua destruindo tudo, com feeling fora do comum , cantando suas letras com uma interpretação impecável, hora com sua voz melodiosa, limpa, com técnica perfeita, hora com uma raiva e poder que poucos vocalistas conseguiriam demonstrar.

Já começamos pela capa, que traz uma imagem muito bonita, mas também sombria... que passa exatamente o clima do CD.

"Narcosynthesis" abre o álbum e parece que tudo vai desmoronar, tamanho o peso e a habilidade dos músicos. O que dizer de músicas como "Four Walls" (a cozinha composta por Van Williams, bateria, e Jim Sheppard, também ex-Sanctuary, no baixo é perfeita... e aposto que qualquer pessoa que escute o início dessa música se impressiona com o que sai dos alto falantes ), "The River Dragon Has Come" (com mais uma performance brilhante de Warrel Dane e com um riff de guitarra que não deixará nenhum pescoço parado... mais uma vez também ponto para Jeff Loomis), The Sound of Silence (p/ quem não sabe é uma cover, logicamente no estilo Nevermore, para uma música de ninguém menos que Paul Simon, e vale muito a pena dar uma escutada na original e ver a diferença!) e na faixa que dá nome ao CD, "Dead Heart In a Dead World", que tem uma introdução diferente e muito bonita... e se torna uma das músicas mais pesadas que o Nevermore já gravou, fechando o disco com esplendor.

Com certeza entre os melhores do ano, não há muito o que falar dessa banda que se orgulha em ser heavy metal, o faz com brilhantismo, e não precisa se chamar de "true metal" para isso.


Outras resenhas de Dead Heart in a Dead World - Nevermore

Nevermore: Dead Heart merece ser ouvido por vezes e vezes




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Nevermore"


Nevermore: "Impossível voltar sem Warrel Dane", diz Jeff LoomisNevermore: Jeff Loomis diz que não é possível o Nevermore voltar sem Warrel DaneEm 17/10/2000: Nevermore lançava o clássico Dead Heart In a Dead World

Warrel Dane: vocalista sofria com muitos problemas de saúdeWarrel Dane
Vocalista sofria com muitos problemas de saúde

Warrel Dane: Jeff Loomis lamenta morte e revela conversa sobre reuniãoWarrel Dane
Jeff Loomis lamenta morte e revela conversa sobre reunião

Ozzy Osbourne: 7 guitarristas que quase entraram para a banda deleOzzy Osbourne
7 guitarristas que quase entraram para a banda dele


Malmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarristaMalmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

Marilyn Manson: 7 coisas que você não sabia sobre eleMarilyn Manson
7 coisas que você não sabia sobre ele

Metallica: James Hetfield imitando Dave Mustaine na TVMetallica
James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV

Iron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismoIron Maiden
Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismo

Whiplash.Net: Contribua para manter o site como éWhiplash.Net
Contribua para manter o site como é

Slayer: não é fácil tocar as coisas do Lombardo, diz BostaphSlayer
Não é fácil tocar as coisas do Lombardo, diz Bostaph

Iron Maiden: veja Bruce tocando o piano em Empire Of The CloudsIron Maiden
Veja Bruce tocando o piano em "Empire Of The Clouds"


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336