Resenha - Juno - Márcio Rocha

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos A. M. Cruz
Enviar Correções  

9


Um dos maiores desafios que enfrentamos quando vamos resenhar algum CD é o de tentar passar ao leitor uma idéia do trabalho que temos em mãos; geralmente nos valemos do velho recurso de compará-lo a outros já existentes, de preferência "clássicos" que todos conhecem. Porém há duas ocasiões nas quais esta comparação se torna ineficaz: a) quando se trata de um trabalho experimental; b) quando estamos nos movendo basicamente no terreno das sensações, pois por melhor descritas que estejam sempre vão girar em torno de conceitos meramente subjetivos.

publicidade

No cd em questão, não há nada de experimental - ao contrário, musicalmente falando não traz nada de novo - mas em compensação apresenta uma feliz combinação de harmonias e acordes, que fluem naturalmente nos temas apresentados, nos movendo por territórios além da nossa compreensão lógica.

Márcio Rocha é um músico, compositor e arranjador, formado em violão clássico pela Escola de Música Villa Lobos, atualmente integrante do Luz de Ásia, que lançou em 1999 o Amistad, seu terceiro CD, e o primeiro com a participação do violinista, que está junto à banda desde 1995.

publicidade

Este é o primeiro álbum solo de Márcio, que levou longos três anos para ser gravado, e conta com a participação de músicos atuantes em diversas fronteiras, como Alexandre Fonseca (Pepeu Gomes), Denner Campolina (Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal), Cláudio Cepeda (Anima Dominum) e André Mello (Tempus Fugit).

publicidade

As músicas se sucedem basicamente calcadas em temas instrumentais - afinal, das onze faixas apenas quatro possuem vocais - todas com uma característica em comum, que é a valorização da sonoridade acústica, tendo sido esta justamente a intenção de Márcio, que se permitiu apenas o uso de um moog em "Fly With Your Winds". Talvez por isto mesmo esta faixa soe um pouco deslocada perante as demais, lembrando bastante o trabalho de alguns grupos de rock progressivo britânicos setentistas, agravado ainda mais pelo fato de ser cantada em inglês.

publicidade

Voltando ao parágrafo inicial, talvez um ponto de referência a este trabalho seja catalogá-lo como "progressivo instrumental com influências de new age, música erudita e MPB", embora este rótulo se revele insuficiente para descrevê-lo em todas as suas nuances.

Ouvi comentários de que Márcio já estaria preparando seu segundo CD solo, no qual pretende se aprofundar ainda mais nas influências indianas que norteiam algumas faixas do seu CD de estréia. Espero que não demore tanto quanto este para ser concluído - embora isto seja até natural, face o carinho com o qual foi feito - e desde já estou aguardando o novo trabalho com ansiedade!

publicidade

Faixas:
Samadhi
Desolation Of Fools
Horizonte
Vento
Concertino
Juno
Instante
Odisséia
Fly With Your Winds
Wind
Samadhi




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985Rock In Rio
Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

Regis Tadeu: a tsunami de lixo musical da atual música brasileiraRegis Tadeu
A tsunami de lixo musical da atual música brasileira


Sobre Marcos A. M. Cruz

Fanático por rock setentista.

Mais matérias de Marcos A. M. Cruz no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin